Doentes que manifestem febre de origem desconhecida à entrada dos hospitais são submetidos a Teste de Ácido Nucleico Marcação imediata da vacina inicia a 2 de Junho

Conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus

A Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, Dra. Ao Ieong U, presente na conferencia de imprensa do Centro de Coordenação, afirmou que devido ao aparecimento sucessivo de casos em Cantão (Guangzhou), Foshan e Shenzhen, o Governo da RAEM apela a todos os residentes que não se desloquem a estas áreas a menos que seja estritamente necessário. O apelo visa evitar situações semelhantes à ocorrida com um residente de Macau, que por ter estado próximo de uma pessoa infectada, quando se deslocou à cidade de Cantão (Guangzhou), foi sujeito a observação médica e outros 31 residentes de Macau que também estiveram na mesma viajem estão agora submetidos a diversas medidas preventivas, incluindo testes de ácido nucleico e testes sorológicos. Esta situação pode ter impacto na segurança da comunidade.

A Dra. Ao Ieong U afirmou ainda que existem casos de pessoas doentes que após alguns meses de recuperação tiveram uma recaída, pelo que é difícil garantir que não possam existir casos locais em Macau. A população dever tomar medidas preventivas.

A Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura apelou ainda a todas as pessoas que fazem a passagem transfronteiriça para que usem os diferentes Postos Fronteiriços para evitar uma grande aglomeração de pessoas nas fronteiras entre Macau e Interior da China, pois nos últimos dias tem havido registo de um grande congestionamento nas fronteiras e isso não adequado. A aglomeração de pessoas nos postos fronteiriços pode aumentar o risco de transmissão do vírus. A Dra. Ao Ieong U alertou , a propósito, que se for diagnosticado um caso local em Macau, será activado o mecanismo de interrupção de alívio das restrições, o que afectará a passagem normal nas fronteiras e haverá um impacto maior para os residentes. O mecanismo de interrupção de alívio das restrições é dividido em dois níveis e classifica as áreas de médio risco. Serão tomadas medidas de separação de área e classificação:

1) Caso ocorra uma epidemia em determinada área, todos os residentes dessa área não podem entrar e sair normalmente entre Macau e Interior da China.

2) Caso ocorram 10 casos locais, o mecanismo de interrupção do alívio das restrições será implementado de forma total.

A Dra. Ao Ieong U salientou que o Governo da RAEM não quer que situação aconteça.

A Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura também mencionou que o número de pessoas que agendaram a administração da vacina contra a COVID-19 aumentou muito nos últimos dias. Na semana passada, foram registadas 48.116 marcações da vacinação um agendamento diário que variou entre as 7.300 a 8.600 pessoas por dia, sendo este um pico desde o início do plano de vacinação. A Dra. Ao Ieong U manifestou estar satisfeita com a actual situação e reiterou que a administração da vacina contra a COVID-19 é a forma mais eficaz das pessoas se protegerem, apelando que todas as pessoas devem administrar a vacina para que seja criada uma barreira imunológica da comunidade e esta possa ser estabelecida o mais rápido possível para proteger de forma mais eficaz toda a população de Macau.

A Dra. Ao Ieong U mencionou que a Direcção dos Serviços de Educação e de Desenvolvimento da Juventude lançou um sistema que permite aos estudantes de Macau que se encontram fora de Macau registar a sua intenção de regressar a Macau e que o Governo da RAEM prevê abrir o sistema de registo a todos os residentes de Macau que se encontrem fora de Macau. As disposições específicas serão anunciadas oportunamente.

Em resposta a perguntas de Jornalista, a Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, Dra. Ao Ieong U, afirmou que as pessoas que entram e saem de Macau não conseguem mudar com sucesso o Código de Saúde da Província de Cantão (Guangdong), podem usar directamente o Código de Saúde de Macau, que também pode ter o mesmo efeito, e apela ao público para fazer a mudança do Código de Saúde antes de viajar.

A Dra. Ao Ieong U disse ainda que os departamentos das duas regiões mantêm uma comunicação estreita, caso haja algum caso que necessite de rastreio, a situação será imediatamente comunicada e o seguimento não será perdido devido a problemas informáticos.

Em relação às perguntas sobre vacinas, a Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, Dra. Ao Ieong U, disse que a quantidade de vacinas de mRNA adquiridas é suficiente, mas devido ao curto prazo de validade das vacinas de mRNA, os fornecedores serão obrigados a fornecer pequenas quantidades de acordo com a procura estimada. As autoridades estão em articulação com os fornecedores para a disponibilização de vacinas de acordo a utilização diária, mas isso não exclui que haja um intervalo entre o prazo de entrega e as reais necessidades pelo que pode existir momentaneamente a uma situação em que não existem vacinas; Nessa situação as 700.000 doses de vacinas inactivadas adquiridas pelo Governo da RAEM à Sinopharm podem ser administradas.

Quando questionado se Macau consideraria a flexibilidade das restrições de entrada e saída entre Macau e Hong Kong, a Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, Dra. Ao Ieong U, reiterou que em Hong Kong deve manter durante pelo menos 14 dias consecutivos o registo de zero (0) casos locais antes de se discutir as medidas de facilitação para entrada e saída. O Governo da RAEM sempre manteve uma comunicação estreita com Hong Kong. Hong Kong encontra-se actualmente classificada como área de médio risco, pelo que as pessoas que pretendam entrar em Macau provenientes de Hong Kong necessitam de cumprir uma quarentena de pelo menos 14 dias, não havendo de momento nenhuma condição que permita a flexibilização das medidas de passagem nas fronteiras entre as duas regiões.

Durante a Conferencia de Imprensa o Director dos Serviços de Saúde,Dr.AlvisLo Iek Long anunciou que a partir desde segunda-feira (31 de Maio), à excepção dos doentes com causas determinadas todos os demais que manifestem febre de origem desconhecida e recorram ao Centro Hospitalar Conde de S. Januário, Hospital Kiang Wu e Hospital da Universidadede Ciência e Tecnologia deMacau, independentemente de terem histórico de viagens ou alto risco de exposição ocupacional, etc., serão submetidos ao teste de ácido nucleico.

Caso os sintomas sejam decorrentes de um factor clínico facilmente identificável o doente não necessita de ser submetido ao teste de ácido nucleico. Por exemplo, caso um doente com apendicite aguda, também apresenta febre e o médico diagnostica os sintomas com clareza, o doente nesta situação não será obrigado a fazer o teste de ácido nucleico. As novas medidas visam detectar potenciais novos casos da COVID-19 o mais cedo possível. Nestas situações o código de saúde de todas as pessoas testadas ficarão de cor amarela e serão obrigadas a ficar em casa para descansar, evitar o uso de transporte e ir a lugares com aglomeração de pessoas, até que seja divulgado o resultado do teste. Se o resultado for negativo o código de saúde voltará a ser verde, permitindo às pessoas o reinício das suas actividades normais.

Nas respostas dos jornalistas, o Director Dr. Lo Iek Long referiu que, medidas apropriadas serão tomadas a indivíduos de níveis de diferentes riscos. O nível o mais alto destina-se a doentes diagnosticados e doentes assintomáticos. O Segundo nível destina-se a contactos próximos, o residente de Macau que esteve próximo (com a distância de 3 metros) ao paciente assintomático da Cidade de Cantão, não foi considerado como contacto próximo, eles só estiveram durante um curto período de tempo no mesmo caminho não tendo existido um alto risco de infecção. Por motivo de segurança, este residente de Macau foi submetido ao Centro Clínico de Saúde Pública de Coloane para a observação médica em isolamento durante 14 dias após o último contacto com o infectado assintomático da Cidade de Cantão. O Dr. Lo Iek Long, explicou ainda que os restantes 31 residentes de Macau só se deslocaram à mesma área turística, em geral, não sendo necessário aplicar medidas preventivas de observação mas as autoridades solicitaram que estas pessoas possam efectuar 3 testes de ácido nucleico e 2 testes de IgG, IgM anticorpo.

O Director dos Serviços de Saúde Dr. Alvis Lo Iek Long apontou que, as estratégias de prevenção de epidemias de “Prevenção de casos importados e de ressurgimento de epidemia no interior” mantêm-se inalteradas em Macau. A autoridade irá ajustar as políticas de prevenção de epidemia de forma constante, de acordo com a epidemia de vários locais. Apelando de novo, à população que, devem ser vacinados antes de chegada de epidemia. Caso contrário, caso ocorra uma situação epidémica os serviços de saúde não só necessitam de combater à epidemia, mas também têm que lidar com o aumento repentino da necessidade de vacinação, isto agravará o trabalho de prevenção. As duas doses da vacina só produzem anticorpos suficientes após 14 dias.

O Dr. Tai Wa Hou relatou que, até ao dia 31 de Maio de 2021, nunca houve uma transmissão comunitária da COVID-19 em Macau e por 428 dias consecutivos não são registados casos locais de transmissão da COVID-19 (incluindo casos de infecção assintomática) e já passaram 6 dias sem detecção de novos casos importados. Macau diagnosticou, até à data, cinquenta e um (51) casos, dos quais, quarenta e nove (49) são casos importados e dois (2) são relacionados com casos importados. Quarenta e nove (49) pessoas tiveram alta. Não há registo de qualquer infecção entre os profissionais de saúde nem casos mortais.

No Centro Clínico de Saúde Pública de Coloane estão internadas duas pessoas do caso importado de recaída de infecção assintomática, e uma pessoa, caso diagnosticado (no exterior) de recaída de infecção assintomática, e dez (10) indivíduos provenientes de áreas de alto risco sujeitos a observação.

Entre 24 e 30 de Maio de 2021 (nos últimos 7 dias) foram testadas em Macau 87.383 pessoas. Até às 16h00 de 31 de Maio, cumulativamente, já foram administradas 173.404 doses da vacina num total de 108.989 pessoas vacinadas, entre as quais, 43.870 com a primeira dose da vacina e 65.119 pessoas completaram as duas doses da vacina.

Nas últimas 24 horas, foram registados dois (2) eventos adversos (2 ligeiros; zero (0) grave). Desde o início da vacinação até ao presente momento, houve 751 notificações de eventos adversos (748 ligeiros; três (3) graves).

Entre 24 e 30 de Maio de 2021, foram submetidos a observação médica 586 indivíduos. No total, até ao dia 30 de Maio de 2021, foram enviados para a observação médica 37.712 indivíduos. Há, ainda, 1.318 indivíduos em observação médica, dos quais, 10 indivíduos alojados em instalações dos Serviços de Saúde, e 1.308 indivíduos em hotéis designados.

O Dr. Tai Wa Hou ainda anunciou que devido ao aumento de número de marcação de vacinas a partir de 31 de Maio, a autoridade irá aumentar as vagas de marcação de vacinação no Fórum de Macau até 500 vagas, passando a um máximo de 2.000 vagas por dia.

O coordenador do plano de vacinação informou ainda que para conveniência dos residentes que tenham necessidade urgentes, a partir do dia 2 de Junho, irão ser lançadas medidas de marcação imediata de vacinação nos actuais 15 postos de vacinação em Macau. O sistema de marcação da vacina contra a COVID-19, irá disponibilizar o numero de vagas disponíveis em cada posto de vacinação. Os interessados podem deslocar-se aos postos para fazer uma marcação imediata da vacina no local, mas há prioridade para as pessoas que agendam previamente a inoculação da vacina.

O Dr. Tai Wa Hou anunciou, ainda, as reservas e o uso de vacinas actual. O stock de vacinas de mRNA em Macau é de 20.560 doses, das quais 15.573 são destinadas a pessoas que já administraram a primeira dose e 2.900 pessoas que já agendaram a segunda dose da vacina. Ou seja o stock actual de vacinas de mRNA não é suficiente para satisfazer à necessidade da população. A partir de 31 de Maio, os residentes que pretendam fazem a marcação de administração de vacinas mRNA, é possível que não possam ser inoculados no dia pretendido.

Relativamente à vacina inactivada da Sinopharm há 500.000 doses em stock. Entre estas 145.000 estão destinadas a pessoas que já administraram a primeira dose e 144.000 são para as pessoas que já marcaram a segunda dose da vacina. As restantes 210.000 doses podem ser disponibilizadas a mais 100.000 pessoas e prevê-se que possam ser utilizadas num período de 30 a 70 dias. A autoridade irá monitorizar de perto o consumo de vacinas, adquirir e introduzir as vacinas em tempo oportuno de modo a garantir a segurança da população, e apela que a população marque a vacina de forma precoce.

O chefe do Departamento, Dr. Chan Iok Wai referiu que, a Direcção dos Serviços de Educação e de Desenvolvimento da Juventude está a recolher aintençãode regresso a Macau dos estudantes, através do sistema online da “Recolha de informação sobre a intenção dos estudantes de Macau que estudam no exterior, quanto a regressarem entre Maio e Setembro deste ano”.

Até à data 1.700 pessoas preencheram a sua intenção, dos quais 1.161 estudantes frequentam os cursos em Taiwan e 440 estudantes já compraram bilhetes de avião. Os estudantes que estão em Taiwan e pretendem regressar a Macau em Junho são 459 estudantes e em Julho são 415 estudantes. Há 539 estudantes que estão a frequentar os cursos em outras regiões.

Têm sido recebidas perguntas sobre a actual situação epidémica e as formas de regressar a Macau, vindos do exterior. Desde meados de Maio foram recebidas 146 consultas, 107 sobre os meios de regresso a Macau e as medidas de quarentena, os restantes sobre o preenchimento de intenção de regresso a Macau, estudo, documentocomprovativos de identificação, regresso ao local de estudo, etc..

A Chefe da Divisão de Relações Públicas da Direcção dos Serviços de Turismo., Dr.ª Lam Tong Hou, reportou o número de pessoas em observação médica em hotéis designados.

O Chefe da Divisão de Ligação entre Polícia e Comunidade e Relações Públicas, Dr. Ma Chio Hong, relatou a actual situação da cidade e a situação de entradas e saídas de Macau.

Estiveram presentes na conferência de imprensa: a Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, Dra. Ao Ieong U, o Director dos Serviços de Saúde,Dr.AlvisLo Iek Long, o Coordenador da Vacinação, Dr. Tai Wa Hou, o Chefe doDepartamento de EstudantesdaDirecção dos Serviços de Educação e de Desenvolvimento da Juventude, Dr.Chan Iok Wai,o Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Ma Chio Hong,a Chefe da Divisão de Relações Públicas da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Lam Tong Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar