“Código de Saúde de Macau” deve ser apresentado em locais públicos | Realização de teste de ácido nucleico para toda a população, sem data prevista

Conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus

O Director dos Serviços de Saúde, Dr. Alvis Lo Iek Long, esclareceu os rumores veiculados na internet sobre a realização do teste de ácido nucleico para toda a população de Macau, afirmando que este, ainda, se encontra em fase de preparação, e não há data para a sua execução. As autoridades estão a proceder a vários trabalhos preparativos como locais, instrumentos, equipamentos, e recursos humanos, etc., e a procurar os postos de colheita de amostras para os testes de ácido nucleico, avaliando a localização, a disposição do espaço, os fluxos, assim como os processos. Há ainda outras questões a determinar como equipamentos, dispositivos e reagentes, para além dos recursos humanos como o pessoal para colheita de amostras, para inscrição, limpeza e segurança.

O Dr. Alvis Lo Iek Long sublinhou que o teste de ácido nucleico é um dos meios de prevenção da epidemia e que as autoridades irão usa-lo de acordo com o estudo e avaliação dinâmica da situação nas regiões vizinhas e da própria situação de Macau, será essa avaliação que definirá quando é que se irá realizar os testes em grande escala, a área da sua implementação e irá ser determinado se se aplicará ou não o modelo de realização do teste de ácido nucleico para toda a população. Tudo dependerá do alcance da epidemia. Por exemplo se for um caso de origem desconhecida e se houver uma cadeia de transmissão invisível, é provável que seja necessário realizar um teste de ácido nucleico a toda a população de Macau.

Em relação às “Regatas Internacionais de Barcos-Dragão”, tendo em conta a evolução da epidemia nas regiões vizinhas, o Instituto do Desporto anunciou o cancelamento do Festival em Família – Regatas Internacionais de Barcos-Dragão que se iria realizar no dia 12 de Junho. As bancadas fechadas estarão fechadas ao público nos dias das provas, 13 e 14 de Junho e todos os participantes e trabalhadores devem apresentar um certificado de resultado negativo do teste de ácido nucleico, válido, ou ter completado, com antecedência de 14 dias, as 2 doses da vacina contra a COVID-19.

No que diz respeito aos motoristas de autocarros e de táxis poderem verificar o códigos de saúde dos passageiros, o Director, Dr. Alvis Lo Iek Long citou as informações da Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego: “a partir de hoje, para garantir a saúde dos passageiros que utilizam os transportes públicos, é proibido o uso de transportes públicos aos indivíduos com o “Código de Saúde de Macau” de cor amarela ou vermelha, seja autocarros públicos, táxis e metro ligeiro. Os motoristas de autocarros e táxis têm o direito de inspeccionar o Código de Saúde de passageiros e podem recusar o transporte dos passageiros com código de cor amarela ou vermelha”.

Em resposta às questões relativas à facilidade da passagem fronteiriça, afirmou que não se exclui a possibilidade de recorrer à vacinação como uma condição necessária para a passagem fronteiriça, dependendo da evolução da situação epidémica.

Para os indivíduos que não pertencem à faixa etária para a vacinação, ou com estado físico não adequado para a vacinação, essa situação pode ser excepcionada através da apresentação de um atestado médico que comprova que essas pessoas não são adequadas para vacinação. As autoridades vão continuar a avaliar e acompanhar a situação epidémica para o ajustamento atempado das medidas antiepidémicas, apelando ao público para continuar a apoiar os trabalhos de vacinação.

O Dr. Tai Wa Hou relatou que, até ao dia 8 de Junho de 2021, nunca houve uma transmissão comunitária da COVID-19 em Macau e por 436 dias consecutivos não são registados casos locais de transmissão da COVID-19 (incluindo casos de infecção assintomática) e já passaram 14 dias sem detecção de novos casos importados. Macau diagnosticou, até à data, cinquenta e um (51) casos, dos quais, quarenta e nove (49) são casos importados e dois (2) são relacionados com casos importados. Cinquenta e uma (51) pessoas tiveram alta. Não há registo de qualquer infecção entre os profissionais de saúde nem casos mortais.

No Centro Clínico de Saúde Pública de Coloane está internada uma pessoa do caso importado de recaída de infecção assintomática, e uma pessoa, caso diagnosticado (no exterior) de recaída de infecção assintomática, e sete (7) indivíduos provenientes de áreas de alto risco sujeitos a observação médica.

No dia 7 de Junho de 2021, foram testadas em Macau 17.225 pessoas.

Até às 16h00 de 8 de Junho, cumulativamente, já foram administradas 215.775 doses da vacina num total de 143.117 pessoas vacinadas, entre as quais, 69.384 com a primeira dose da vacina e 73.733 pessoas completaram as duas doses da vacina.

Nas últimas 24 horas, foram registados vinte e quatro (24) eventos adversos (24 ligeiros; zero (0) grave). Desde o início da vacinação até ao presente momento, houve 879 notificações de eventos adversos (876 ligeiros; três (3) graves).

No que diz respeito às solicitações do público sobre a redução das despesas do teste de ácido nucleico, o Dr. Tai Wa Hou disse que as autoridades estão em contacto com as empresas terceiras que estão a realizar os testes de ácido nucleico, e, recentemente o preço do teste foi reduzido de 180 patacas para 90 patacas. Há, ainda, espaço para baixar o preço e essa situação está a ser analisada. Neste momento, para alguns indivíduos de Macau que precisam de realizar frequentemente o teste, tais como estudantes e motoristas transfronteiriços, etc., as autoridades já cobriram uma parte das suas despesas, sendo que os recursos humanos e os custos do teste entre Macau e o Interior não podem ser comparados. Solicita-se a compreensão do público.

Em relação ao facto de os residentes terem tido dificuldades na marcação da vacina contra a COVID-19 nos últimos dias, o Dr. Tai Wa Hou indicou que, segunda-feira, cerca de 23 mil pessoas agendaram a vacinação, um aumento 10 vezes superior comparando com o mês anterior. O modelo de funcionamento do sistema proporciona, diariamente, novas vagas de marcação para duas semanas, com o objectivo de equilibrar a procura e a necessidade de vacinar-se com a primeira dose e com a segunda dose da vacina.

A Dr.ª Leong Iek Hou apontou que, no dia 7 de Junho de 2021, foram submetidos a observação médica 97 indivíduos, dos quais, 41 residentes de Macau e 56 não residentes de Macau. No total, até ao dia 7 de Junho de 2021, foram enviados para a observação médica 38.516 indivíduos. Há, ainda, 1.637 indivíduos em observação médica, dos quais, 9 indivíduos alojados em instalações dos Serviços de Saúde, 1.628 indivíduos em hotéis designados.

Para reduzir a permanência de casos suspeitos em locais públicos, minimizando o risco de transmissão da doença, a Dr.ª Leong Iek Hou anunciou novas orientações sobre medidas exigidas de apresentação de Código de Saúde para acesso a locais públicos:

  • Tipo 1: De acordo com o anúncio dos Serviços de Saúde, os locais abaixo indicados devem exigir obrigatóriamente, a todos os indivíduos que entrem nas suas instalações, a apresentação do Código de Saúde de Macau:
  • Casinos;
  • Estabelecimentos e apartamentos hoteleiros;
  • Edifício do serviço de migração;
  • Instituições de saúde.
  • Tipo 2: Os locais abaixo indicados devem exigir a todos os utentes/indivíduos que queiram entrar nas suas instalações a apresentação do Código de Saúde de Macau:
  • Serviços públicos;
  • Grandes estabelecimentos comerciais;
  • Estabelecimentos de comidas e bebidas, restaurantes e bares disponíveis eat in.
  • Tipo 3: Os locais abaixo indicados podem decidir se os clientes/utentes devem apresentar o Código de Saúde de Macau conforme as condições do próprio local:
  • Mercados, supermercados;
  • Karaokes;
  • Salões de cabeleireiro e barbearia, centros de ginásio e clubes de saúde, salões de beleza;
  • Salões de dança, sauna e salões de massagens;
  • Centro de jogos, salas de bowling, salas de bilhar, cybercafés, cinemas/teatros;
  • Museus, salas de exposição e bibliotecas;
  • Estádios e piscinas;
  • Escritórios onde os clientes tenham de permanecer por 20 minutos ou mais tempo;
  • Das lojas gerais de retalho, como pequenos supermercados, lojas de conveniência, onde de pequena dimensão e onde o fluxo de pessoas é reduzido e a permanência dos clientes é curta, não é necessário exigir que os clientes exibam o Código de Saúde de Macau.

Quanto ao Código de Saúde,

  • Os residentes devem preencher e obter o Código através do sistema de “Código de Saúde de Macau” dos Serviços de Saúde. O código obtido através da aplicação móvel é valido por um dia; antes de entrar nos estabelecimentos, devem exibir o código pelo telemóvel, ou mostrar o Código de Saúde de Macau válido para o dia, impresso, previamente;
  • Os estabelecimentos devem disponibilizar equipamentos electrónicos sem função de registo, destinados àqueles quenão possuam telemóvel próprio para declarar o Código de Saúde de Macau. Os meios verbais não são permitidos.

Relativamente à gestão de portadores de Código de Saúde de Macau de cor vermelha e cor amarela, são as seguintes:

  • Código de Saúde a vermelho: O acesso aos estabelecimentos não é permitido;
  • Código de Saúde a amarelo:
  • Utentes do estabelecimento: O acesso relevante deve ser acusado; caso a prestação de serviços seja urgente, os estabelecimentos devem tomar medidas antiepidémicas adequadas, permitindo acesso aos serviços, e sair o mais rápido possível. Durante o período de serviços, devem reduzir as oportunidades de contacto entre outras pessoas e portadores de Código de Saúde amarelo. Apºos a saída efecutar limpeza e desinfecção.
  • Funcionários: Entrega de atestado médico que comprove que foi ao médico após o início dos sintomas. A pessoa responsável pelo estabelecimento decide se o acesso é permitido.

As presentes orientações acima foram carregadas na coluna Diretrizes de Prevenção de Epidemia constante da página especial antiepidémica do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus.

(https://www.ssm.gov.mo/apps1/PreventCOVID-19/pt.aspx#clg17668)

Sobre a medida de exigência de realização de teste de acido nucleico Às pessoas que tenham estado na Cidade de Cantão (Guangzhou) ou na Cidade de Foshan, nos 14 dias anteriores à entrada em Macau e que o Codigo de Saúde passou a cor vermleha. Até às 18H00 do dia 7 de Junho (segunda-feira), 5.332 pessoas viram o código de saúde a ser emitido na cor vermelha.

Segundo a notificação emitida pelos postos de testes de ácido nucleico, mais de 6.000 pessoas foram submetidas a testes de ácido nucleico, que é mais do que o número de Código Vermelho e mensagens de alerta emitidas pelas autoridades.

A Dr.ª Leong Iek Hou ressalvou que algumas pessoas que estiveram em Cantão e em Foshan (mas não são tinham sido classificados na lista de Código Vermelho) estavam preocupados a sua saúde e tomaram a iniciativa de se sujeitar ao teste. Após a comparação desta lista, certo número de pessoas com Código Vermelho não efectuou o teste de ácido nucleico e já tinham saído de Macau após terem sido contactados por via telefónica.

Quanto ao lançamento de aplicativo telemóvel semelhante ao LeaveHomeSafe de Hong Kong, a médica explicou que ainda está em fase preparatória e este aplicativo tem o objetivo de facilitar o registo das actividades diárias. Em caso de exitência de algum caso as autoridades podem efectuar o tracking para acompanhar o mesmo caso. As autoridades consideraram de forma global a protecção da privacidade daí que as informações só sejam gravadas no telefone móvel pessoal.

A Administradora do Conselho de Administração para os Assuntos Municipais do Instituto para os Assuntos Municipais, To Sok I, anunciou que a partir de amanhã (dia 9), ao entrar em estabelecimentos do Grupo 4 e 5, tais comoloja de sopa de fitas e canjas e casa de pasto, com licença emitida e sob a supervisão pelo IAM, os residentes devem exibir o Código Verde válido e os portadores do Código Amarelo e Vermelho não estão autorizados a entrar, daí que se apele aos sectores apoio na implementação desta nova medida e ao público para que cumpra estas novas orientações.

O chefe do Departamento de Ensino da DSEJ, Wong Ka Ki adiantou que a DSEJ já coordenou activamente com os Serviços de Saúde e os serviços relacionados o teste de ácido nucleico destinados aos estudantes transfronteiriços. A partir de quarta-feira (dia 9), o Centro de Actividades Juvenis da Areia Preta (situado na Praça do Edf. Kin Wa, da Estrada Marginal da Areia Preta) está disponível um posto adicional e temporário de teste de ácido nucleico gratuito para esses estudantes. O horário de funcionamento é de 2.ª a 6.ª feira, das 11h00 às 20h00.

A DSEJ deu prioridade à coordenação de estudantes transfronteiriços nas escolas mais próximas criando diversos grupos de alunos. A marcação dos testes também pode ser efectuada online.

Os postos de teste de ácido nucleico no Fórum de Macau e no Pac On estão a funcionar ao mesmo tempo com o objeto de facilitar os estudantes transfronteiriços. Esses postos são temporários e a sua continuidade depende das necessidades consoante a evolução de epidemia. (Linhas verdes - Postos de teste de ácido nucleico temporária, n.º de telefone: 2845 0852/2845 0853)

A Chefe da Divisão de Relações Públicas da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Lam Tong Hou reportou o número de pessoas em observação médica em hotéis designados.

O Chefe da Divisão de Operações e Comunicações da PSP, Ma Chio Hong relatou a actual situação da cidade e a situação de entradas e saídas de Macau e alertou o público que desde as 10 horas da manhã, as pessoas que viajam entre a Provincia de Cantão (Guangdong) e Macau devem exibir um certificado de teste de ácido nucleico negativo válido dentro de 48 horas, bem como recordou que todos os residentes e turistas devem compreender o fluxo de pessoas em cada posto fronteiriço e optar por posto com fluxo menor de pessoas.

Antes de passagem fronteiriça, devem concluir a declaração do Código de Saúde de Macau e o título para a passagem alfandegária do Código de Saúde de Guangdong, guardando a imagem para uso na passagem alfandegária.

Estiveram presentes na conferência de imprensa: o Director dos Serviços de Saúde, Dr. Alvis Lo Iek Long, a Administradora do Conselho de Administração para os Assuntos Municipais do Instituto para os Assuntos Municipais, Dr.ª To Sok I, o Coordenador da Vacinação dos Serviços de Saúde, o Dr. Tai Wa Hou, o Chefe do Departamento do Ensino Não Superior da Direcção dos Serviços de Educação e de Desenvolvimento da Juventude, Dr. Wong Ka Ki, a Chefe da Divisão de Relações Públicas da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Lam Tong Hou, o Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Ma Chio Hong, ea Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença dos Serviços de Saúde, Dr.ª Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar