Chefe do Executivo afirma que FIICI contribui para promover infra-estruturas a nível internacional


O Chefe do Executivo, Ho Iat Seng, participou, hoje (22 de Julho), na cerimónia de inauguração do 12.º Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas (FIICI). Ao discursar, Ho Iat Seng disse que o FIICI é uma importante plataforma de cooperação a nível internacional no domínio das infra-estruturas, Macau irá continuar a potenciar as suas vantagens próprias, contribuindo para o impulsionamento da interligação de infra-estruturas e de regras e normas internacionais.

O Chefe do Executivo afirmou que a pandemia da pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus tem influenciado complexa e profundamente a economia mundial, causando diferentes graus de impacto nas cadeias de indústria e de abastecimento globais, e o investimento e a cooperação internacionais em infra-estruturas enfrentam grandes desafios. Macau, enquanto microeconomia aberta, é facilmente afectada por factores externos. No entanto, com o forte apoio do Governo Central e os esforços conjuntos dos diversos sectores da sociedade a epidemia foi eficazmente controlada, a situação económica, em geral, mantém-se basicamente estável e as indústrias do turismo e das convenções e exposições estão gradualmente a recuperar. Macau é hoje uma cidade saudável, segura e apropriada para visitar.

Ho Iat Seng indicou que o Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas é uma importante plataforma de cooperação a nível internacional no domínio das infra-estruturas, e tem merecido a ampla atenção e o elevado reconhecimento dos sectores político, empresarial, académico e da própria indústria, locais e estrangeiros, tendo-se tornado numa importante plataforma para a promoção da construção da «Uma Faixa, Uma Rota» e para o aprofundamento da cooperação entre a China e os países de língua portuguesa no domínio das infra-estruturas. Simultaneamente, o FIICI tem vindo a desempenhar um papel activo na aceleração da interligação das infra-estruturas transfronteiriças da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, na construção e expansão de modais de transporte de grande escala e no aperfeiçoamento da fisionomia das cidades. O FIICI desempenha um papel fundamental na promoção da mercantilização, especialização e internacionalização da indústria de convenções e exposições de Macau.

O Chefe do Executivo salientou que, este ano, assinala o início do «Décimo Quarto Plano Quinquenal Nacional». É também um ano crucial para a integração de Macau na conjuntura do desenvolvimento nacional e para o planeamento de um novo patamar de desenvolvimento. O Governo da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) está actualmente empenhado na elaboração do 2.º Plano Quinquenal de Desenvolvimento da RAEM, projectando o quadro geral do desenvolvimento sócio-económico de Macau para os próximos cinco anos e até a mais longo prazo. O mesmo envidará esforços no desenvolvimento de diversas indústrias, designadamente a indústria da saúde vocacionada para a investigação, o desenvolvimento e produção de medicamentos tradicionais chineses, a indústria financeira moderna, a indústria da tecnologia de ponta, as indústrias de convenções e exposições e comercial, e as indústrias cultural e desportiva. Assim como, incentivará a construção da zona de cooperação aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin, enquanto nova plataforma promotora do desenvolvimento adequado e diversificado da economia de Macau.

Além disso, o Governo da RAEM irá impulsionar os trabalhos de elaboração do Plano Director da Região Administrativa Especial de Macau e de delimitação das unidades operativas de planeamento e gestão, e empenhar-se-á na construção de uma «Macau com condições ideais de habitabilidade» e de uma «Macau verde». E em articulação com as estratégias de desenvolvimento da protecção ambiental do País, irá promover escrupulosamente as medidas relativas ao «pico das emissões de dióxido de carbono» e à «neutralização do carbono» e, lutar por atingir o pico das emissões de dióxido de carbono até 2030.

Salientou que o País irá ampliar a cooperação externa e impulsionar activamente a interligação de infra-estruturas e de regras e normas internacionais. Macau, enquanto Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, é também um importante elo de ligação da «Rota da Seda Marítima do Século XXI» e um relevante ponto de intersecção na dupla circulação nacional e internacional. Continuará a potenciar as vantagens próprias de Macau, contribuindo para a promoção do intercâmbio e da cooperação entre indústrias, em termos de investimento e construção de infra-estruturas internacionais.

Antes da cerimónia de inauguração, o Chefe do Executivo, Ho Iat Seng, o secretário para a Economia e Finanças, Lei Wai Nong e o secretário para os Transportes e Obras Públicas, Raimundo do Rosário, visitaram os expositores do FIICI, e assistiram às respectivas apresentações.

O Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas, criado em 2010 e com realização em Macau desde 2012. Este ano tem como tema «Promoção Conjunta do Novo Desenvolvimento da Cooperação Internacional de Infra-estruturas», sendo que a presente edição, a realizar virtual e presencialmente, irá abordar temas sobre inovação financeira e a integração da indústria e do sector financeiro, bem como, destaca as novas oportunidades e os desafios do desenvolvimento internacional de infra-estruturas no quadro do pico e da neutralidade de carbono, no desenvolvimento de novas energias como factor catalisador para a transformação e a actualização do sector e na promoção da exploração de mercados de principais países e regiões estrangeiros.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar