DSAL dá apoio contínuo no emprego em vários aspectos aos residentes

Alargamento oportuno das sessões de emparelhamento de emprego para outros sectores de acordo com as necessidades dos cidadãos

A Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais (DSAL) continua atenta à evolução do mercado de trabalho, dá apoio aos residentes no emprego e presta vários serviços de apoio adequados, a fim de ajudar, de várias formas, os candidatos a integrarem-se no mercado de trabalho o mais breve possível.

Mais de 450 indivíduos contratados com a ajuda das sessões de emparelhamento de emprego conjugadas com o habitual apoio ao emprego

A DSAL realiza contínua e empenhadamente os habituais serviços de apoio ao emprego. Entre Janeiro e Fevereiro do corrente ano, um total de 1 805 indivíduos foram encaminhados pela DSAL e participaram em entrevista, dos os quais 360 foram contratados.

A fim de dar apoio aos cidadãos para que possam encontrar ou mudar de emprego o mais breve possível, a DSAL, desde Setembro de 2020, organiza mensalmente pelo menos 3 sessões de emparelhamento de emprego para sectores específicos, nomeadamente a restauração, hotelaria, comércio a retalho, segurança e administração de propriedades. Entre Janeiro e Fevereiro do corrente ano, foram organizadas 6 sessões de emparelhamento de emprego para diferentes sectores e profissões, que incluíram os sectores de segurança e administração de propriedades, restauração, comércio a retalho, hotelaria, entre outros, tendo sido dado apoio a cerca de 100 indivíduos para serem contratados pelas empresas. A DSAL examina continuamente as necessidades de emprego dos cidadãos e alarga oportunamente estas sessões de emparelhamento de emprego para outros sectores.

Empenhamento no apoio aos trabalhadores do sector da construção a encontrarem emprego o mais breve possível. Encaminhamento de 75% dos trabalhadores que pediram ajuda

A DSAL tem estado sempre atenta aos direitos e interesses laborais dos 465 trabalhadores da construção que se deslocaram à DSAL em inícios de Março. A fim de acompanhar o mais rápido possível a organização do emparelhamento de emprego para estes trabalhadores, a DSAL colaborou com o Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas, a Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental e a Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes, na recolha de postos para a construção aos empreiteiros de obras públicas, tendo sido recolhidas 248 vagas que correspondiam principalmente a postos para a fase de obras de fundação.

A fim de assegurar a prioridade de acesso ao emprego dos trabalhadores residentes e que os seus direitos e interesses laborais não sejam lesados, a DSAL vai exigir às empresas que contratem estes trabalhadores com uma remuneração que esteja de acordo com o nível do mercado, com o intuito de assegurar que a remuneração dos que são qualificados para o teste de técnicas esteja em conformidade com as condições de contratação.

Até 23 de Março, a DSAL contactou com 349 trabalhadores, dos quais 64 desistiram da entrevista por não concordarem com a remuneração, 60 não conseguiram ser contactados e 225 prometeram ir à entrevista, tendo comparecido 139 e faltado 12, sendo que aos restantes será marcada entrevista para esta semana. Dos 139 indivíduos que compareceram à entrevista, 68 foram contratados e 71 não, por não terem sido aprovados no teste de técnicas (48 indivíduos), por terem desistido do teste (9 indivíduos), por não terem aceitado as condições de trabalho (4 indivíduos), por o posto já ter sido ocupado (9 indivíduos) e por ter comportamento insatisfatório (1 indivíduo).

Dos 116 trabalhadores que ainda não participaram no emparelhamento de emprego, 46 têm menos de 55 anos, 33 têm entre 55 e 59 anos, 15 têm entre 60 e 64 anos e 22 têm mais de 65 anos. Estes trabalhadores procuram principalmente profissões como pintor, técnico de gesso cartonado, técnico de ar-condicionado e auxiliar da construção civil. A DSAL vai continuar a acompanhar os trabalhos de emparelhamento e publicar oportunamente.

O Governo da Região Administrativa Especial de Macau tem cumprido sempre o princípio do acesso prioritário ao emprego dos residentes. A DSAL vai ficar atenta à procura de mão-de-obra para as diferentes fases das obras, esperando que possa recomendar trabalhadores adequados para efectuarem o emparelhamento de emprego, a fim de garantir a prioridade e continuidade de emprego dos trabalhadores habilitados.

Organização de planos de estágio e formação remunerada em serviço para dar apoio aos jovens no reforço da competitividade no emprego

A fim de dar apoio aos jovens na integração no mercado de trabalho, em Junho de 2020, a DSAL cooperou com várias empresas de Macau, incluindo empresas de lazer, serviços públicos e instituições financeiras, tendo lançado pela primeira vez o Plano de experiência no local de trabalho sob a modalidade “Vencer as dificuldades causadas pela epidemia e criar melhores perspectivas de trabalho”, proporcionando aos residentes recém-graduados do ensino superior uma oportunidade de estágio de 3 meses para reforçar a sua competitividade no emprego. No ano passado, este plano permitiu o ingresso de 568 jovens nas empresas para estágio, tendo estas mostrado interesse na contratação de 382 estagiários após a conclusão do plano, dos quais foram contratados 199. Nas férias de Verão de 2021, continuará a ser lançado o plano de estágios para recém-graduados do ensino superior, e estima-se que irão ser alargados os sectores de empresas colaboradoras, esperando que possa criar mais oportunidades de emprego para os jovens.

A fim de dar apoio aos jovens de Macau na ascensão profissional, a DSAL lançou, em Janeiro de 2021, o “Plano de formação de quadros de chefia na área da construção”. Este Plano funciona sob a modalidade de formação remunerada em serviço, sendo que a empresa fornece o posto de trabalho e a DSAL realiza o emparelhamento de emprego. Após a contratação, o indivíduo, na qualidade de chefia-estagiário, recebe um treino no posto de trabalho, podendo a empresa vir a promovê-lo, consoante o seu desempenho, para um cargo básico de chefia. Durante o período de inscrição, foram recebidas 18 candidaturas, estando neste momento na fase de organização de emparelhamento e entrevista.

Em Fevereiro de 2021, a DSAL lançou pela primeira vez, em conjunto com uma empresa multinacional de renome do Interior da China, o “Plano de Estágio na ByteDance para Jovens de Macau no Interior da China”. O Plano tem a duração de 3 meses e é orientado por pessoal experiente da empresa, para promover o desenvolvimento da capacidade de trabalho dos jovens de Macau no sector da tecnologia de Internet, formar e reservar pessoal qualificado para aquela indústria. O Plano oferece 48 vagas de estágio para postos de assistente de recursos humanos, assistente de design, operações criativas, operações com rotulação de dados, gestão de projectos, entre outros. Houve 169 inscrições, e 149 entraram na fase da entrevista.

Mais de 1 100 pessoas foram contratadas na primeira fase do Plano de formação subsidiada.Inscrições novamente abertas a partir de 8 de Abril

Após da conclusão da primeira fase da formação subsidiada e atendendo à situação económica e ao mercado de emprego de Macau, a DSAL lança o “Plano de formação subsidiada orientada para a empregabilidade” para os desempregados e recém-graduados do ensino superior e o “Plano de formação subsidiada orientada para o aumento das competências técnicas” para os trabalhadores no activo e os profissionais liberais. No futuro, o âmbito dos destinatários do plano de formação subsidiada irá ser alargado para os trabalhadores do sector do jogo, sendo que, aqueles que se encontrarem em férias não remuneradas e que não forem recomendados pelo empregador para participar no curso, poderão inscrever-se por iniciativa própria. A par disso, irá ser eliminada a restrição do número de trabalhadores a ser recomendado, estando previsto que seja implementado em Maio, sendo que, na altura podem estar atentos às publicações sobre o assunto.

Estes Planos visam não só elevar as capacidades profissionais mas também aliviar a pressão económica através da atribuição de subsídios, sendo os cursos do Plano organizados mensalmente para inscrição de acordo com as necessidades da população. As inscrições para a nova ronda do Plano estarão abertas entre 8 e 14 de Abril e entre 19 e 23 de Abril de 2021.

Todos os cursos da primeira fase do “Plano de formação subsidiada” foram concluídos. Até fins de Fevereiro do corrente ano, um total de 1 113 formandos conseguiram obter emprego sendo também atribuídos subsídios de formação. Para os restantes formandos, a DSAL irá empenhar-se no acompanhamento dos trabalhos de encaminhamento.

Entre Setembro de 2020 e Fevereiro do corrente ano, os cursos de formação do “Plano de formação subsidiada orientada para o aumento das competências técnicas” foram proporcionados por três instituições académicas, nomeadamente a Universidade de Macau, Instituto Politécnico de Macau e Instituto de Formação Turística. Um total de 1 017 candidatos foram aprovados na apreciação da candidatura, envolvendo 352 empresas e 300 profissionais liberais. Até Fevereiro do corrente ano, tiveram inicio 31 cursos que contaram com a participação de 747 indivíduos. Estes cursos incluíram gestão de negócios, contabilidade financeira, línguas, tecnologias de informação, património cultural e turismo, comércio electrónico, design e gestão de saúde. Cerca de 699 participantes já concluíram o curso, representando 94% dos formandos.

Entre Setembro de 2020 e Fevereiro do corrente ano, foram organizadas seis rondas de cursos do “Plano de formação subsidiada orientada para a empregabilidade”, proporcionando mais de 4 000 vagas para a inscrição, que abrangeram áreas da construção civil e manutenção de instalações,serviços de cuidados pessoais, vendas a retalho, indústrias e comércio, hotelaria e restauração, tendo contado com um total de 5 419 inscrições nos cursos. Até fins de Fevereiro do corrente ano, tiveram inicio 78 cursos, tendo 2 233 indivíduos sido admitidos nestes cursos. Alguns cursos iniciarão após a conclusão da selecção.

Número de trabalhadores não residentes diminuiu 21 342 em comparação com o final do ano de 2019. É garantida a continuidade e prioridade no acesso ao emprego dos residentes

A DSAL acompanha de perto a situação do mercado de emprego, efectuando ajustamentos em tempo oportuno, tendo como primazia a continuidade e a prioridade no acesso ao emprego dos residentes, e ao mesmo tempo, efectua o ajustamento do número de trabalhadores não residentes. Até fins de Fevereiro do corrente ano, o número de trabalhadores não residentes era de 175 196, representando uma redução de 21 342 trabalhadores, em comparação com fins de Dezembro de 2019. Os sectores envolvidos foram a hotelaria e restauração (redução de 10 444 trabalhadores), construção (redução de 2 837 trabalhadores), actividades culturais e recreativas, lotarias e outros serviços (redução de 2 227 trabalhadores) e comércio por grosso e a retalho (redução de 2 045 trabalhadores).

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar