Macau regista Zero (0) casos mortais e Zero (0)  infecções entre profissionais de saúde – Alta hospitalar para o último doente internado com COVID-19

Director dos Serviços de Saúde, Dr. Lei Chin Ion anunciou a alta hospitalar do único doente COVID-19 que ainda estava internado

O Director dos Serviços de Saúde, Dr. Lei Chin Ion, anunciou terça-feira, 19 de Maio, na conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus que última doente hospitalizada em Macau com COVID-19 teve alta. Já decorreram 66 dias desde que foi diagnosticado, com pneumonia causado pelo novo tipo de coronavírus, o 11.º doente, no dia 15 de Março, altura em que teve inicío a segunda fase da epidemia.

Com a colaboração do Governo da RAEM, de toda a sociedade, de todos os profissionais de saúde da linha da frente, os 35 doentes confirmados nesta 2.ª fase da epidemia recuperaram e todos tiveram alta hospitalar. Não há novos casos diagnosticados em Macau. Apesar de terem existido casos graves e críticos entre os 35 doentes desta fase, com o esforço dos profissionais de saúde manteve-se, com sucesso, o registo, recorde, de zero casos mortais e zero casos de infecção entre os profissionais de saúde, pelo que o Director dos Serviços de Saúde agradeceu a dedicação de todos os profissionais de saúde e aos diversos sectores sociais pelos apoios prestados.

O Dr. Lei Chin Ion recordou que já passaram quarenta e um (41) dias desde que foi diagnosticado o último caso de pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus, em Macau, e por cinquenta e dois (52) dias consecutivos não foi registado nenhum caso relacionado com casos importados. Daí que o Dr. Lei Chin Ion tenha afirmado que é possível dizer que “Macau é uma região de risco muito baixo de pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus, mas, dado que a epidemia continua a ser grave em muitos países e regiões do mundo, Macau ainda continua a enfrentar a ameaça da pneumonia do novo tipo de coronavírus”. Com vista a assegurar a saúde da população e, ao mesmo tempo, restaurar gradualmente a vida normal, a produção e a vida escolar da população, o Governo da RAEM tem aplicado de forma constante as medidas de prevenção conjunta e de controlo rigoroso com as regiões vizinhas, exigindo, por exemplo, aos visitantes provenientes de regiões de baixo, médio e alto risco, para apresentarem o relatório do teste de ácido nucleico e o Código de Saúde de Macau, aquando da entrada em Macau, ou que sejam submetidos a observação médica por 14 dias após entrada, ou possam apresentar obrigatoriamente o relatório com resultado negativo do teste de ácido nucleico antes de embarcar no avião que tenha como destino Macau.

O Director dos Serviços de Saúde voltou, contudo, a apelar a toda a sociedade para continuar a aplicar de forma irrepreensível todas as medidas anti-epidémicas, incluindo o uso de máscaras, a redução de aglomerações, a manutenção da boa ventilação nos recintos fechados, assim como a aplicação da medida de desinfecção, devendo os residentes continuar a manter bons hábitos de higiene, tais como lavagem das mãos com frequência, manutenção de uma adequada distância social, etc..

O Dr. Lei Chin Ion sublinhou a importância da detecção, controlo e do tratamento precoce para os doentes, as pessoas de contacto próximo e alguns indivíduos infectados assintomáticos.

Por exemplo, o 45.º doente confirmado foi detectado e tratado precocemente e o resultado foi considerado satisfatório. Neste sentido, os Serviços de Saúde vão alargar o âmbito de realização de testes de ácido nucleico, abrangendo pessoas de contacto próximo, visitantes que entram em Macau, utentes com consulta externa de febre, pessoal de saúde, pessoal de quarentena e de inspecção sanitária nos postos fronteiriços, trabalhadores de lares para idosos ou de instalações de prestação de serviços, assim como novos doentes internados.

Em relação à questão da passagem fronteiriça a que a população tem dado muita atenção, o Dr. Lei Chin Ion disse que será resolvida pelos governos de ambas as regiões após negociação.

O Governo da RAEM tem mantido comunicação e discussão com os governos de Hong Kong, Zhuhai e da província de Cantão (Guangdong), estudado e avaliado, de forma constante, os riscos das regiões, assim como analisado as políticas e medidas de prevenção da epidemia, no sentido de melhor preparar a reposição da normalidade social e das normais actividades económicas o mais cedo possível. Espera-se que os residentes possam aguardar com paciência as boas notícias.

Em resposta às perguntas dos órgãos de comunicação social, o Director dos Serviços de Saúde, Dr. Lei Chin Ion, sublinhou que os governos de Hong Kong e Macau mantêm uma ligação estreita e estão a negociar a libertação gradual das restrições fronteiriças, ainda a ser concretizada, mantendo-se ainda as medidas em vigor.

O Director dos Serviços de Saúde reiterou que a implementação das medidas de restrições tem por objectivo prevenir a epidemia e proteger a saúde da populaçãoe são estas medidas que contribuem para um bom resultado nos trabalhos de luta contra a epidemia em Macau.

No que diz respeito aos testes de ácido nucleico, o Dr. Lei Chin Ion disse que o princípio é que os indivíduos das regiões de baixo risco, que entram em Macau, devem ter o Código de Saúde de Macau e os resultados dos testes de ácido nucleico, enfatizando que o teste de ácido nucleico é uma condição para a passagem da fronteira. Actualmente, a capacidade de testes de ácidos nucleicos de Macau é de 6.000 pessoas por dia. Como é publico o Governo da RAEHK anunciou que vai continuar a manter as restrições e expandir os testes de ácido nucleico para 7.000 pessoas por dia. Em termos comparativos populacionais, a quantidade de testes de Macau é bastante superior e ainda há a possibilidade de expandir os testes para uma capacidade de 10.000 pessoas por dia, mas como a passagem fronteiriça ainda está restrita, não há essa necessidade.

Em relação à situação actualizada da epidemia, o Médico-Adjunto da Direcção do Centro Hospitalar Conde de São Januário (CHCSJ), Dr. Lo Iek Long informou que até há data foram diagnosticados 45 casos de COVID-19, não houve registo nem ocorrência de transmissão comunitária em Macau. Quarenta e quatro (44) casos foram classificados com sintomas ligeiros e um (1) foi considerado como caso grave. Não foram registados em Macau casos mortais. No total, quarenta e cinco (45) doentes recuperaram e tiveram alta. Todos os indivíduos considerados contactos próximos em vigilância concluíram as medidas de isolamento. Oito (8) pessoas estão sujeitas a isolamento de convalescença no Centro Clínico de Saúde Pública.

O número total de testes de ácido nucleico do novo tipo de coronavírus realizados em Macau no dia 18 de Maio foi de 1.800.

O Dr. Lo Iek Long também apresentou a situação clínica do 29.º doente confirmado que foi o último doente a ter alta hospitalar. Este doente é residente de Macau, sexo feminino, 15 anos de idade, estudante no Reino Unido. Apanhou um voo de Reino Unido via Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur em 16 de Março, chegou ao Aeroporto de Hong Kong no dia 17 de Março e esteve em Hong Kong por uma semana. No dia 24 de Março, regressou a Macau através do autocarro de ligação dos postos fronteiriços (conhecidos também divulgadamente comoShuttle Busou autocarro dourado) via Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau.

A doente foi encaminhada à Urgência Especial do Centro Hospitalar Conde de São Januário para realização de zaragatoa nasofaríngea devido a sintomas do tracto respiratório verificados no momento da entrada em Macau. No dia 25 de Março, o resultado da amostra foi positivo para o novo tipo de coronavírus e confirmada como pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus (COVID-19).

Esteve internada por 56 dias, sujeita a tratamento antiviral e de suporte sintomático. Neste momento, a condição clínica é estável, sem febre e nem sintomas do tracto respiratório, a imagem do tórax revela que não há alterações de pneumonia. Nos dias 17 e 19 de Maio, os testes de ácido nucleico na zaragatoa nasofaríngea, realizados foram negativos, daí tudo corresponder aos critérios de alta hospitalar, dada no dia 19 de Maio, no entanto, a mesma irá sujeitar-se a isolamento de convalescença no Centro Clínico de Saúde Pública do Alto de Coloane por 14 dias.

A Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou, informou que, no dia 18 de Maio, foram submetidos à observação médica mais trinta (30) indivíduos, vinte e um (21) dos quais são residentes de Macau e nove (9) não residentes de Macau. Até ao dia 18 de Maio, foram enviados, no total, para a observação médica 4.471 indivíduos, há 315 indivíduos estão ainda em observação médica em hotel designado. Não há ninguém nas embarcações de pesca que necessite de realizar observação médica.

Em resposta à questão sobre a reabertura das piscinas públicas e instalações desportivas a Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou revelou que os Serviços de Saúde e o Instituto do Desporto estão a discutir os pormenores da reabertura, indicando que esta situação deve seguir determinados princípios, incluindo restrições do número de pessoas que terá acesso a estes locais, medidas para controlar o fluxo de pessoas, o limite de número de pessoas, etc.

As autoridades, ema anos anteriores, registaram elevados números no acesso às piscinas públicas, o que não é seguro, nem propício para a prevenção da epidemia, por isso, serão solicitadas às pessoas que entram nas piscinas a medição da temperatura, para garantir que não haja febre nem sintomas relacionados com problemas respiratórios e necessitam de mostrar o Código de Saúde de Macau. Por outro lado, será ainda solicitado o reforço das frequências de limpeza e de desinfecção naas instalações do interior da piscina, organizando pessoal para reforçar a gestão do fluxo de pessoas, para garantir evitar aglomerações das pessoas e manter a distância adequada. Em relação às piscinas privadas das habitações, o Instituto para os Assuntos Municipais irá efectuar a monitorização regular da qualidade de água e em caso de detectar anomalias, vai informar os Serviços de Saúde para efeitos de inspecção, neste momento, os Serviços de Saúde não receberam informação inadequada. Quanto aos campos de basquetebol e campos de futebol, a Dr.ª Leong Iek Hou disse que também estão a ser efectuadas diligências para que ocorra a reabertura dos estabelecimentos o mais cedo possível, no entanto, devido ao tipo de modalidade, com proximidade e contacto há que definir bem as forma de evitar a aglomeração do público. Os serviços competentes precisam de tempo para estudar as medidas de cooperação e delinear preparativos para a implementação. Quando tiver decidido as informações de reabertura serão divulgadas oportunamente.

O Chefe do Departamento de Estudantes das Instituições do Ensino Superior da DSES, Dr. Chan Iok Wai explicou que Governo da RAEM está atento à situação epidemiológica de COVID-19, que criou dificuldades aos estudantes do ensino superior na procura de oportunidades de estágio, tendo sido estabelecidas acções relevantes antes, para que os estudantes do ensino superior de Macau obtenham oportunidades de estágio, incluindo "Programa de Talentos de Hong Kong e Macau de Tencent 2020" lançado pela Companhia Tencent e “Um Futuro Brilhante – Programa de Estágios para Estudantes do Ensino Superior de Macau de 2020” realizado pela Direcção dos Serviços do Ensino Superior (DSES). O período de estágio para estes dois programas está inicialmente previsto para a segunda quinzena de Junho a Agosto, o DSES juntamente com os organizadores e coordenadores acompanharão a evolução da situação epidémica de Macau e do Interior da China e de acordo com a situação epidémica de ambos os lados, não está excluído o ajuste adequado dos arranjos do estágio no local, ao mesmo tempo, empenhando-se em assegurar que os estudantes do ensino superior de Macau realizem estágios num ambiente seguro.

A Chefe de Departamento dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, informou o número de pessoas em observação médica em hotéis designados pelo Governo, respondendo às perguntas colocadas por jornalistas.

O Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Ma Chio Hong, referiu a actual situação da cidade e a situação de entradas e saídas de Macau, etc.

Estiveram presentes na conferência de imprensa o Director dos Serviços de Saúde, Dr. Lei Chin Ion, o Médico-Adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Lo Iek Long, a Chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, o Chefe do Departamento de Estudantes das Instituições do Ensino Superior da DSES, Dr. Chan Iok Wai, o Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Ma Chio Hong e a Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar