Serviços de Saúde: Transmissão da rubéola em Macau não é extensa – não há razões para preocupação entre as mulheres grávidas

Os Serviços de Saúde divulgaram ontem que o número de casos de rubéola em Macau aumentou. A maioria dos casos registados, até agora, possuem historial de viagem. Há, apenas, um número reduzido e limitado de situações em que a transmissão ocorreu em Macau. Não é uma transmissão generalizada.

As grávidas devem ter precauções mas não existem razões para preocupação.

Nas regiões vizinhas existem situações epidémicas e em Abril dos 14 casos registados só três (3) é que não tinham registo de viagem durante o período de incubação.

O nível imunitário contra rubéola em Macau é superior a 70%.

Embora exista uma possibilidade de um aumento, no curto prazo, no número de casos, a probabilidade de ocorrer uma transmissão de rubéola na comunidade é baixa.

No início da década de 1990, A RAEM começou a administrar a vacina tríplice às crianças. Também em meados da última década a vacina tríplice (MMR) começou a ser administrada às mulheres em idade fértil que nunca tinham sido vacinadas contra rubéola. Segundo dados do Centro de Controlo de Doenças dos EUA, as mulheres a quem tenha sido administrada a vacina podem ser consideradas com imunidade contra a rubéola.

Por outro lado, se o exame de pós-natal for realizado em instituições médicas subordinadas aos Serviços de Saúde, os médicos organizam a vacinação para as grávidas segundo o anticorpo contra a rubéola e a vacinação anterior de rubéola.

Os Serviços de Saúde estão a acompanhar as queixas da existência de situações em que as grávidas detectadas sem anticorpos contra a rubéola, aquando do exame de pré-natal, não tiversm a administração da vacina após o parto.

De forma a prevenir a infecção da rubéola, os Serviços de Saúde recomendam que os residentes com idades compreendidas entre um (1) e os 17 anos cumpram o Programa de Vacinação dos Serviços de Saúde. Após um (1) ano de idade e depois da primeira dose os doentes devem ser submetidos a uma 2.ª dose da vacina MMR.

Os indivíduos residentes de Macau que ainda não tenham sido vacinados podem recorrer aos centros de saúde para administrarem a vacina gratuitamente.

As mulheres em idade fértil que não tenham tido rubéola, ou não tenham sido vacinadas contra rubéola, devem deslocar-se ao Centro de Saúde para lhes ser administrada a vacina, sendo esta gratuita para os residentes de Macau.

Dado que a vacina MMR é uma vacina viva, as mulheres grávidas não podem ser vacinadas. As mulheres em idade fértil só devem evitar engravidar após três meses da vacinação.

Os cidadãos que tenham viajado e que durante a viagem ou após o regresso manifestem febre, inflamação evidente dos gânglios linfáticos e erupção corporal, durante o período de viagem ou após o regresso a Macau, devem usar máscara e recorrer no mais curto espaço de tempo possível ao médico, informando o médico da história detalhada de viagem e de contacto.

Os Serviços de Saúde apelam aos cidadãos que submetam os filhos à administração de vacina conforme o Programa de Vacinação de Macau (PVM), prestando atenção aos seguintes factores:

- Dado que mulheres grávidas ou com intenção de engravidar não podem ser inoculadas contra rubéola (MMR), as viagens às zonas afectadas pela rubéola não são aconselhadas;

- Não são aconselhadas viagens para as zonas afectadas com bebés que tenham menos de um ano ou que não tenham recebido vacina anti-rubéola. Os anti-corpos adquiridos pela criança através da mãe, naquela idade, começam a diminuir gradualmente. O efeito da vacinação neste grupo etário é reduzido, sendo por isso considerado, que este grupo é facilmente infectado pela rubéola. Caso seja mesmo necessário viajar com crianças para a zona afectada é aconselhável que lhes seja administrada a vacina anti-rubéola, de acordo com as recomendações dadas pela autoridade de saúde dessa região;

- As crianças entre os 12 e 18 meses de idade devem ser vacinadas com VASPR (MMR), as crianças com idades compreendidas entre um (1) e 17 anos que não receberam duas doses de vacinas anti-rubéola, bem como as mulheres em idade fértil que não tenham tido rubéola ou não tenham sido vacinadas contra rubéola, devem deslocar-se ao Centro de Saúde para lhes ser administrada a vacina, sendo esta gratuita para os residentes de Macau;

- Cumpre com cortesia a protecção do tracto respiratório, não toque nos olhos, nariz e boca antes de lavar as mãos;

- Pessoas imuno-comprometidas devem evitar deslocar-se a locais lotados ou instituições médicas;

- Caso note a manifestação de sintomas suspeitos, use máscara e recorra a uma consulta médica.

Em caso de dúvidas os residentes podem aceder à página electrónica dos Serviços de Saúde (http://www.ssm.gov.mo) ou ligar para a linha verde 2870 0800.



Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar