316 dias consecutivos sem casos de COVID-19 em Macau | Primeira fase de vacinação contra a covid-19, acessíveis a três grupos de pessoas com prioridade| Marcação de Vacinação teve início a 8 de Fevereiro

Foto em anexo: Conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus.

O médico adjunto da Direcção do Centro Hospitalar Conde São Januário (CHCSJ), Dr. Alvis Lo Iek Long, fez nota na conferência de imprensa do Centro de Coordenação que até ao dia 8 de Fevereiro, nunca houve uma transmissão comunitária da COVID-19 em Macau e por 316 dias consecutivos não são registados casos locais de transmissão da COVID-19. Já passaram 2 dias sem detecção de novos casos.

Macau diagnosticou, até à data, quarenta e oito (48) casos, dos quais, quarenta e seis (46) são casos importados e dois (2) são relacionados com casos importados. Quarenta e seis (46) pessoas tiveram alta. Não há registo de qualquer infecção entre os profissionais de saúde nem casos mortais. Neste momento, 3 pessoas encontram-se internadas na enfermaria de isolamento do Centro Hospitalar Conde de São Januário (dos quais, 2 doentes dos casos diagnósticos, 1 pessoa isolada com anticorpo positivo)

Nove (9) contactos próximos estão sujeitos à observação médica no Centro Clínico de Saúde Público situado no Alto de Coloane.

Do dia 1 de Fevereiro ao dia 7 de Fevereiro de 2021 - foram testadas em Macau 115.347 pessoas.

Relativamente às perguntas sobre o seguro de vacinas contra a COVID-19, o Dr. Alvis Lo Iek Long respondeu que, o Governo da RAEM teve 25 empresas seguradoras interessadas em disponibilizar o seguro e recebeu propostas de 10 empresas. Após análise global das informações, os Serviços de Saúde solicitaram a 5 empresas que apresentaram as melhores condições a disponibilização dos valores efectivos. Da análise global aos preços e âmbito de cobertura foi selecionada a empresa “Fidelidade Macau — Companhia de Seguros, S.A.” como a empresa que irá prestar aos Serviços de Saúde o seguro relativo a eventuais às reações adversas/ efeitos secundários de administração de vacina contra a COVID-19.

Os conteúdos de aquisição de seguro de grupo incluem: O seguradoé qualquer indivíduo que administre as vacinas do “Programa de Vacinação contra a COVID-19”, de acordo com as orientações dos Serviços de Saúde da RAEM, com idade entre 16 e 85 anos, independentemente do sexo e do estado de saúde; o período de cobertura total do seguro é de um ano, o prémio do seguro é calculado com base no número de cidadãos que sejam administrados, quanto mais cidadãos sejam vacinados mais barato fica o prémio do seguro.

O âmbito de cobertura de seguro é óbito ou incapacidadeabsoluta e permanente causados por reações adversas / efeitos colaterais após a vacinação; o capital seguro é de até 1 milhão por pessoa e o capital seguro para os indivíduos com idade igual ou superior a 70 anos é reduzida para metade; o período de garantia é dentro de 3 meses (90 dias) após a administração de qualquer dose da vacina contra a COVID-19.

Relativamente às questões das vacinas contra a COVID-19, o o Dr. Alvis Lo Iek Long afirmou que, a administração das duas doses das vacinas da Sinopharm é administrada num intervalo de 3 a 4 semanas. As reacções imunológicas ocorrem normalmente após a administração da 1.ª dose da vacina e será administrada, dentro de um determinado prazo, a segunda dose para estimular o corpo e reforçar a memória. A opção pelo intervalo de 4 semanas é baseada nas experiências anteriores de outras vacinas. Se o intervalo entre as duas doses for mais longo, é possível que o efeito de reforço da vacina seja melhor, mas isso irá exigir um estudo científico mais aprofundado para comprovar os dados, sendo aceitável o intervalo de três ou quatro semanas.

Quanto às 5 categorias de pessoas não adequadas para a vacinação e às contraindicações, elencadas pelos Serviços de Saúde, pois não são idênticas às do Interior da China, o o Dr. Alvis Lo Iek Long esclareceu que se trata apenas de uma classificação diferente, para permitir uma melhor compreensão da população, os Serviços de Saúde simplificaram a classificação das contra-indicações. Caso os residentes estejam preocupados com o estado de saúde, podem consultar o seu médico. O o Dr. Alvis Lo Iek Long referiu, ainda, que o Centro Hospitalar Conde de São Januário e os Centros de Saúde são responsáveis pelo trabalho da primeira fase da vacinação, e será considerada a possibilidade de delegar em outras instituições de saúde a administração da vacina, conforme as necessidades reais no futuro. Se for necessário pagar pela vacinação, cada dose da vacina custa 250 patacas.

A Dr.ª Leong Iek Hou relatou que, entre os dias 1 e 7 de Fevereiro de 2021, foram submetidos a observação médica 136 indivíduos, dos quais, 58 residentes de Macau e 78 não residentes de Macau. No total, até ao dia 7 de Fevereiro de 2021, foram enviados para a observação médica 24.820 indivíduos. Há, ainda 594 indivíduos em observação médica, dos quais, 1 (um) indivíduo nas instalações dos Serviços de Saúde, e 593 indivíduos nos hoteis designados.

A Dr.ª Leong Iek Hou também apresentou o programa de administração das vacinas contra a COVID-19:

A primeira fase será aberta a três grupos de indivíduos com prioridade de vacinação, podendo efectuar a marcação a partir de segunda-feira e administrar a vacinação às 09h00 amanhã. A primeira categoria inclui o pessoal da linha de frente na luta antiepidémica, nomeadamente os profissionais de saúde e os auxiliares das entidades médicas/clínicas e de inspecção e teste, os trabalhadores de postos fronteiriços, os trabalhadores da função pública da linha da frente na luta antiepidémica (bombeiros, polícias e pessoal alfandegário); A segunda categoria inclui os grupos com alto risco de exposição ocupacional: trabalhadores expostos a alimentos de cadeia de frio e alimentos frescos, utentes e trabalhadores dos lares e equipamentos sociais, docentes e trabalhadores de escolas, trabalhadores de transporte aéreo ao exterior, de transporte público, e de transporte transfronteiriço, trabalhadores da indústria do turismo e da indústria do jogo, assim como os elementos das forças de segurança do governo; A terceira categoria abrange as pessoas que tenham necessidade de se deslocarnos próximos tempos a países ou regiões endémicas, com necessidade e urgência.

Os Serviços de Saúde, solicitaram as listas do pessoal da linha de frente na luta antiepidémica e dos grupos com alto risco de exposição ocupacional, através das respectivas entidades, e só estes indivíduos, incluídos na lista, é que podem efectuar a marcação da vacina com prioridade. Relativamente às pessoas que recentemente tiveram necessidade urgente de se deslocarem a países ou regiões endémicas, devem apresentar o respectivo documento comprovativo.

A segunda fase é destinada aos restantes residentes de Macau, que podem efectuar a marcação a partir do meio dia de terça feira e administrar a vacina após 22 de Fevereiro. Os indivíduos que necessitem de apoio para fazer a marcação online, podem recorrer ajuda num dos 8 postos disponíveis no Instituto de Acção Social.

A terceira fase será alargada aos trabalhadores não residentes de Macau e a todos os não residentes de Macau que permaneçam legalmente no Território, e o início desta fase dependerá do andamento da vacinação nas 1.ª e 2.ª fases. Os trabalhadores não residentes que pertençam a grupos prioritários de vacinação, previstos na primeira fase, podem já efectuar a marcação da vacina, a título gratuito.

No que diz respeito às questões sobre a vacina da Sinopharm, a Dr.ª Leong Iek Hou disse que se trata de uma vacina inactivada, com prazo de validade mais longo, mais de um ano. Os residentes são vacinados com a maior brevidade possível, construindo em conjunto uma barreira imunitária comunitária para impedir a propagação da doença, pelo que apelou aos grupos de alto risco para que sejam vacinados o mais rápido possível. De acordo com as experiências e conhecimentos, a administração da vacina inactivada não constitui um risco mais elevado para os idosos, mas a sua eficácia pode ser reduzida.

Os Serviços de Saúde já realizaram duas sessões de esclarecimento relativas à “Administração da vacina contra a COVID-19” e destinadas aos profissionais de saúde, no futuro, em colaboração com as associações, vão divulgar informações sobre a administração das vacinas, sobretudo a importância da vacinação e as características de diversas vacinas. Em caso de dúvidas sobre as vacinas, os residentes podem ter acesso a todas as informações , perguntas e respostas na página electrónica das informações das vacinas contra a COVID-19, através do website: https://www.ssm.gov.mo/apps1/covid19vaccine/ch.aspx

A chefe substituta do Departamento de Comunicação e Relações Externas, Dra. Iu Man Cheng reportou o número de pessoas em observação médica em hotéis designados.

O chefe da Divisão de Ligação entre Polícia e Comunidade e Relações Públicas, Dr. Lei Tak Fai, relatou a actual situação da cidade e a situação de entradas e saídas de Macau.

Estiveram presentes na conferência de imprensa o Médico-Adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Alvis Lo Iek Long, a chefe substituta do Departamento de Comunicação e Relações Externas, Dra. Iu Man Cheng, o chefe da Divisão de Ligação entre Polícia e Comunidade e Relações Públicas, Dr. Lei Tak Fai, a Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença dos Serviços de Saúde, Dr.ª Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar