Centro de Coordenação está a ponderar incluir alguns países europeus na lista de zona de alta incidência epidémica – Direcção dos Serviços de Educação e Juventude está a actualizar, de forma contínua, o projecto de reinício das aulas, elaborando as directrizes para prevenção epidémica tendo em conta vários aspectos.

Centro de Coordenação de Contingência considera acrescentar alguns países europeus na lista de regiões de alta incidência

O médico adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Lo Iek Long anunciouque, nas últimas 24 horas, não foi registado em Macau qualquer novo caso confirmado pela infecção por Novo Tipo de Coronavírus (COVID-19). Actualmente, não há doentes internados na enfermaria de isolamento do CHSCJ. Nas últimas 24 horas, na Urgência Especial do CHCSJ foram registados doze (12) casos suspeitos que foram submetidos a exames, cinco (5) deles já foram excluídos, e os restantes sete (7) casos estão com resultado pendente. Onze (11) casos analisados no Hospital Kiang Wu foram submetidos à análise laboratorial, dos quais oito (8) foram excluídos e três (3) estão com resultado pendente. Foram analisadas pelo Laboratório de Saúde Pública 145 amostras. Foram avaliados 34 casos com febre ou sintomas de tracto respiratório superior, considerados de normal, nos Serviços de Urgência do CHCSJ e do Hospital Kiang Wu que necessitaram de ser enviados para analises.

Até às 14H00 do dia 11 de Março, tinham sido registados 2.102 casos suspeitos (incluindo os 10 casos confirmados). Em 2.080 casos foi excluída a infecção. Há doze (12) casos suspeitos cujo resultado do teste ainda está pendente. Foram acompanhados clinicamente 74 pessoas consideradas como casos de contacto próximo e todas concluíram o isolamento preventivo.

Actualmente, 62 pessoas estão em isolamento no Centro Clínico de Saúde Pública, no Alto de Coloane, incluindo 22 homens e 40 mulheres, dos quais, três (3) que estão em período de convalescença, com estado estável. 57 residentes de Macau retirados de Hubei e todos estão em boas condições, sem febre, nem quaisquer sintomas do trato respiratório. Dois residentes de Macau (um casal) que se deslocou a Espanha foi isolado preventivamente pois na terça-feira manifestaram febre e tosse ligeira, apesar do resultado dos seus primeiros testes de ácido nucleico ter sido negativo. Quarta-feira 11 de março de 20 já não manifestaram febre, após 48 horas, serão submetidos ao novo exame de ácido nucleico.

O 10.o caso confirmado e recuperado de Macau já completou o isolamento do período de convalescença de 14 dias. Após vários testes de ácido nucleico, , os testes de nasofaringe e ácido nucleico das fezes realizados no dia 11 de março de 2020 são negativos, pode concluir o isolamento em período de convalescença, quinta-feira, 12 de março. E terá inicio um período de auto-gestão de saúde no domicílio por um período de 14 dias.

Foi também explicado que os indivíduos recuperados que tenham alta, após conclusão do isolamento em período de convalescença, devem realizar uma autogestão de saúde no domicílio, por um período de 14 dias, as autoridades irão fornecer as respectivas directrizes de saúde, incluindo, a sugestão de ficar em quarto individual bem ventilado, usar máscaras em casa, manter uma distância de, pelo menos, 1,5 metro com a sua família, não compartilhar as refeições com a sua família, etc.

Estas pessoas devem ainda medir a temperatura corporal pelo menos duas vezes por dia. Se tiver dúvida, deve entrar em contracto de imediato com as autoridades de saúde. A par disso, as autoridades de saúde também ligarão diariamente às pessoas em causa de modo a inteirarem o seu estado de saúde.

O período de autogestão de saúde no domicílio é considerado como licença por doença de 14 dias, as autoridades de saúde irão emitir uma certidão a estes indivíduos, sugerindo-se que reduzam saídas desnecessárias, mesmo que saia devem usar máscara e não se devem deslocar a locais onde haja uma elevada concentração de pessoas.

A Coordenadora do Centro de Controlo de Doenças de Macau, Dr.ª Leong Iek Hou reportou que, Nas últimas 24 horas, deram entrada em Macau mais indivíduos que necessitam de receber 14 dias de observação médica dado terem estado em regiões de alta incidência 14 dias antes da entrada em Macau, como a Coreia do Sul, Itália e Irão. Onze (11) pessoas regressaram a Macau e foram submetidos a observação médica, dos quais seis (6) regressaram de Espanha, são residentes de Macau, três (3) regressaram do Japão, dos quais, dois (2) são residentes de Macau, e um (1) é visitante do Japão. Dois (2) indivíduos que regressaram da Alemanha, um deles é residente de Macau e outro é o trabalhador não residente da nacionalidade filipina.

Desde a implementação desta medida, entre o meio-dia do dia 26 de Fevereiro e a manhã do dia 11 de Março, 85 pessoas estão em observação médica, entre deles, 70 são residentes de Macau, quatro (4) turistas ou trabalhadores não residentes da nacionalidade sul-coreana, quatro (4) turistas ou trabalhadores não residentes da nacionalidade italiana, um (1) trabalhador não residente da nacionalidade filipina, um (1) turista do Japão, quarto (4) turistas do Interior da China, um (1) turista de Hong Kong. Entre os quais, 54 escolheram efectuar a observação no domicílio e 26 estão em local designado.

Por outro lado, um casal (residentes de Macau), homem (64 anos) e mulher (60 anos), deslocaram-se à Irão nos tempos atrás, estiveram em mesmo voos (ida e volta) com um doente confirmado de Coronavírus. Durante o voo de volta estiveram sentados na terceira fila de assentos atrás do doente confirmado, por isso, foram classificados como indivíduos de contacto próximo, tiveram febre baixa e sintomas de trato respiratório; o homem já realizou dois testes de ácido nucleico, ambos negativos e foram diagnosticados com outras infecções por vírus respiratórios, e o resultado de ácido nucleico da mulher também foi negativo. Os dois serão posteriormente colocados no Centro Clínico de Saúde Pública do Alto de Coloane para observação médica isolada.

A Coordenadora do Centro de Controlo de Doenças de Macau, Dr.ª Leong Iek Hou também disse que o Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus está a ponderar incluir alguns países europeus na lista de zona de alta incidência e implementar medidas transfronteiriças relevantes. Além disso, tendo em conta o sinal de abrandamento da situação epidémica do Interior da China (excepto a província de Hubei), muitas províncias e cidades não têm novos casos, apenas algumas cidades têm casos esporádicos importados no exterior. O Governo da RAEM está a apreciar as medidas do exame médico e da observação médica, que serão anunciadas em breve.

O Chefe do Departamento de Estudos e Recursos Educativos da DSEJ, Wong Kin Mou manifestou que a situação epidemiológica do novo tipo de coronavírus em Macau diminuiu gradualmente, não havendo novos casos locais há 36 dias consecutivos, não tendo sido registados novos casos há mais de 20 dias consecutivos em Zhuhai e Zhongshan, cidades fora de Macau onde residem habitualmente muitos estudantes transfronteiriços. Neste sentido, após estudos e julgamentos da actual situação epidemiológica, foi anunciado ontem ao público que as escolas do ensino não superior de Macau retomarão as aulas até 20 de Abril, mas não será excluída a possibilidade de a data de reinício das aulas ser ajustada em resposta à evolução da situação epidemiológica e às opiniões dos serviços de saúde competentes. O representante da DSEJ reafirmou que o anúncio do programa de reabertura das aulas tem como objectivo permitir aos pais e todos os sectores compreender melhor a situação mais actualizada sobre o reinício das aulas, e organizar bem os trabalhos preparativos. Além disso, acrescentou que, como a actual situação epidemiológica de Macau continua a ser favorável, pretende-se apresentar ao público, em Março, o programa de reabertura das aulas mais concreta ao público, por exemplo, se as aulas são retomadas em fases.

A DSEJ tem mantido constantemente uma comunicação estreita com as associações educativas e os responsáveis relevantes, foi discutida a possibilidade de os estudantes não poderem retomar as suas aulas em tempo oportuno, com justa causa, devendo a escola proceder a um tratamento flexível, ou seja, permitindo ao estudante a falta justificada. O Dr. Wong Kin Mou Referiu ainda que, nesta altura, cerca de 3.000 estudantes e cerca de 300 professores e docentes estão permanecido no Interior da China, maior parte dos quais declararam a sua residência em Zhuhai e Zhongshan, cidades vizinhas de Macau. Portanto, as autoridades têm salientado que uma das condições para o reinício das aulas consiste em que nestas duas regiões não tenham sido registados novos casos nos últimos 14 dias consecutivos, sendo que, neste momento, não há registo de qualquer novo caso há mais de 20 dias consecutivos nestas duas regiões.

O Chefe do Departamento, Wong Kin Mou sublinhou que os estudantes que estão no Interior da China devem regressar a Macau o mais rápido possível ou regressar ao local de residência como cidades de Zhuhai e de Zhongshan, a fim de aplicar melhores medidas de gestão da saúde e preparar bem para o reinício das aulas. A DSEJ está, em conjunto com as autoridades de saúde e as escolas, a elaborar as orientações sobre a prevenção da epidemia após o regresso das aulas, tendo em consideração diversos aspectos. No que diz respeito ao “Plano de fornecimento de máscaras aos residentes de Macau”, sejam cobertos ou não os estudantes do ensino secundário que frequentam cursos no exterior, estão actualmente em fase de estudo.

A Chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Dra. Inês Chan referiu que neste momento estão ainda na província em Hubei 121 residentes de Macau e os seus familiares. 259 pessoas estão submetidas a isolamento no Hotel “Pousada Marina Infante”, dos quais 231 são trabalhadores não residentes, 28 residentes de Macau e de outras nacionalidades. Além disso, até à presente data, 11 trabalhadores não residentes da RAEM concluíram o isolamento por 14 dias e entraram no mercado de trabalho de Macau. Durante a conferência de imprensa, ela apresentou a situação de alerta de viagens de Macau, referindo que o GGCT emitiu hoje um Alerta de Viagem - Nível 2 para Japão, França, Alemanha e Espanha.

O Chefe da Divisão de Ligação entre Polícia e Comunidade e Relações Públicas, Lei Tak Fai relatou a situação geral sobre a segurança de sociedade, a ordem nos postos de venda de máscaras e a entrada e saída em Macau, etc...

Nos termos da Lei de prevenção, controlo e tratamento de doenças transmissíveis e respectivas orientações, desde 10 de Março, até à meia-noite, os 2.666 visitantes provenientes das áreas de alta incidência e 1.707 visitantes foram transferidos pela CPSP a dois postos temporários, no Fórum de Macau e no Terminal Marítimo de Passageiros da Taipa, para serem submetidos a exames médicos. Entre os quais 192 visitantes recusaram exames e optaram por regressar ao Interior da China. Nenhum residente de Macau foi encaminhado para exames médicos devido a deslocações diárias frequentes e anormais entre Macau e o Interior da China.

No dia 10 de Março, o número total de entradas e saídas de Macau foi de 78.000, tendo registado uma tendência ascendente nas últimas duas semanas.

Estiveram presentes na conferência de imprensa o médico adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Lo Iek Long, o chefe do Departamento de Estudos e Recursos Educativos da DSEJ, Wong Kin Mou, a chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Dra. Inês Chan, o chefe da Divisão de Ligação entre Polícia e Comunidade e Relações Públicas, Lei Tak Fai e a coordenadora do Centro de Prevenção e Controlo da doença, Dra. Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar