Chefe do Executivo recebe vacina contra a COVID-19 e apela aos residentes para protegerem a própria saúde

Chefe do Executivo, Ho Iat Seng, recebe, antes da inoculação, uma avalição de saúde e assina o «Termo de consentimento de vacinação contra a COVID-19».

O Chefe do Executivo da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), Ho Iat Seng, liderou, hoje (9 de Fevereiro), os titulares dos principais cargos na toma da vacina contra a COVID-19, no Centro Hospitalar Conde de S. Januário, onde referiu que, embora a vacinação seja de carácter voluntário, a inoculação permite criar mais uma barreira protectora. Assim, apelou à população para proteger a sua própria saúde, colaborando com as medidas de prevenção da epidemia.

O Chefe do Executivo fez declarações à comunicação social, depois de ter recebido a vacina da Sinopharm contra a COVID-19. Disse que não teve qualquer sentimento especial após a vacinação e considerou tratar-se de um dia normal de trabalho.

O responsável revelou ainda que irá deslocar-se, este ano, a Pequim para assistir às reuniões da Assembleia Popular Nacional e da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, tendo-lhe sido comunicado que todos os presentes teriam de estar vacinados. Também indicou que a Sinopharm anunciou recentemente que a sua vacina contra a COVID-19 não tem limite de idade e como Chefe do Executivo tem obviamente de prestar o seu apoio, tendo portanto optado por recebê-la em Macau. Complementou ainda que, devido à sua participação nas duas referidas reuniões, não poderá aguardar quatro semanas para tomar a segunda dose da vacina, prevendo recebê-la já no final deste mês.

O Chefe do Executivo referiu igualmente que a vacinação é voluntária e, por isso, a população não deve sentir demasiada pressão. Acrescentou que, no final deste mês, chegará a Macau um lote de vacinas de outra marca e que, nessa altura, os residentes poderão escolher livremente qual a vacina que querem receber.

Ao ser questionado se a vacinação ajudará a um melhor desenvolvimento da economia local, o Chefe do Executivo sustentou que a vacina tem como prioridade a protecção da saúde e da alma das pessoas e, só a partir daí, se conseguirá uma sociedade e ambiente saudáveis, e, por conseguinte, a recuperação económica.

O Chefe do Executivo disse também que Macau, apesar de ser uma cidade pequena, conseguiu obter vacinas com antecedência. Dentro das 500 mil vacinas da Sinopharm, 100 mil já chegaram e as restantes são esperadas até ao final do mês, o que reflecte o grande apoio do Governo Central à RAEM. Afirmou igualmente que Macau é uma região de baixo risco, mas a vacinação criará mais uma barreira protectora para os residentes, uma situação semelhante à da protecção dada pela vacina contra a gripe, e que torna mais saudável o ambiente da sociedade. O mesmo responsável elogiou ainda os residentes pelos esforços envidados na prevenção da epidemia.

Relativamente a um eventual lançamento de uma nova ronda de medidas de apoio económico, o Chefe do Executivo afirmou que serão efectuados estudos sobre o assunto e o governo manter-se-á atento à situação do desenvolvimento económico.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar