Os produtos alimentares e de uso doméstico são suficientes para satisfazer as necessidades básicas da população

Os representantes da DSE e do CC reuniram-se com os dos sectores de comércio por grosso e a retalho

A Direcção dos Serviços de Economia (DSE) e o Conselho de Consumidores (CC) reuniram-se, hoje (4 de Fevereiro), com os representantes dos sectores do comércio por grosso e a retalho dos produtos de cereais e óleo, produtos para vida quotidiana, produtos alimentares frescos e vivos, refrigerados e congelados, e produtos de combustíveis. O stock dos produtos indispensáveis para a vida da população é abundante pela importação constante e ininterrupta, mantendo-se um abastecimento estável, sendo assim suficiente para satisfazer as necessidades básicas da população.

A DSE e o CC apelam aos cidadãos para não acreditarem nos rumores nem fazerem corrida desnecessária à compra. A concentração de multidões pela corrida à compra não contribui para a prevenção da epidemia, aumentando ainda o risco de infecção cruzada.

Os representantes de grossistas adiantaram, neste encontro, que se mantêm estáveis as fontes de mercadorias para todos os tipos de cereais, óleo, produtos para vida quotidiana e produtos alimentares frescos e vivos, refrigerados e congelados, e o seu abastecimento já voltou gradualmente ao normal após o Ano Novo Chinês, tendo acrescentado que as mercadorias não podem ser distribuídas atempadamente devido à existência do problema da alocação de recursos humanos, estando a ser acelerada a distribuição das mesmas.

Os representantes de retalhistas manifestaram que o desalfandegamento e descarga de mercadorias não sofrem nenhum impacto neste momento, enquanto os seus supermercados têm um stock suficiente e funcionam como normal. Face à actual situação de venda e de procura, os mesmos vão reabastecer o mais breve possível as mercadorias, esperando que os consumidores tenham paciência para aguardar a colocação dos produtos nas prateleiras.

Os representantes do sector petrolífero referiram que a oferta do gás de petróleo liquefeito para uso doméstico é suficiente e o serviço de distribuição permanece normal. Tendo em conta o aumento agudo das encomendas dos residentes nos últimos dias, os mesmos lembraram que os residentes não devem armazenar em excesso o gás de petróleo liquefeito no seu domicílio.

O Governo da RAEM salientou que, para além das medidas actualmente implementadas para a prevenção da epidemia, vai adoptar outras medidas para assegurar o abastecimento estável de materiais necessários à vida da população e combater rigorosamente os actos praticados pelos diversos sectores, relacionados com o açambarcamento e o aumento injusto de preços. O Governo da RAEM apelou aos residentes para atenderem a informações de prevenção da epidemia divulgadas diariamente pelo Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus, avisando-os para não acreditarem nos rumores nem divulgarem as mensagens não confirmadas.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar