O 31º Festival de Artes de Macau tem como tema “Reiniciar”

Cobra Branca

O 31º Festival de Artes de Macau (FAM), organizado pelo Instituto Cultural, que tem como tema “Reiniciar”, decorrerá entre 30 de Abril e 29 de Maio, apresentando um total de 20 programas de teatro, dança, música e artes visuais e estando o melhor ainda por vir.

Devido ao surto da Pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus, o 31º Festival de Artes de Macau foi adiado para Maio deste ano. Como a pandemia global não mostra sinais de abrandar, o Festival de Artes de Macau deste ano irá privilegiar as produções do Interior da China e de Macau, aliados ainda ao Festival Extra na comunidade, perfazendo um total de cerca de 100 de actuações e actividades de extensão, a fim de continuar a construir uma plataforma de apresentação e intercâmbio, ampliar a visão artística e a apreciação estética do público.

O espectáculo Cobra Branca apresenta estética e inovação e o espectáculo de encerramento Tirando Licença apresenta a fragilidade e a eternidade da vida

A Grande Abertura Cobra Branca apresentado pelo Estúdio de Teatro Lin Zhaohua, de Beijing, redesenha os personagens do popular conto chinês A Lenda da Cobra Branca de forma artística e imaginativa, combinando teatro, música, dança e arte multimédia. O espectáculo de encerramento Tirando Licença é uma produção adaptada da peça homónima do dramaturgo americano Nagle Jackson, apresentada pelo Teatro Nacional da China. Nesta peça, o encenador de 1ª classe a nível nacional Wang Xiaoying lidera os actores para interpretar a história de um experiente actor, outrora aclamado pelas suas interpretações do Rei Lear, que se aproxima do fim da sua vida, vagueando frequentemente entre o mundo real e o delírio, a fim de testemunhar com o público a fragilidade e a eternidade da vida.

Principal companhia de dança moderna mostra impacto artístico, o clássico O Sonho da Câmara Vermelha espalha inovação

O Grupo de Dança e Teatro Jin Xing de Xangai, uma das principais companhias de dança moderna da China, aclamada pela crítica como “uma peça importante na história da dança chinesa”, apresenta duas obras Flôr Silvestre e Trindade. Em Flôr Silvestre, os dançarinos interpretam a existência tenaz de uma flor selvagem através da dança e de movimentos ininterruptos em estilo rápido, libertando de amarras do corpo e da mente. O espectáculo Trindade reúne as criações de três coreógrafos de renome, Jin Xing, Emanuel Gat e Arthur Kuggeleyn, onde as dançarinas exploram a coragem e a força das pessoas, a existência independente das mulheres e o espaço fisiológico dentro dos movimentos físicos distintos de cada uma delas, inspirando as sensibilidades artísticas de vanguarda e uma visão de futuro.

A ópera Huangmei faz parte do Património Cultural Intangível Nacional. O Teatro de Ópera Huangmei de Anhui apresenta uma nova produção da peça clássica O Sonho da Câmara Vermelha. Nos anos 90 do século passado, com Yu Qiuyu e Chen Xiting como o núcleo da equipa criativa, a ópera foi protagonizada por Ma Lan, entre outros artistas, que inovaram os clássicos sob uma nova perspectiva. A peça ganhou reputação instantaneamente e assim se tornou uma peça reservada no teatro. No palco do FAM, a peça será representada pela nova geração de actores da ópera de Huangmei, transmitindo tradição e inovação.

Festival de Artes de Macau proporciona uma plataforma de exibição e intercâmbio, mostrando a diversidade cultural de Macau

O Festival de Artes de Macau proporciona uma plataforma de exibição e intercâmbio que tem vindo a testemunhar o desenvolvimento profissional de vários grupos artísticos locais, os quais irão ilustrar a diversidade cultural de Macau, de múltiplas e diferentes perspectivas. Dança do Dragão Embriagado, apresentada por Four Dimension Spatial na forma de um teatro de dança, integra a dança do dragão embriagado, que é uma actividade tradicional do festival, com dança contemporânea; o teatro documentário Vejo-te através de Memórias da Associação de Workshops de Arte Experimental Soda-City explora o passado e o presente deste bairro intimamente ligado ao mar, passando também em revista as transformações da cidade; Duo de Dança mostra a transformação de uma década da dançarina de Macau Kam Hiu Lam, apresentando o diálogo em forma de dança entre o dançarino Kam Hiu Lam e coreógrafa Chou Shu-Yi e a criação conjunta com Wang Yuanqing; A Tarefa Interminável da Luxúria pelo Fracasso apresentada pela Associação de Arte e Cultura Comuna de Pedra cria uma mapa de visão de mundo para além dos idiomas, rótulos e deficiências dos portadores de necessidades especiais; os espectáculos Guia da Propriedade na Casa de Lou Kau de Jay Lei e Shuk Man Lee e Pequeno Escape de Lei Sam I, estreados no Festival Fringe da Cidade de Macau, foi recomendado pelos conselheiros artísticos do Festival Fringe da Cidade de Macau para ser reencenado no Festival de Artes de Macau.

Festival de Artes de Macau dá os bons tempos às famílias e introduz vitalidade na cultura tradicional

O FAM incentiva pais e filhos a experimentarem em conjunto momentos felizes com arte. No Outro Lado de Macau – Uma aventura mágica é apresentada por Bernardo Amorim, um artista plástico e de multimédia radicado em Macau. Recorrendo a marionetas e videomapping, uma narrativa mágica ganha vida. O Jogo Coloane da Dream Theatre Association propõe uma visita guiada por ruelas de Coloane, experienciando o espírito de entreajuda das pessoas e a prosperidade e declínio da indústria de construção naval. Mostra de Espectáculos ao Ar Livre que tem lugar no Jardim do Mercado do Iao Hon, apresentando maravilhosos espectáculos durante três noites consecutivas e injectando vitalidade na comunidade através das artes. Este ano, estarão também disponíveis o Mundo da História das Crianças e várias actividades de exploração da arte, estando todos convidados a participar no maravilhoso mundo da arte.

Injectando vitalidade artística na cultura tradicional, as crianças da Escola de Teatro do Conservatório de Macau e jovens alunos do Curso de Representação de Ópera Cantonense sobem ao palco para apresentar a Ópera Cantonense da Juventude Montanha Jiufeng. Combinando o patuá com a cultura e a actualidade, Patrám pa unga Dia (Patrão por um Dia) é uma hilariante e singular produção de teatro em patuá, apresentada pelo Grupo de Teatro Dóci Papiaçám di Macau, que promete casa cheia e um serão de muito riso. A Orquestra de Macau e a Orquestra Chinesa de Macau apresentam respectivamente os clássicos de Mozart e de um banquete musical combinado cultura tradicional chinesa com estética moderna, realizando um diálogo musical entre o Oriente e o Ocidente.

Exposição de cenografia transcende dimensão e tempo, a arte da fotografia inspira a expressão e a criatividade contemporâneas

Ren Dongsheng, cenógrafo de 1ª classe a nível nacional, viaja no tempo e no espaço, explorando o design de palco com um espírito de artesão. Ao rever frequentemente o estilo, as cores e as técnicas, ele criou uma serie de obras transcendentes, poéticas, vividas e pioneiras que, em simultâneo. “Imagens e Espaço: Exposição de Cenografia de Ren Dongsheng” levará o público a transcender as dimensões espaciais e experimentar o encanto da cenografia. Baptiste Rabichon, um artista fotográfico francês contemporâneo emergente, apresentará “Um Quarto com Vista: Exposição de Fotografia de Baptiste Rabichon”, cujos trabalhos com uma técnica que combina elementos tradicionais e inovadores, dando a conhecer a expressividade da fotografia e explorar as possibilidades da criação artística.

Os bilhetes para o 31º FAM estão disponíveis na Bilheteira Online de Macau a partir das 10:00 horas do dia 28 de Março (Domingo). O FAM deste ano introduz diversos canais de venda, incentivando os residentes a usufruir da conveniência da governação electrónica. Esta edição do FAM conta com o apoio da Direcção dos Serviços de Turismo, TDM – Teledifusão de Macau, S.A., Companhia de Transportes Aéreos Air Macau, S.A.R.L. e MGM.O Festival de Artes deste ano tem o apoio da Direcção dos Serviços de Turismo do Governo da RAEM, TDM, Air Macau e MGM. Página electrónica do FAM: www.icm.gov.mo/fam; email: fam@icm.gov.mo. Para mais informações sobre os programas, é favor contactar o IC através do telefone n.º 8399 6699, durante o horário de expediente. Linhas directas de reservas 24-horas: 2855 5555 (Macau); 2380 5083 (Hong Kong) e 139 269 11111 (Interior da China). Website de reserva de bilhetes em www.macauticket.com. O IC seguirá estritamente as diretrizes antiepidémicas das autoridades de saúde e implementará as medidas apropriadas para as atividades culturais. Todos os participantes devem usar máscaras faciais, submeter-se à medição da temperatura corporal e apresentar o Código de Saúde de Macau válido do dia.

A apresentação do programa do 31º Festival de Artes de Macau teve lugar no dia 23 de Março, pelas 15:30 horas, no The Vista do MGM COTAI, e foi transmitida ao vivo online por diversos meios de comunicação da Grande Baía, contando com a presença da Presidente do Instituto Cultural, Mok Ian Ian, da Chefe do Departamento de Planeamento e Desenvolvimento da Organização da Direcção dos Serviços de Turismo do Governo da RAEM, Ma U Leng; do Presidente, Director Estratégico e Financeiro da MGM China Holdings Limited, Kenneth Feng; do Vice-Director Geral da Sucursal de Macau do Banco da China, Chan Hio Peng; Vice-Presidente da Companhia de Transportes Aéreos Air Macau, S.A.R.L., Liao Hanxi; do Membro da Comissão Executiva da Teledifusão de Macau, S.A., Lei Pek Ieng; da Chefe do Departamento de Desenvolvimento das Artes do Espectáculo do IC, Iu Wai Man; da Chefe da Divisão de Actividades das Artes do Espectáculo do IC, Chou Wai In e de representantes de grupos artísticos participantes, entre outros.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar