Reunião de trabalho sobre “Macau como Cidade Criativa de Gastronomia” realizada hoje – Reforçar a criatividade interdisciplinar e impulsionar o desenvolvimento sustentável

Reunião de trabalho sobre “Macau como Cidade Criativa de Gastronomia”

A reunião de trabalho sobre “Macau como Cidade Criativa de Gastronomia” realizou-se hoje (dia 13) pelo segundo ano consecutivo, tendo sido presidida pelo Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam. Na reunião, o Secretário reconheceu o trabalho desenvolvido por vários serviços, referindo que os dois importantes cartões-de-visita de Macau, a designação de Cidade Criativa de Gastronomia e o Centro Histórico de Macau, reflectem o reconhecimento da cidade a nível internacional, ajudando a promover o turismo de Macau em todas as partes do mundo. No futuro, irá continuar-se a trabalhar através de uma cooperação interdisciplinar, interdepartamental e em parceria com a indústria, bem como a incentivar a integração de tecnologias inovadoras, contribuindo para promover em conjunto Macau como uma Cidade Criativa de Gastronomia. A Direcção dos Serviços de Turismo (DST) e representantes de outros serviços públicos, de instituições de ensino, de associações da indústria relacionadas, entre outros, participaram na reunião.

Tecnologia e criatividade para promover o desenvolvimento sustentável de Macau

O Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam, disse que, com o forte apoio do Governo Central, Macau, China, foi designada como Cidade Criativa da UNESCO em Gastronomia no dia 1 de Novembro (31 de Outubro, hora local) de 2017. Com a Rede de Cidades Criativas a cobrir sete áreas criativas: gastronomia, artesanato e arte popular, design, cinema, literatura, música, artes e media, existe a possibilidade de explorar a combinação de inovações tecnológicas, para que mediante um recurso às tecnologias e criatividade permitir que Macau alcance um maior desenvolvimento. Alexis Tam referiu ainda que este ano há muitos trabalhos a decorrerem sucessivamente, como o “Arte Macau”, entre outros. Por outro lado, no futuro, é necessário adicionar mais elementos criativos para promover o desenvolvimento sustentável de Macau e responder à “Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas”.

O Secretário disse também que, no âmbito do “Plano de Desenvolvimento da Grande Baía-Guangdong-Hong Kong-Macau”, Macau está empenhada no seu posicionamento enquanto Centro Mundial de Turismo e Lazer e Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, e na criação de uma “Base de intercâmbio e cooperação que, tendo a cultura chinesa como a predominante, promova a coexistência de diversas culturas”, mostrando-se confiante de que no futuro o desenvolvimento de Macau será cada vez melhor.

Macau avalia cidades candidatas na área da Gastronomia

A directora da DST, Maria Helena de Senna Fernandes, a par com os subdirectores da DST, Cheng Wai Tong e Ricky Hoi, entre outros, marcaram presença na reunião, no decorrer da qual a DST apresentou o ponto de situação da Rede de Cidades Criativas da UNESCO na área da gastronomia aos participantes no encontro, a par com um balanço sobre os trabalhos da DST no âmbito da promoção de Macau como Cidade Criativa de Gastronomia, bem como foi apresentado o rumo dos trabalhos futuros.

Maria Helena de Senna Fernandes mencionou que o plano de trabalho de “Macau como Cidade Criativa de Gastronomia” (2018-2021) promove o desenvolvimento sustentável da cidade, usando a criatividade como um elemento estratégico, para ajudar a atingir os objectivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas para 2030, com os actuais trabalhos relacionados a abrangerem já alguns dos objectivos de desenvolvimento sustentável. Por outro lado, a partir do segundo ano após a adesão à Rede de Cidades Criativas da UNESCO, Macau passa a deter direito de voto sobre o local da reunião anual da rede e a poder avaliar as cidades que pretendem candidatar-se à Rede de Cidades Criativas na área da Gastronomia. Quanto à criação de uma base de dados sobre pratos de comida macaense, os trabalhos estão em progresso, estando-se neste momento a recolher algumas receitas de família em vias de desaparecimento.

Na reunião, representantes de vários serviços e associações da indústria também apresentaram os respectivos trabalhos de promoção de uma “Cidade Criativa de Gastronomia”.

O Instituto de Formação Turística (IFT) elaborou sobre planos para lançar um programa de mestrado do ramo da alimentação e bebidas, e a Direcção dos Serviços de Educação e Juventude apresentou os preparativos para abrir um Centro de Actividades do Ensino Técnico-Profissional que deverá entrar em funcionamento no quarto trimestre de 2020, com uma área internacional de culinária.

Alexis Tam acredita que, com o futuro estabelecimento de uma área de culinária internacional no Centro de Actividades do Ensino Técnico-Profissional e do centro culinário do IFT, e contando ainda com a Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau, as várias instituições de ensino superior, entre outras entidades, criarão uma cadeia de formação, capaz de proporcionar melhores cursos de formação para a indústria de alimentação e bebidas.

Promover uma “Cidade Criativa de Gastronomia” de forma interdisciplinar e interdepartamental

Num balanço da reunião, Alexis Tam reconheceu o trabalho de cada serviço e salientou que os dois importantes cartões-de-visita de Macau, a designação de Cidade Criativa de Gastronomia e o Centro Histórico de Macau, reflectem o reconhecimento da cidade a nível internacional, aumentando a sua divulgação, o que ajuda a promover o turismo de Macau nas diferentes partes do mundo. O Secretário exortou todas as partes a valorizar estes dois grandes cartões-de-visita. Além da gastronomia e da segurança alimentar, também é necessário reforçar a formação da indústria para aumentar a qualidade global nos seus variados aspectos. No futuro, continuar-se-á a trabalhar através de uma cooperação interdisciplinar, interdepartamental e em parceria com a indústria, nos campos da transmissão, criatividade, educação, formação e segurança alimentar, entre outros, contribuindo para promover em conjunto uma “Cidade Criativa de Gastronomia”, para impulsionar os benefícios económicos e o desenvolvimento próspero de Macau.

Participaram também na reunião a presidente do IFT, Fanny Vong, a assessora do Gabinete do Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Stella Leong, o vice-presidente do Instituto Cultural, Chan Kai Chon, o subdirector da Direcção dos Serviços de Economia, Lau Wai Meng, representantes da Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, do Instituto para os Assuntos Municipais, da Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais, do Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau, da Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental, entre outros.

No dia 1 de Novembro (31 de Outubro, hora local) de 2017, Macau, China foi designada como Cidade Criativa da UNESCO em Gastronomia, tendo o Governo da RAEM lançando imediatamente o seu plano de trabalho de quatro anos de “Macau como Cidade Criativa de Gastronomia”. No início deste ano, a DST organizou o “Fórum Internacional de Gastronomia” pelo terceiro ano consecutivo e lançou com a National Geographic um projecto de colaboração denominado “Grande Jornada Gastronómica Verde”, para encontrar, apoiar e promover a implementação da gastronomia sustentável no sector de restauração de Macau. Por outro lado, a DST também participou nas actividades de divulgação do Dia da Gastronomia Sustentável assinalado internacionalmente, prosseguindo simultaneamente com o impulsionamento da criação de uma base de dados sobre pratos de comida macaense, entre outros trabalhos.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar