8 sociedades concorreram à “Concepção, construção, operação e manutenção das instalações provisórias de tratamento de águas residuais, junto ao Terminal Marítimo do Porto Exterior”

8 sociedades concorreram à “Concepção, construção, operação e manutenção das instalações provisórias de tratamento de águas residuais, junto ao Terminal Marítimo do Porto Exterior”.

Dado que os colectores de intercepção de águas residuais na Avenida da Amizade se encontram completa e permanentemente cheios, provocando nesta zona poluição das águas costeiras e problema de mau cheiro, visto isto, a Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental (DSPA) planeia construir instalações provisórias de tratamento de águas residuais junto ao Terminal Marítimo do Porto Exterior, e realizou hoje (dia 17) o acto público de abertura das propostas ao concurso público para a “Concepção, construção, operação e manutenção das instalações provisórias de tratamento de águas residuais, junto ao Terminal Marítimo do Porto Exterior”, tendo sido recebido um total de 8 propostas. Após apreciadas e confirmadas pela Comissão de Abertura das Propostas, 5 propostas foram admitidas, e o prazo para a concepção e construção varia entre 200 a 230 dias úteis, cujos preços variam entre 69,200,000 e 169,644,980 patacas.

Uma vez que os colectores de intercepção de águas residuais na Avenida da Amizade se encontram completa e permanentemente cheios, levando a que a estação elevatória EP7, situada perto do Terminal Marítimo do Porto Exterior e do Oceanus, não consiga encaminhar as águas residuais da zona para os mencionados colectores, deixando parte das águas residuais escoadas para as saídas de descarga adjacentes, esta situação conduz, assim, à poluição das águas costeiras e ao problema de mau cheiro. De facto, a situação verificada nada tem a ver com a capacidade de tratamento da Estação de Tratamento de Águas Residuais da Península de Macau.

A fim de atenuar a situação, a DSPA apresentou o presente projecto com base nos estudos da consultoria, na análise geral e experiências adquiridas com o tratamento no exterior e atendendo à realidade de Macau. O projecto visa interceptar as águas residuais das referidas saídas de descarga para submetê-las ao tratamento adequado nas instalações provisórias de tratamento e posteriormente serem descarregadas. Com a conclusão do projecto pode-se melhorar a questão da poluição das águas e de odor, bem como proteger o ambiente das águas costeiras daquela zona. O prazo máximo para a concepção e construção destas instalações é de 230 dias úteis, o prazo máximo para reconstituir o local após a cessação de uso das respectivas instalações é de 60 dias úteis e o prazo da prestação dos serviços de operação e manutenção das instalações é de 4 anos.

No futuro, a DSPA continuará a coordenar com os departamentos competentes, com o objectivo de discutir medidas de construção das instalações provisórias de tratamento de águas residuais ou de intercepção de águas residuais, principalmente nas zonas costeiras que sofrem graves problemas de descarga de águas residuais (como na saída de descarga da box culvert na Avenida 24 de Junho), por forma a proteger o ambiente das águas costeiras de Macau.

Ver galeria

Anexos



Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar