Grande importância e muito empenho na ajuda aos residentes no emprego

DSAL continua a lançar cursos de formação subsidiada consoante as necessidades

Desde o primeiro trimestre deste ano, que o mercado de trabalho em Macau foi afectado por vários factores e os residentes tiveram de enfrentar diferentes desafios no emprego, pelo que a Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais (DSAL) lançou adequadamente diversos serviços de apoio ao emprego consoante as necessidades do mercado, nomeadamente: realização de sessões de conjugação de emprego especializadas para diversos sectores, plano de experiência no local de trabalho destinado aos alunos universitários, feira do emprego para jovens, cursos de formação subsidiada orientada para o aumento das competências técnicas e para a empregabilidade, tendo ainda feito esforços para introduzir novas técnicas adequadas às necessidades de emprego dos residentes, a fim de criar mais postos de trabalhos diversificados e esforçar-se por promover as medidas de apoio ao emprego.

Os habituais serviços de apoio ao emprego conjugado com o serviço de conjugação de emprego especializado resultaram na contratação de cerca de 3 000 pessoas

Os habituais serviços de apoio ao emprego da DSAL serão realizados continua e empenhadamente. Desde Fevereiro até 20 de Outubro do corrente ano, a DSAL fez o encaminhamento de 14 354 pessoas, tendo 7 846 pessoas concluído a entrevista, das quais 2 947 foram contratadas com sucesso. Por outro lado, a DSAL realizou um total de 33 sessões de conjugação de emprego destinadas aos trabalhadores de diferentes sectores (dais quais 24 foram sessões de conjugação de emprego destinadas aos formandos que concluíram a formação subsidiada e 9 de conjugação de emprego para os sectores), tendo um total de 1 438 pessoas participado nas entrevistas, das quais 850 foram contratadas com sucesso através das sessões de conjugação de emprego. Tendo em vista garantir oportunidades justas para os residentes, a DSAL enviou pessoal para supervisionar as entrevistas.

A DSAL está muito atenta às dificuldades de emprego dos recém-graduados do ensino superior, pelo que em finais de Agosto, organizou a “Feira do Emprego para Jovens’2020” que contou com a participação de mais de 4 200 pessoas e recolheu mais de 3 300 currículos, estando a DSAL, neste momento, a acompanhar estreitamente a situação do emprego. Por outro lado, a DSAL lançou, em meados de Junho, o “Plano de experiência no local de trabalho” sob a modalidade “Vencer as dificuldades causadas pela epidemia e criar melhores perspectivas de trabalho” que facultou um estágio em empresas para 720 alunos, tendo no final 436 recém-graduados participado no estágio. Até 20 de Outubro, um total de 344 pessoas foram contratadas pelas empresas.

Além disso, os “Estaleiros de obras do tipo inteligente” são uma tendência para a actualização e reconversão do sector da construção. A DSAL está a preparar um plano de formação de pessoal de gestão de obras, esperando ajudar os jovens com grau acadécimo em construção a intregarem-se neste sector. Este plano é composto por um treino no local de trabalho com a duração de 1 a 2 anos e uma aprendizagem teórica, a fim de ajudar os jovens a criar uma base sólida de desenvolvimento no sector e a escalada para a sua mobilidade e ascensão na carreira profissional.

Lançamento contínuo dos cursos de formação subsidiada consoante as necessidades

De acordo com a “Formação subsidiada” criada pelo Regulamento Administrativo n.°33/2020, a DSAL realizou, entre 7 e 21 de Outubro, as segundas inscrições para o “Plano de formação subsidiada orientada para o aumento das competências técnicas” e o “Plano de formação subsidiada orientada para a empregabilidade”.

No “Plano de formação subsidiada orientada para a empregabilidade”, as entidades organizadoras proporcionaram, entre Setembro e Outubro, mais de 1 600 vagas que abrangeram as áreas da construção civil e manutenção de instalações,serviços de cuidados pessoais, vendas a retalho, industrias e comércio, hotelaria e restauração. Em Setembro, um total de 1 623 pessoas inscreveram-se e as aulas da 1.ª ronda dos cursos iniciaram gradualmente em Outubro, tendo as inscrições de Outubro terminado no dia 21 e contado com a inscrição de um total de 1 244 pessoas.

No “Plano de formação subsidiada orientada para o aumento das competências técnicas”, 3 instituições académicas proporcionaram, entre Setrembro e Outubro, um total de 3 180 vagas, tendo um total de 774 pessoas sido aprovadas na apreciação da candidatura, envolvendo 261 empresas e 233 profissionais liberais. Cerca de 550 pessoas frequentaram, em Setembro e Outubro, os cursos que abrangeram as áreas de turismo, comércio electrónico, línguas, tecnologias de informação, contabilidade financeira, etc.

Por outro lado, todos os cursos da primeira fase da “Formação Subsidiada” (Plano para aumento de aptidões e formação profissional) lançados em Março do corrente ano já se encontram concluídos neste momento, tendo sido organizado um total de 96 turmas de formação que contaram com a participação de 1 721 cidadãos, dos quais 1 550 concluíram o curso. Até finais de Setembro, cerca de 930 pessoasconseguiram emprego ou exploraram um negócio por conta própria, correspondendo a 60% do total das pessoas que concluíram o curso.

Trabalho de divulgação da legislação para garantir que os trabalhadores tenham conhecimento dos seus direitos e interesses

Em termos de legislação sobre inspecção laboral, a DSAL irá continuar a intensificar a sua divulgação, fazendo trabalhos de divulgação diversificados sobre as novas alterações à Lei das relações de trabalho e à Lei do “Salário mínimo para os trabalhadores”, nomeadamente a realização de sessões de esclarecimento destinadas ao público, onde serão discutidos casos frequentes, havendo também uma sessão de perguntas e respostas, bem como uma simulação dos direitos laborais, para explicar ao público de forma concisa questões sobre o objectivo da legislação, âmbito de aplicação e os aspectos a ter em conta, esperando que possa permitir aos empregadores e trabalhadores conhecer os seus direitos e interesses legítimos e cumprir a lei, contribuindo assim para o desenvolvimento de relações laborais harmoniosas e estáveis.

Cumprimento da prioridade no acesso ao emprego dos residentes e reduçãohomóloga de 11 773 trabalhadores não residentes

A principal premissa da política de importação de mão-de-obra do Governo da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) é garantir que seja dada prioridade aos trabalhadores residentes (TR’s) no acesso ao emprego e que o número dos trabalhadores não residentes seja ajustado apropriadamente consoante o mercado de trabalho. Até finais de Setembro, havia um total de 181 697 trabalhadores não residentes, representando uma redução homóloga de 11 773 trabalhadores, o que significa uma diminuição de 14 841 trabalhadores não residentes quando comparado com os registados em 31 de Dezembro de 2019. A DSAL irá acompanhar de perto o desenvolvimento do mercado de recursos humanos em Macau e proporcionar aos residentes apoio no emprego adequado, apelando, ao mesmo tempo, que ajustem a sua mentalidade de emprego, elevem as suas técnicas profissionais e aproveitem mais oportunidades de emprego.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar