O IPM organizou um seminário sobre o “Estudo e Ensino de Línguas” para reforçar o intercâmbio entre a China e os outros países do estrangeiro nas áreas de Cultura e Educação

O Seminário sobre o “Estudo e Ensino de Línguas”, com vista a reforçar o intercâmbio entre a China e o estrangeiro nas áreas de Cultura e Educação.

Com vista a contribuir para a construção de Macau como “Um Centro, Uma Plataforma e Uma Base” e reforçar o intercâmbio entre a China e os outros países do estrangeiro nas áreas de Cultura e Educação, o Seminário sobre o “Estudo e Ensino de Línguas”, organizado pelo Instituto Politécnico de Macau (IPM), co-organizado pela Universidade de Língua e Cultura de Pequim e pelo Instituto de Estudos sobre a Aplicação de Línguas e Letras do Ministério da Educação da China, e realizado pelo Centro de Estudos de Línguas e Culturas de Macau do IPM, decorreu na manhã do dia 27 de Outubro, via online, directamente de Pequim e de Macau. Presidiram à Cerimónia de Abertura os seguintes convidados: o Vice-Reitor da Universidade de Língua e Cultura de Pequim, Zhang Baojun; o Director do Instituto de Investigação de Ensino Internacional da Língua Chinesa da mesma Universidade, Wu Yinghui; a Vice-Presidente do Instituto Politécnico de Macau, Lei Ngan Lin; o Director da Escola Superior de Ciências Humanas e Sociais do IPM, Lam Iam Fat; e o Coordenador do Centro de Estudos das Culturas Sino-Ocidentais do IPM, Wang Xi, entre outros. O Seminário contou com a participação de mais de vinte académicos de várias instituições de ensino superior e de investigação do Interior da China e de Macau.

Foi proferido por Wang Xi, o discurso da Cerimónia de Abertura da Vice-Directora Wang Min, do Instituto de Estudos sobre a Aplicação de Línguas e Letras do Ministério da Educação da China. Wang Min afirmou que, com o desenvolvimento da Era e o progresso científico e tecnológico, a procura de ensino e serviços linguísticos de qualidade tem vindo a aumentar. No futuro, segundo a mesma, os temas principais relativos à promoção do desenvolvimento de estudos e ensino de línguas de alta qualidade, devem focar-se mais nas questões políticas e de planeamento do ensino de línguas, do estudo sobre a aprendizagem e as regras de ensino de línguas, da avaliação do ensino de línguas e sua investigação normativa, pesquisa e desenvolvimento de recursos de aprendizagem de línguas de alta qualidade, da inovação e da aplicação de métodos e técnicas de ensino de línguas, entre outras questões importantes; unem-se a sabedoria e a força do meio académico e coordenam-se os recursos de todas as áreas, para que as pessoas aprendam e usem melhor as línguas, e dessa forma se podem dar novos contributos no intuito de promover o desenvolvimento integral do ser humano e o desenvolvimento económico e social.

O Vice-Reitor da Universidade de Língua e Cultura de Pequim, Zhang Baojun, disse que a configuração cultural de Macau, caracterizada pelo multilinguismo e pelo encontro das culturas chinesa e ocidentais, merece um estudo aprofundado. No contexto da construção de Macau como “Um Centro, Uma Plataforma e Uma Base”, o estudo das línguas e das culturas de Macau e os estudos das questões comuns a elas relacionadas, devem desempenhar um papel importante no reforço do intercâmbio cultural entre a China e os outros países do estrangeiro, na promoção da integração de Hong Kong e Macau com o Interior da China e na organização dos recursos académicos relevantes. Face ao impacto da epidemia no sector da Educação, os meios de ensino de línguas, o conteúdo e os princípios estão a enfrentar novos desafios e valoriza-se uma reflexão aprofundada sobre o rumo das futuras reformas.

A Vice-Presidente do Instituto Politécnico de Macau, Lei Ngan Lin, referiu que o Centro de Estudos de Línguas e Culturas de Macau do IPM, criado há 12 anos, organizou 11 seminários académicos, editou e publicou 11 colectâneas de comunicações, subordinadas da série intitulada “Estudos de Língua e Cultura de Macau”, tendo publicado vários resultados dos estudos relacionados de alta qualidade, os quais têm desempenhado um papel activo na promoção da investigação linguística e cultural e da prática pedagógica de Macau. Com o esforço conjunto da Universidade de Língua e Cultura de Pequim e do Instituto de Estudos sobre a Aplicação de Línguas e Letras do Ministério da Educação da China, bem como o empenho de especialistas e académicos nacionais e estrangeiros, o Instituto Politécnico de Macau empenhou-se na construção conjunta do Centro de Estudos de Línguas e Culturas de Macau, contribuindo para a implementação estável e a longo prazo do Princípio “Um País, Dois Sistemas” e o desenvolvimento das actividades linguísticas e culturais da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin.

O Centro de Estudos de Línguas e Culturas de Macau do IPM, criado em 2009 pelo Instituto de Estudos sobre a Aplicação de Línguas e Letras do Ministério da Educação da China, pela Universidade de Língua e Cultura de Pequim e pelo Instituto Politécnico de Macau, dedica-se ao estudo científico dos recursos linguísticos e culturais, da vida, das políticas e da educação na região de Macau, fornecendo referências académicas para o Governo da RAEM na elaboração das suas políticas linguísticas, contribuindo para a construção e o desenvolvimento das línguas e culturas da RAEM.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar