Em cumprimento rigoroso das instruções sobre prevenção da epidemia, encontram-se abertas a partir de hoje 16 de Março as inscrições para a primeira fase da “ formação subsidiada”

Plano para aumento de aptidões e formação profissional

Em cumprimento rigoroso das instruções sobre prevenção da epidemia, a Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais (DSAL), tendo em conta o impacto causado pela epidemia no emprego dos residentes, lança a primeira fase do Plano de “formação subsidiada”. Os indivíduos que preenchem os requisitos para participar nas sete modalidades de cursos da primeira fase, podem fazer a sua inscrição online ou pessoalmente entre os dias 16 e 23 de Março.

São destinatários do Plano os residentes de Macau com idade igual ou superior a 18 anos que se encontram desempregados devido à epidemia ou os trabalhadores por conta própria que exercem uma determinada profissão no sector do turismo (guias turísticos, taxistas e condutores de veículos pesados de passageiros) e trabalhadores do sector de convenções e exposições. Cada modalidade dos cursos tem diferentes requisitos de admissão consoante as características do sector, sendo que os participantes podem fazer a sua opção de acordo com os seus interesses de emprego.

Na primeira fase as aulas serão leccionadas em locais ao ar livre e as aulas da próxima fase iniciar-se-ão gradualmente consoante a evolução da epidemia

As aulas dos cursos que, nesta primeira fase, têm condições para serem desenvolvidos foram todas programadas para serem leccionadas em locais de formação ao ar livre ou em estabelecimentos de formação com espaço suficiente. Estes cursos, com um total de 300 vagas, terão início no final do mês de Março e compreendem sete modalidades: soldador, carpinteiro, chefia de ajudante de obras, assistente de operações de gruas montadas em camiões, electricista, pintor e revestidor de paredes e estucador. As aulas dos cursos de outras áreas também irão sendo iniciadas gradualmente, sendo que, ter-se-á em consideração a situação mais recente da epidemia e a garantia de condições de higiene e segurança.

Considerando que aqueles indivíduos poderão provavelmente sentir uma determinada pressão económica devido ao impacto da epidemia, será concedido um subsídio de formação até 6 656 patacas, após a conclusão da formação. Os formandos que tiverem uma taxa de presença igual ou superior a 80% e participarem nos exames do curso, e tiverem concluído o registo de emprego na DSAL e aceitado o encaminhamento profissional, receberão um subsídio proporcional a essa taxa.

São abrangidas sete grandes áreas, mais de 20 tipos de trabalho com 2000 vagas

O “Plano” completo abrange sete grandes áreas, designadamente a de construção e manutenção de instalações, máquinas pesadas, restauração, transportes, venda a retalho, serviços de cuidados pessoais e convenções e exposições, envolvendo mais de 20 tipos de trabalho e fornecendo cerca de um total de 2 000 vagas.

Alguns cursos são realizados em combinação com a obtenção de certificados, podendo os formandos, através de exame, obter os certificados de técnicas para elevarem as suas oportunidades de emprego. Durante os cursos, proceder-se-á de imediato ao respectivo trabalho de conjugação de emprego. Por outro lado, o Plano também contou com o apoio da Associação das Empresas Chinesas de Macau, sendo que as respectivas empresas chinesas de construção civil relevantes irão disponibilizar postos de trabalho correspondentes ao contéudo de formação, esperando que os formandos possam ter imediatamente o seu posto de trabalho após a conclusão do curso, permintindo assim uma ligação estreita entre a formação e o emprego e atingindo o objectivo de “auto-suficiência e não dependência”.

“Auto-sufiência e não dependência” e ligação entre a formação e o emprego

O Plano de “formação subsidiada” é um “Plano para aumento de aptidões e formação profissional” com atribuição de subsídio através da modalidade “Trabalho como forma de assistência”. Este Plano destina-se a ajudar os trabalhadores locais afectados, a atenuar a pressão económica causada pela epidemia e a contribuir para o aumento das suas técnicas profissionais. Após a conjugação dos interesses dos formandos, a DSAL faz o respectivo encaminhamento profissional, estabelecendo uma correspondência entre a formação e o emprego, a fim de prestar apoio na integração no respectivo posto de trabalho.

A organização dos cursos contou com a assistência dos parceiros sociais que prestaram apoio no fornecimento dos programas dos cursos para que o conteúdo da formação esteja em consonância com a realidade dos sectores. As associações e instituições coorganizadorassão a “Federação das Associações dos Operários de Macau” (FAOM), “Associação Geral dos Operários de Construção Civil de Macau”, “Associação Geral dos Empregados do Ramo de Transporte de Macau”, “Associação dos Profissionais de Salões de Cabeleireiro e de Beleza de Macau”, “Associação de Engenharia e Construção de Macau”, “Associação dos Proprietários de Máquinas de Construção Civil de Macau”, “Centro de Produtividade e Transferência de Tecnologia de Macau Associação de Engenharia e Construção de Macau”, “Instituto de Formação Turística de Macau”e “Instituto para o Desenvolvimento e Qualidade”.

Ajustamento da mentalidade para responder às mudanças através da evolução, transformando essas mudanças em oportunidades

Para enfrentar os desafios trazidos pela epidemia ao mercado de trabalho, os trabalhadores dos diferentes sectores devem, activamente, elevar as suas próprias aptidões profissionais, aumentar a sua capacidade de resposta às mudanças do mercado de trabalho e ajustar adequadamente a sua mentalidade, para serem capazes de se adaptar às mudanças através da evolução e transformando essas mudanças em oportunidades. Devem ainda desenvolver técnicas diversificadas, tendo em consideração múltiplas possibilidades em termos de saídas profissionais.

Inscrição online ou pessoalmente

Os indivíduos que preenchem os requisitos para participar nas sete modalidades de cursos da primeira fase, podem inscrever-se entre os dias 16 e 23 de Março (incluindo sábado e domingo, devendo ser consultado o horário de trabalho dos locais de inscrição na página electrónica do Plano), através das seguintes formas:

I – Pessoalmente nos seguintes locais:

  1. Sede da DSAL (Avenida do Dr. Francisco Vieira Machado, nos 221 a 279, Edifício “Advance Plaza”, R/C)
  2. Centro de Formação Profissional da DSAL (Istmo de Ferreira do Amaral nos 101-105A, Edifício Industrial “Tai Peng” 1ª Fase, R/C)
  3. Associação Geral dos Operários de Construção Civil de Macau (Estrada Marginal do Hipodromo, n° 64, Edf. Industrial Lee Cheung, 1° andar)
  4. Centro para o desenvolvimento de carreiras da FAOM (Istmo de Ferreira do Amaral nos 101-105A, Edifício Industrial Tai Peng, 1ª Fase, 1º andar)
  5. Centro de Apoio aos Operários da Zona Norte da Associação Geral de Operários de Macau(Rua Nova da Areia Preta n°183, Edifício U Wa, Bloco 1, R/C, Loja B)
  6. Posto de serviços aos Operários de Cheng I da Associação Geral de Operários de Macau (Ilha Verda, Travessa Norte do Patane, n.°102, Edifício Cheng I, Bloco 1, GF andar, sala F)

II- Online na página electrónica:

  1. https://www.dsal.gov.mo/zh_tw/standard/fm_plan4.html

III- Linha para consulta

  1. Telefone: 82914888 (Centro de Formação Profissional da DSAL)

Os cursos serão ministrados em língua chinesa e a selecção será feita de acordo com os requisitos dos diferentes cursos.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar