Hospital de Reabilitação Ká-Hó inaugurado por Sua Excelência o Chefe do Executivo

Sua Excelência Chefe de Executivo inaugura Hospital de Reabilitação Ká-Hó acompanhado do Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Doutor Alexis Tam.

Sua Excelência o Chefe do Executivo, Doutor Chui Sai On, acompanhado pelo Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Doutor Alexis, Tam Chon Veng, inaugurou, segunda-feira (1 de Abril) o Hospital de Reabilitação Ká-Hó

Hospital de Reabilitação Ká-Hó é a primeira instalação de reabilitação independente em Macau

Na cerimónia de abertura o Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Doutor Alexis Tam, agradeceu a presença do Chefe do Executivo e recordou que este tem dado grande atenção, apoio e importância ao facto de serem criadas em Macau, pela primeira vez, instalações médicas independentes de reabilitação, o que significa que os serviços médicos existentes no território passam para uma nova fase.

Atendendo aos desafios, em especial, ao desenvolvimento, envelhecimento da sociedade e da população, e as doenças crónicas, entre outras, o Governo da Região Administrativa Especial de Macau elaborou um “Mecanismo de protecção dos idosos” e o “Plano Decenal de Acção para os Serviços de Apoio a Idoso”, o que tem possibilitado a integração eficaz de recursos, produzindo um efeito sinérgico, aperfeiçoando de forma gradual os diversos serviços médicos para os idosos.

O Hospital de Reabilitação de Ká-Hó, destina-se dar resposta à procura de serviços médicos integrados para idosos e, portanto, neste novo edifício serão integradas as essenciais subunidades funcionais e disponibilizados equipamentos e serviços de qualidade para desenvolver serviços complexos mais adequados.

O Hospital de Reabilitação de Ká-Hó dispõe de 188 camas, distribuídas por três áreas: área de fisioterapia do Centro Hospitalar Conde de São Januário; enfermaria de reabilitação do Centro Hospitalar Conde de São Januário e uma outra área de Enfermaria de Reabilitação do CHCSJ gerida pela Federação das Associações dos Operários de Macau.

A enfermaria de reabilitação do Centro Hospitalar Conde de São Januário dispõe de 88 camas, mais do dobro das existentes na área de reabilitação do hospital, assim como dispõe de uma equipa médica especializada, proporcionando tratamentos complexos aos doentes, em especial, tratamento clínico, fisioterapia, terapia ocupacional, gestão da dor, aconselhamento psicológico, entre outros.

O Doutor Alexis Tam fez ainda notar que o Governo da Região Administrativa Especial de Macau, há muito focou a atenção na procura e no desenvolvimento de serviços de reabilitação. Desde Abril de 2006 que os Serviços de Saúde apoiam e subsidiam a Federação das Associações dos Operários de Macau, entidade sem fins lucrativos, que criou o Centro de Reabilitação na Taipa, destinado exclusivamente à admissão directa de pacientes do Centro Hospitalar Conde de São Januário, proporcionando-lhes cuidados de reabilitação e esse centro aliviar a pressão de camas do hospital. Esta nova enfermaria de Reabilitação do CHCSJ gerida pela Federação das Associações dos Operários de Macau, é uma enfermaria de reabilitação supervisionada e financiada integralmente pelos Serviços de Saúde, mas a gestão é da responsabilidade da Federação das Associações dos Operários de Macau. A dimensão desta enfermaria de Reabilitação da Federação das Associações dos Operários de Macau é o triplo da área inicial do Centro de Reabilitação. O número de camas passa de 55 para 88 camas e no futuro poderá atingir as 100 camas. Isto significa um enorme aumento qualitativo dos serviços prestados aos idosos.

O Governo da Região Administrativa Especial de Macau esteve sempre empenhado no conceito expresso, nas Linhas de Acção Governativa, na área de saúde “tratamento adequado, prevenção prioritária” criando as bases para que possam ser prestados à população elevados cuidados de saúde na área da prevenção, tratamento e reabilitação, além de existir um particular cuidado no apoio a determinados grupos, em especial mulheres, crianças, idosos, indivíduos com distúrbios físico e mentais, entre outros. Também têm sido implementadas políticas e medidas no âmbito da prestação de serviços de tratamento precoce, serviços de reabilitação e medidas políticas e integração de pessoas fisicamente debilitadas. À medida que a construção do Complexo de Cuidados de Saúde das Ilhas avança, conjugado com os futuros centros de saúde da Praia do Manduco, Seac Pai Van e Planeamento nos Novos Aterros, o Governo da Região Administrativa Especial de Macau está, progressivamente, a prestar aos residentes serviços médicos mais adequados, mais bem-estar, mais benefícios e qualidade de vida, elementos que compõem a criação de “Macau - Lar feliz e sadio.”

O Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, também, manifestou a sua especial gratidão aos esforços conjuntos prestados pelas instituições médicas públicas e privadas, que nos últimos anos têm proporcionado bons resultados na prevenção e controlo de doenças transmissíveis, em particular a resposta anual para combater a gripe, que tem tido resultados excelentes, contribuindo para impedir a ocorrência de surtos em Macau. Outro exemplo é o controlo eficaz dos casos de sarampo ocorridos recentemente. Aliás, O Doutor Alexis Tam mencionou que há poucos dias esteve reunido com os departamentos competentes para discutir as estratégias de resposta ao sarampo, tendo sido dadas orientações pra que fossem implementadas um conjunto de medidas preventivas. Apesar de nos últimos três dias não ter sido registado nenhum caso, o Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura apelou aos residentes de Macau que prestem atenção à prevenção, pois Macau, sendo uma cidade turística, corre o risco de importar doenças transmissíveis por populações exteriores, pelo que devem ser tomadas medidas preventivas. O doutor Alexis Tam, durante o discurso referiu, ainda, que a ampliação do Edifício de Saúde Pública tem como objectivo lidar com doenças infeciosas pois MAcau necessita de ter instalações médicas suficientes para controlar eventuais epidemias. A construção do Edificio de Saúde publica está respeitar o cronograma estabelecido, as obras das fundações tiveram inicio no passado mês de Novembro de 2018 e é expectável que estejam concluídas em 2020.

Hospital de Reabilitação Ká-Hó entra em funcionamento com profissionais especializados

O Hospital de Reabilitação Ká-Hó localiza-se na Estrada de Nossa Senhora de Ká Hó em Coloane e oficialmente entrou em funcionamento hoje. A área bruta de construção é de 11.124 m2 e estão disponíveis 188 camas. Este hospital de reabilitação destina-se, principalmente, à prestação de serviços de saúde a doente s que necessitem de aumentar a capacidade de movimento e de autogestão e melhorar a qualidade de vida. Além da reabilitação dos membros corporais serão disponibilizados serviços de reabilitação e cuidados paliativos aos pacientes com disfunção orgânica crónica. Este novo equipamento de saúde vai permitir aumentar a rotatividade de camas no serviço de internamento do Centro Hospitalar Conde de S. Januário.

Os recursos humanos do Hospital de Reabilitação Ká-Hó já há muito que estão previstos no planeamento global dos Serviços de Saúde. No entanto, com a entrada em funcionamento de forma faseada, num primeiro momento estarão em funcionamento apenas 20 camas, o serviço de reabilitação será assegurado por uma equipa profissionais de saúde que serão destacados do Centro Hospitalar do Conde de S. Januário para esta unidade. A equipa é composta por três (3) médicos de clínica geral, 14 enfermeiros e oito (8) auxiliares de enfermagem, que passam a prestar serviço durante 24 horas em regimo de turnos.

De acordo com as características da população de Macau e a procura dos serviços médicos, a assistência aos doentes da reabilitação, será prestado através da da integração e recrutamento do pessoal médico especialista. Com a inauguração do Hospital de Reabilitação Ká-Hó, os serviços de saúde disponibilizam, aos profissionais e aos doentes, transporte, lavandaria, refeições e outros serviços.

Na cerimonia de inauguração estiveram presentes diversas entidades, entre os quais o Chefe do Gabinete do Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Ip Peng Kun, o Director dos Serviços de Saúde, Lei Chin Ion, o Subdirector dos Serviços de Saúde e acumulativamente Director do Centro Hospitalar Conde de S. Januário, Kuok Cheong Yun, os representantes do Conselho Consultivo de Serviços Comunitários das Ilhas, os representantes das instituições médicas, representantes provenientes da Federaçãodas Associações dos Operários de Macau, da União Geral das Associações dos Moradores de Macau, da AssociaçãoGeral das Mulheres de Macau, da Aliança de Povo de Instituição de Macau, da Caritas de Macau, da Associaçãode cuidadores dos idosos de Macau, da Associação dos “Amigos da Caridade de Macau” e da AssociaçãoMédica-Cristã de Macau.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar