Centro de Coordenação de Contingência apela às pessoas que entrem em Macau para preencher com antecedência os dados relativos ao Código de saúde de Macau

No primeiro dia de reinício das aulas do ensino secundário complementar, o funcionamento global correu bem.

O Médico-Adjunto da Direcção do Centro Hospitalar Conde de São Januário (CHCSJ), Dr. Lo Iek Long, fez nota na conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus que já passaram vinte e seis (26) dias desde que foi diagnosticado o último caso de pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus. Por trinta e sete (37) dias consecutivos não foi registado nenhum caso relacionado com casos importados. Macau tem um total de quarenta e cinco (45) casos diagnosticados, dos quais, quarenta e três (43) são casos importados e dois (2) são casos relativos a casos importados. Não há registo nem ocorrência de transmissão comunitária em Macau. Quarenta e quatro (44) casos são classificados com sintomas ligeiros e um (1) como caso grave, cuja situação clínica está a melhorar. Até ao momento não foram registados em Macau casos mortais.

No total dos 45 doentes diagnosticados em Macau, trinta e nove (39) doentes tiveram alta hospitalar, há, ainda, seis (6) doentes internados, que são considerados com sintomas ligeiros, encontrando-se em estado estável, sem dificuldades respiratórias, não necessitando de respirar oxigénio. Todos os indivíduos de contacto próximo em vigilância concluíram as medidas de isolamento. Os seis (6) doentes internados estão a receber tratamentos na enfermaria de isolamento do Centro Clínico de Saúde Pública. Vinte (20) pessoas estão sujeitas a isolamento de convalescença no Centro Clínico de Saúde Pública; neste momento, não está ninguém internado no Centro de Isolamento Provisório, situado no Complexo de Cuidados de Saúde das Ilhas. Nas últimas 24 horas, foram analisadas, pelo Laboratório de Saúde Pública, 929 amostras.

Em resposta às perguntas de jornalistas, Dr. Lo Iek Long disse que, de acordo com o estado clínicos dos 35 doentes diagnosticados na 2.ª fase da epidemia de Macau, a situação não é mais grave do que a da 1.ª fase, os doentes também recuperaram de forma muito satisfatória, no entanto, a implementação de requisitos mais rigorosos em Macau, sobretudo do teste de ácido nucleico, em comparação com outros países ou regiões, resultou em prolongados períodos de internamento hospitalar e de isolamento de convalescença por parte de doentes. Tendo em conta a grande densidade populacional de Macau e a necessidade de garantir a segurança da comunidade, é necessário adoptar requisitos mais rigorosos.

Alguns órgãos de comunicação social estão atentos ao ajustamento das medidas de entrada e saída, pelo que o Dr. Lo Iek Long manifestou que os governos dos diferentes territórios estão a discutir pormenores sobre as medidas de conveniência de passagem fronteiriça e da realização do teste de ácido nucleico e acredita que serão divulgados em breve ao público, apelando também à população que preste atenção às informações oficiais da conferência de imprensa. Por fim, tendo em consideração a situação normal dos trabalhos antiepidémicos, apelou mais uma vez aos residentes para manterem a consciência dos riscos e tomarem bem as medidas de protecção individual, evitarem actividades de grande aglomeração, manterem uma adequada distância social e prestarem atenção à higiene pessoal.

A Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou, informou que, no dia 3 de Maio, houve mais cinco (5) indivíduos submetidos à observação médica, que são residentes de Macau. Até ao dia 3 de Maio, foram enviados, no total, para a observação médica 4.136 indivíduos. 79 indivíduos estão ainda em observação médica, dos quais 65 em hotéis designados, onze (11) em embarcações de pesca e três (3) em instalações dos Serviços de Saúde.

A Dr.ª Leong Iek Hou disse que o “Código de Saúde de Macau”, activado Domingo (dia 3 de Maio) e até às 16h00 desta segunda-feira (dia 4), o número total de utilizadores chegou aos 216.000 e o número total de uso foi de 530.000. A operação geral correu bem. Hoje, constatou-se de que aquando da utilização do sistema no posto fronteiriço das Portas do Cerco, alguns utilizadores não conseguiram obter o código (CAPTCHA). Após ter sido comunicado com a companhia de telecomunicações, foi descoberto que a rede de telecomunicações móveis dos residentes em causa não tinha sido transferida para a rede regional de Macau no momento da entrada no Território, o que causou atrasos na obtenção da imagem CAPTCHA.

A Dr.ª Leong Iek Hou indicou ainda que em resposta ao reinício das aulas do ensino secundário complementar de hoje, há um número considerável de estudantes do ensino secundário complementar que vive em Zhuhai ou Zhongshan que já concluíram com antecedência a verificação com CAPTCHA e obtiveram o código de saúde aquando da passagem no posto fronteiriço, por isso, a passagem fronteiriça decorreu muito bem. A Dra. Leong Iek Hou apelou a todos indivíduos que entrem em Macau, devem preencher os dados com antecedência e obter a imagem CAPTCHA, para receber o código de saúde. No fim, ela ainda esclareceu que, de acordo com as orientações dos Serviços de Saúde, nunca foi solicitado a obtenção obrigatória de fotografias aquando da entrada em locais públicos.

O Chefe do Departamento dos Serviços de Educação , Dr. Wong Ka Ki referiu que, em resposta ao reinício das aulas do ensino secundário complementar, no dia 4 de Maio (hoje), houve 13.000 estudantes e 44 escolas que reiniciaram as aulas, ainda há 2 escolas que vão retomar as aulas terça-feira. Os funcionários da DSEJ procederam a inspecção em todas as escolas, para conhecer a real situação, todas as escolas que retomaram as aulas hoje implementaram as medidas de forma eficaz, de acordo com as orientações de reinício das aulas determinadas pela DESJ e as orientações de prevenção da epidemia elaboradas pelos Serviços de Saúde, incluindo, o arranjo de pessoal em portas de escolas para medir a temperatura do pessoal docente e estudantes nas entradas de escolas. Os estudantes e docentes entraram nas escolas de forma ordenada, em todas as portas, foram colocados tapetes desinfectados e instalações de medição de temperatura para relembrar alavagemdasmãos, tendo o processo decorrido bem. O Dr. Wong Ka Ki acrescentou que, antes da retoma das aulas, todas as escolas, conforme as respectivas orientações das autoridades, participaram em palestras relativas ao reinício das aulas e prepararam os diversos planos de resposta, tendo efectuado e concluído o simulacro de reinício das aulas. Por outro lado, o trânsito rodoviário foi semelhante ao habitual, sob a coordenação da polícia e da DSAT. O Chefe do Departamento dos Serviços de Educação, Dr. Wong Ka Ki ainda referiu que não recebeu qualquer notificação sobre ausência de estudantes devido à situação epidemiológica.

A Chefe de Departamento dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, deu informações sobre o número de pessoas em observação médica em hotéis designados pelo Governo.

O Chefe da Divisão de Ligação entre Polícia e Comunidade e Relações Públicas, Lei Tak Fai, referiu o encaminhamento dos visitantes provenientes de áreas de alta incidência para os postos de exame médico temporários, a actual situação da cidade e a situação de entradas e saídas de Macau, entre outros. Ainda afirmou que, em resposta ao reinício das aulas do ensino secundário complementar, o Corpo de Polícia de Segurança Pública enviou mais pessoal para manter a ordem do trânsito, e abriu um acesso exclusivo para os estudantes ( das 06h30 às 08h30 - Sala de Entrada, das 16h30 às18h30 - Sala de Saída) no posto fronteiriço das Portas do Cerco, de modo a facilitar uma rápida e fluidez na passagem fronteiriça.

Estiveram presentes na conferência de imprensa, o Médico-Adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Lo Iek Long, o Chefe do Departamento de Ensino da Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, Dr. Wong Ka Ki, a Chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, o Chefe da Divisão de Ligação entre Polícia e Comunidade e Relações Públicas, Dr. Lei Tak Fai e a Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar