Inauguração de “Arte Macau: Bienal Internacional de Arte de Macau 2021” Navegando num grande jardim de criatividade artística

Inauguração de “Arte Macau: Bienal Internacional de Arte de Macau 2021”

“Arte Macau: Bienal Internacional de Arte de Macau 2021”, foi inaugurada no dia 15 de Julho, no Museu de Arte de Macau. Nessa ocasião, a Exposição Principal “Avanços e Recuos da Globalização” também abriu ao público nesse museu. “Arte Macau”, um mega-evento internacional de arte e cultura realizado ao longo de 4 meses, apresenta um total de 30 exposições de arte em 25 locais, reunindo forças artísticas e culturais de todo o mundo, construindo uma rede artística em toda a cidade e mostrando a criatividade e imaginação através de obras de arte. De Julho a Outubro, Macau irá tornar-se, mais uma vez, um grande jardim de criatividade artística, apresentando ao público uma festa móvel da cidade com vasta variedade de experiências de artes visuais.

A cerimónia de inauguração de “Arte Macau: Bienal Internacional de Arte de Macau 2021” foi presidida pela Assessora Lam Wan Nei, em representação da Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura; pelo Director do Departamento de Propaganda e Cultura do Gabinete de Ligação do Governo Popular Central na RAEM, Wan Sucheng; pela Esposa do Comissário do Ministério dos Negócios Estrangeiros da República Popular da China na RAEM, Li Ping; pela Presidente do Instituto Cultural, Mok Ian Ian; pela Directora da Direcção dos Serviços de Turismo, Maria Helena de Senna Fernandes; pelo Curador principal, Qiu Zhijie; pelo Subdirector da Direcção dos Serviços de Educação e de Desenvolvimento da Juventude, Teng Sio Hong; pelo Administrador do Conselho de Administração para os Assuntos Municipais do Instituto para os Assuntos Municipais, Lam Sio Un; pelo Presidente da Sands China Ltd., Dr. Wilfred Wong; pela Directora-Geral da SJM RESORTS, S.A., Angela Leong On Kei; pela Vice-Presidente e Directora Executiva da Wynn Macau, Limited, Linda Chih-Ling Chen; pelo Director Administrativo do Galaxy Casino S. A., Dr. Jorge Neto Valente; pelo Director da Melco Resorts & Entertainment Limited, Clarence Chung Yuk Man; pelo Presidente, Director Estratégico e Financeiro da MGM China Holdings Limited, Kenneth Feng; pelo Director Geral Adjunto do Nam Kwong (Group) Company Limited, Song Xiaodong; pelo Vice-Presidente da Companhia de Transportes Aéreos Air Macau, S.A.R.L., Liao Hanxi; pelo Curador Principal do Pavilhão da Cidade Criativa, Yao Feng e pelos artistas participantes na Exposição Principal, Chen Baoyang, Lin Linfeng e Shi Ziyuan.

A Presidente do IC, Mok Ian Ian, referiu no seu discurso que “Arte Macau” concentra-se no enriquecimento da vida dos residentes através de meios artísticos de nível mundial, no estímulo da sabedoria e da imaginação da cidade, sendo uma manifestação vívida do conceito de construção desta “base”. No futuro, continuar-se-á a realizar este evento “Arte Macau”, na forma de uma exposição bienal, promovendo a construção de Macau como Centro Mundial de Turismo e Lazer e Cidade Criativa de Gastronomia com valores humanísticos, reforçando o intercâmbio da cultura chinesa e da multiculturalidade em Macau, incentivando o entendimento entre os povos e o desenvolvimento das causas culturais e das indústrias culturais.

“Arte Macau”, sob a curadoria principal de Qiu Zhijie, um dos artistas contemporâneos mais influentes da China e Director da Faculdade de Arte Experimental da Academia Central de Belas Artes, é focada nas artes visuais contemporâneas. “Arte Macau” está dividida em várias secções, nomeadamente, Exposição Principal, Exposição Especial de Estâncias Turísticas e Hotéis, Pavilhão da Cidade Criativa, Exposição de Arte Pública, Trabalhos Seleccionados de Artistas Locais e Exposição Colateral, entre outras, remodelando o espírito humanista da era pós-pandémica.

Exposição Principal dividida em três partes para discutir a globalização, e abrir um novo caminho espiritual através de artes

A Exposição Principal é composta por três partes: “O Sonho de Mazu”, “Labirinto da Memória de Matteo Ricci” e “Avanços e Recuos da Globalização”, proporcionando um espaço de reflexão e discussão sobre globalização e individualidade, vida e sonho, longinquidade e proximidade, segurança e felicidade, entre outros. Mais de 40 artistas provenientes de cerca de 20 países e regiões foram convidados a participar nas três secções da Exposição Principal, onde serão exibidos mais de 100 peças/conjuntos de obras de arte. Qiu Zhijie expressou que a Exposição Principal reúne ideias artísticas de artistas de todo o mundo durante a era da globalização, especialmente no meio desta pandemia, o que criou um canal de comunicação mútua e compreensão através das artes.

A primeira secção da Exposição Principal “O Sonho de Mazu” reúne porcelana de exportação das Dinastias Ming e Qing, trabalhos contemporâneos em azulejo de artistas de Portugal, bem como obras em porcelana azul e branca de artistas chineses e do Médio Oriente; a segunda parte, “Labirinto da Memória de Matteo Ricci”, descreve o olhar do Ocidente sobre a China ao longo de 500 anos. Ambas as partes estão abertas ao público até 15 de Agosto. A terceira parte, “Avanços e Recuos da Globalização”, aberta ao público até 17 de Outubro, mostra que no meio desta pandemia trágica, os artistas de todo o mundo não pararam de criar procurando abrir um novo caminho espiritual que afasta o mundo do desespero, organizando as tradições e memórias mencionadas nas duas primeiras secções.

Instalação de arte pública “Barca Solar” no Largo da Barra, Pavilhão da Cidade Criativa será aberto ao público na próxima semana

Além disso, “Arte Macau” apresenta 6 instalações de arte pública em vários bairros, mostrando criações de artistas do interior da China, Tailândia, Argentina, Egipto e Itália. A obra “Barca Solar”, do artista egípcio Moataz Nasr, será apresentada no dia 16 de Julho, no Largo da Barra, explorando o conceito de “migração”. A obra apresenta um disco solar composto por 360 pás de remo interligadas numa forma circular, descrevendo o movimento infinito e interligado dos seres humanos na Terra, em busca de uma vida melhor.

“Arte Macau” apresenta ainda uma série de exposições e actividades de intercâmbio. Face à pandemia, as operadoras de estâncias turísticas e hotéis integrados também prepararam diferentes projectos, proporcionando, através de diferentes formas de representação artística, surpresas criativas e prazeres estéticos ao público, com a organização de várias exposições de prestígio elevado. O Pavilhão da Cidade Criativa, que reúne diversas cidades criativas da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), apresenta várias exposições, a partir do dia 23 de Julho, no Centro de Arte Contemporânea de Macau – Oficinas Navais N.º 1, na Galeria Tap Seac e nas Vivendas de Mong-Há, respectivamente. Na exposição “Macau: Cidade de Gastronomia – Bom Apetite!”, serão exibidas obras de 13 artistas (grupos), incluindo Carlos Marreiros e Wong Ka Long, entre outros, e todos exploram o impacto mútuo de “comida” na sociedade e na história. Quanto a Nanjing, uma cidade de literatura e criação, a sua exposição tem como tema “Abrindo o Reino”, a qual exibe trabalhos representativos de dezenas de poetas, novelistas, críticas e artistas excepcionais de Nanjing, tais como Su Tong e Zhao Benfu, incluindo manuscritos, caligrafias, documentários, assim como uma exposição de pinturas de minhocas por Zhu Yingchun, permitindo aos visitantes terem um olhar refrescante sobre o domínio da vida, através dos olhos literários dos escritores de Nanjing. A exposição “Wuhan: Cidade de Design – Empatia” divide-se nas secções “Design no meio da pandemia”, iniciativa da máscara “Color4Smile” e Exposição de Arte da Moda “Hui.Xin”, entre outras, assentando na mais deslumbrante aura da natureza humana-empatia. A exposição “Linz: Cidade da Arte de Mídia - A Arte da Interface”, apresenta obras de arte dos media de vários artistas famosos na área da arte digital.

Sob o patrocínio da Secretaria para os Assuntos Sociais e Cultura e da Secretaria para a Economia e Finanças, “Arte Macau: Bienal Internacional de Arte de Macau 2021” é organizada pelo Instituto Cultural (IC) e pela Direcção dos Serviços de Turismo de Macau (DST) e co-organizada pela Direcção dos Serviços de Educação e de Desenvolvimento da Juventude (DSEDJ), Galaxy Entertainment Group, Melco Resorts & Entertainment Limited, MGM, Sands China Ltd., SJM RESORTS, S.A., Wynn Macau, Limited e o Nam Kwong (Group) Company Limited, contando com a participação de cidades criativas e instituições de ensino superior e com o apoio do Instituto para os Assuntos Municipais e Companhia de Transportes Aéreos Air Macau, S.A.R.L..

“Arte Macau: Bienal Internacional de Arte de Macau 2021” seguirá estritamente as directrizes de prevenção epidemiológica emitidas pelos Serviços de Saúde e implementará as medidas apropriadas para os eventos. Todos os participantes deverão usar máscara de protecção, ser submetidos à medição da temperatura corporal, apresentar o respectivo Código de Saúde de Macau do próprio dia e cumprir as medidas de controlo de multidões no local.

Para mais informações é favor consultar a página electrónica do evento em www.artmacao.mo, a conta no Instagram “artmacao”, a página no Facebook “IC Art” e a conta do IC no WeChat “IC_Art_Macao”.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar