Forma de atribuição do Plano de Comparticipação Pecuniária depende da evolução da situação epidemiológica


O Chefe do Executivo, Ho Iat Seng, afirmou que o Plano de Comparticipação Pecuniária sempre foi atribuído no mês de Julho, contudo, este ano, devido ao impacto da epidemia na economia, o governo decidiu atribuir mais cedo, ou seja, em Abril.

Relativamente à forma de atribuição do Plano de Comparticipação Pecuniária do ano 2021, Ho Iat Seng disse que o governo recebeu opiniões de especialistas e académicos que esperam que o Plano de Comparticipação Pecuniária beneficie e garanta o emprego, e que o dinheiro circule na economia. No entanto, verificou-se que a verba atribuída no Plano de Comparticipação Pecuniária, em Abril deste ano, foi aplicada em depósitos bancários pela maioria dos residentes.

Explicou que, em sentido inverso, as duas fases do plano de cartão de consumo impulsionou o consumo interno e mexeu a economia. Revelou que, segundo as informações disponíveis, a utilização do cartão de consumo concentrou-se maioritariamente no sector da restauração, não sendo em restaurantes de luxo, mas sim em estabelecimentos de comidas, permitindo a sobrevivência das pequenas e médias empresas, garantindo o emprego.

Relativamente à forma de atribuição do Plano de Comparticipação Pecuniária, Ho Iat Seng revelou que o governo mantém uma atitude aberta e irá auscultar as opiniões da sociedade, sendo necessário também ter em consideração a evolução da pandemia, explicando que caso se mantenha estável e o emprego em situação ideal, a atribuição poderá ser no formato anterior.

Relativamente à questão da passagem fronteiriça entre Hong Kong e Macau, o Chefe do Executivo indicou não haver qualquer alteração, neste momento, à política da obrigatoriedade de quarentena de 14 dias para os residentes de Hong Kong que se deslocam a Macau. Contudo, caso os residentes de Hong Kong se desloquem ao Interior da China, onde estão sujeitos à quarentena de 14 dias, podem deslocar-se directamente para Macau ficando isentos da quarentena. Ho Iat Seng afirmou que eles são bem-vindos a Macau, utilizando esta modalidade. Acrescentou ter discutido, recentemente, esta questão com a Chefe do Executivo de Hong Kong, Carrie Lam, e, actualmente, os indivíduos que estão em Macau e portadores de documento de identificação de Hong Kong não estão sujeitos à quarentena no regresso a Hong Kong.



Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar