Prisão preventiva aplicada a dois homens estrangeiros suspeitos de contrafacção de cartões de crédito

Há dias atrás, a polícia deteve dois homens estrangeiros pela suspeita de terem instalado equipamentos ocultos em várias máquinas de ATM em Macau, com o objectivo de furtar dados de cartões bancários ou cartões de crédito dos utilizadores, tendo o caso sido remetido para o Ministério Público para efeitos de investigação.

Segundo o que foi apurado na investigação preliminar, a polícia recebeu queixas apresentadas por bancos, nas quais foi levantada a suspeita de que alguém tinha instalado equipamentos em máquinas de ATM para furtar dados de cartões bancários ou cartões de crédito dos utilizadores.

Após investigação, a polícia conseguiu identificar dois suspeitos estrangeiros, que acabou por deter, logo depois de os mesmos terem cometido nova infracção, e, na sequência de uma busca no local onde se hospedavam temporariamente, foram encontrados conjuntos de dispositivos para filmagem, aparelhos para leitura e gravação de cartões, vários cartões de crédito falsos na fase de acabamento e cartões brancos, equipamentos esses suspeitos de serem utilizados para a prática da actividade criminosa.

Conforme os elementos obtidos, os dois homens fabricaram cartões de crédito falsos com os dados furtados, para a subtracção de dinheiro de outrem, pelo que o Ministério Público autuou um inquérito contra os dois arguidos por haver indícios da prática do crime de contrafacção de cartões de crédito previsto no artº 252º, nº 1, conjugado com o artº 257º, nº 1, al. b), do Código Penal. O referido crime é punido com a pena de prisão de 2 a 12 anos, se for provado.

Realizado o primeiro interrogatório judicial dos dois arguidos, uma vez que tais factos afectam gravemente a ordem financeira de Macau e são susceptíveis de causar prejuízos patrimoniais aos utilizadores de máquinas de ATM, e, tendo em conta que existem co-autores em fuga, o Juiz de Instrução Criminal, sob a promoção do Delegado Titular do Inquérito, decretou a aplicação da medida de coacção de prisão preventiva aos dois arguidos, a fim de evitar o perigo de fuga dos mesmos para fora de Macau.

E, de acordo com o Código de Processo Penal, o respectivo inquérito será devolvido, oportunamente, ao Ministério Público, para continuação das diligências de investigação criminal.

Actualmente, há inúmeros modus operandi para furtar dados de utilizadores e falsificar cartões bancários, mediante a aplicação de tecnologia inteligente avançada, pelo que o Ministério Público apela aos cidadãos para que estejam atentos quando utilizarem a máquina de ATM, e, caso surjam situações suspeitas durante a transacção, denunciem-nas com a maior brevidade possível, a fim de, em conjunto, combater a respectiva actividade criminosa e defender a segurança patrimonial dos cidadãos e a estabilidade da ordem financeira de Macau.



Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar