Macau regista 30 dias consecutivos sem casos confirmados de COVID-19 – As políticas para a entrada em Zhuhai mantêm-se inalteradas, titular do resultado do ácido nucleico não está isento da observação em isolamento

Conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus do dia 8 de Maio.

O Médico-Adjunto da Direcção do Centro Hospitalar Conde de São Januário (CHCSJ), Dr. Lo Iek Long, fez nota na conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus que já passaram trinta (30) dias desde que foi diagnosticado o último caso de pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus. Por quarenta e um (41) dias consecutivos não foi registado nenhum caso relacionado com casos importados. Macau tem um total de quarenta e cinco (45) casos diagnosticados, dos quais, quarenta e três (43) são casos importados e dois (2) são casos relativos a casos importados. Não há registo nem ocorrência de transmissão comunitária em Macau. Quarenta e quatro (44) casos são classificados com sintomas ligeiros e um (1) como caso grave. Até ao momento não foram registados em Macau casos mortais.

No total quarenta (40) doentes recuperaram e tiveram alta hospitalar. Há, ainda, cinco (5) doentes internados, que são considerados casos ligeiros, encontrando-se em estado estável, sem dificuldades respiratórias, não necessitando de oxigénio. Todos os indivíduos considerados contactos próximos em vigilância concluíram as medidas de isolamento. Os cinco (5) doentes internados estão a receber tratamentos na enfermaria de isolamento do Centro Clínico de Saúde Pública. Quinze (15) pessoas estão sujeitas a isolamento de convalescença no Centro Clínico de Saúde Pública; neste momento, não está ninguém internado no Centro de Isolamento Provisório, situado no Complexo de Cuidados de Saúde das Ilhas. Nas últimas 24 horas, foram analisadas, pelo Laboratório de Saúde Pública, 1.334 amostras.

O “Plano de Teste Regular de Ácido Nucleico de COVID-19” destinado aos residentes de Macau teve início às 09h00 do dia 7 de Maio. Em resposta às referidas perguntas, o Médico-Adjunto Dr. Lo Iek Long manifestou que, a prestação de serviço de exames é feita através da cooperação entre os Serviços de Saúde e a “Companhia de Higiene Exame Kuok Kim (Macau) Limitada”. Ao nível dos Serviços de Saúde, até às 12h00 de hoje (nas últimas 24 horas), foram realizados 1.334 testes de de ácido nucleico. Com o intuito de facilitar a deslocação dos cidadãos ao local de amostragem para a prestação de testes de ácido nucleico, situadono Terminal Marítimo de Passageiros daTaipa(Entrada do Edifício de Gestão Portuária da Direcção dos Serviços de Assuntos Marítimos e de Água), foram disponibilizadas as informações relativas aos itinerários dos autocarros (Cfr. foto anexada) no Sistema da Reserva Online. Além disso, também irão ser colocadas as placas indicativas in loco, de forma a que os cidadãos possam facilmente identificar a entrada.

Além disso, enfatizou-se especialmente que a autoridade de saúde presta o serviço de teste de ácido nucleico aos residentes de Macau que necessitam de cruzar a fronteira, não quer dizer que estejam isentos de cumprir a observação médica de quarentena por um período de 14 dias. Referiu ainda que as políticas para a entrada em Zhuhai dos residentes de Macau não foram alteradas, em que o Governo da RAEM só fornece o serviço de teste de ácido nucleico e os residentes devem prestar atenção se pertencem ou não à categoria com isenção do isolamento médico à entrada de Zhuhai.

A respeito da isenção universal das taxas do teste de ácido nucleico, o Dr. Lo Iek Lon indicou que o Governo da RAEM irá prestar serviços de testes de ácido nucleico com a dispensa de pagamento de taxas para grupos-chave, para a prevenção e controlo de epidemia, nomeadamente, pessoal docente e discente prepararem o reinício das aulas, funcionários das instalações de serviço social, os estudantes e professores transfronteiriços. Se todas as pessoas ficarem isentas de taxas, é necessário considerar a questão do uso racional de recursos públicos. Com base na população existente em Macau, é estimado o dispêndio de uma quantia supeior a 100 milhões patacas numa semana. Actualmente, o objectivo das medidas que facilitam a entrada e a saída dos postos fronteiriços é limitado e não se perspectiva uma situação de incentivo da procura de testes devido à sua gratuitidade. Caso contrário, o objectivo da política de prevenção de epidemia pode ser contraproducente. Além disso, as autoridades definirão cuidadosamente grupos-chave para realizarem um único teste de ácido nucleico. Na presente fase, mais de 11.000 professores e estudantes do ensino primário e secundário, mais de 3.100 funcionários das instalações de serviço social e mais de 330 pescadores foram testados e todos os resultados foram negativos. Além disso, as pessoas que permaneçam em locais fechados e com aglomeração de pessoas, tais como, hospitais, prisões e lares, serão testadas como uma medida permanente.

Relativamente à revisão das políticas e medidas com vista a facilitar o regresso dos residentes no exterior a Macau, o Dr. Lo Iek Lon salientou que o Governo da RAEM acolherá de bom grado o seu regresso a qualquer momento. No entanto, em resposta à epidemia global, além da adopção de medidas de restrição locais, há que ter em conta os vários graus de restrições nos transportes, nas políticas de imigração e de inspecção implementadas pelos diversos países e regiões. Acredita que à medida que a epidemia global se atenua, os residentes de Macau no exterior tenham alternativas mais convenientes para regressar a Macau.

Relativamente à questão sobre a pesquisa de transmissão da pneumonia causada pelo COVID-19 por via ocular, o Dr. Lo Iek Lon apontou que as vias de transmissão da pneumonia causada pelo COVID-19 são, principalmente, as gotículas e o contacto. Por conseguinte, as autoridades sempre sublinharam que os olhos também são um factor a ser observado e a higienização das mãos é importante, e apelam aos residentes a lavarem as mãos antes de tocar nos olhos, nariz e boca. Relativamente ao facto da circulação de pessoas em Macau estar a tornar-se mais activa, o Dr. Lo Iek Lon disse que Macau há um risco relativamente baixo em comparação com os dias anteriores, mas acrescentou que o risco sempre existe, a razão pela qual apelou aos residentes a tomarem as medidas de higiene pessoal ao sair, evitarem a aglomeração de pessoas, prestarem atenção à manutenção de uma distância social de um metro e usarem a máscara. Espera também que os residentes se protejam e reduzam o risco de infecção, tanto para se protegerem a si próprios quanto para ajudarem a sociedade inteira a combater a epidemia.

A Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou, informou que, no dia 7 de Maio, houve mais cinco (5) indivíduos submetidos à observação médica, quatro (4) dos quais são residentes de Macau e um (1) não residentes de Macau. Até ao dia 7 de Maio, foram enviados, no total, para a observação médica 4.168 indivíduos. Noventa e seis (96) indivíduos estão ainda em observação médica, dos quais oitenta e quatro (84) em hotéis designados, onze (11) em embarcações de pesca e um (1) em instalações dos Serviços de Saúde. Além disso, em resposta às perguntas levantadas pelos jornalistas, indicou que, por enquanto, a lista das zonas de alta incidência do Interior da China não foi alterada, incluindo: Guangdong, Henan, Zhejiang, Chongqing, Pequim, Shanghai. Os Serviços de Saúde irão proceder ao ajustamento consoante a situação epidémica e divulgar junto do público se houver alterações. Além disso, chama a atenção dos cidadãos que o serviço retomado para o autocarro de ligação dos postos fronteiriços através da ponte - linha de Hong Kong e Macau (autocarro dourado)- é prestado de forma limitada, sendo apenas um meio de transporte entre as duas regiões, reiterando que, a política de isolamento da entrada à fronteira entre Hong Kong e Macau permanece inalterada.

A Chefe de Departamento dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, deu informações sobre o número de pessoas em observação médica em hotéis designados pelo Governo e respondeu sobre as situações relacionadas com os pedidos de apoio formulados pelos estudantes de Macau no Reino Unido para regressarem a Macau em Junho, a inspecção de restaurantes, a consulta e a assistência dos residentes de Macau no exterior, etc.

O Chefe da Divisão de Ligação entre Polícia e Comunidade e Relações Públicas, Lei Tak Fai, referiu o encaminhamento dos visitantes provenientes de áreas de alta incidência para os postos de exame médico temporários, a actual situação da cidade e a situação de entradas e saídas de Macau, respondendo também às perguntas levantadas pelos jornalistas.

Estiveram presentes na conferência de imprensa, o Médico-Adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Lo Iek Long, a Chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, o Chefe da Divisão de Ligação entre Polícia e Comunidade e Relações Públicas, Dr. Lei Tak Fai e a Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar