Turista tentou usar código de saúde falsificado no momento de passagem da fronteira


Os Serviços de Saúde através do pessoal de inspecção sanitária dos Serviços de Saúde no posto fronteiriço detectaram, terça-feira (dia de 13), uma turistaapresentou um código de saúdeonde era exibido um certificado de teste de ácido nucleico com resultado negativo falsificado. O caso foi entregue à polícia para investigação.

Ao meio-dia da terça-feira (dia de 13) uma turista do Interior da China que planeava sair de Macau devido à falta do relatório de teste de ácido nucleico válido foi-lhe solicitado, por um trabalhador da inspecção sanitária, que fosse submetida a um novo teste antes de sair de Macau.

Decorrido cerca de uma meia hora após esta situação a mesma pessoa voltou ao local e ou e apresentou um Código de Saúde de Macau com um relatório negativo de um teste de ácido nucleico válido ao pessoal dos Serviços de Saúde.

Após verificação, foi detectado que a informação exibida no sistema após a leitura do código não coincidia. Como a situação identificada é suspeita de uso de um código de saúde falsificado, o pessoal dos Serviços de Saúde participou imediatamente à polícia.

O sistema automático de entrada e saída nas fronteiras verifica automaticamente se a pessoa que entra ou sai possuiu o código de saúde de cor verde e com um relatório negativo de teste de ácido nucleico válido.

Aqueles que entram e saem pela passagem normal da fronteira, o pessoal da inspecção sanitária dos Serviços de Saúde no posto fronteiriço pode verificar e identificar a autenticidade através do registo indicado após a fazer uma leitura do código de saúde.

Os Serviços de Saúde advertem que a exibição de um código de saúde falsificado é considerada como um acto ilegal, podendo acarretar responsabilidades penais.

Os Serviços de Saúde apelam aos residentes e viajantes para não infringir a lei em vigor.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar