Chefe do Executivo discute estudo da aplicação de “um país, dois sistemas” em visita a Academia Chinesa de Ciências Sociais (Tradução do GCS)

Chefe do Executivo, Chui Sai On, na Academia Chinesa de Ciências Sociais (CASS), em Pequim, para se inteirar das conclusões de um estudo temático sobre as experiências governativas após o estabelecimento da RAEM e fazer um balanço dos resultados de cooperação.

O Chefe do Executivo, Chui Sai On, chegou, na tarde de hoje (31 de Outubro), a Pequim e dirigiu-se de imediato à Academia Chinesa de Ciências Sociais (CASS, na sigla inglesa), para que lhe fossem transmitidas as conclusões de um estudo sobre as experiências governativas após o estabelecimento da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM). A ocasião serviu ainda para realização de um balanço da cooperação entre o Governo da RAEM e a entidade académica.

O grupo de especialistas envolvidos neste projecto dispõe de resultados preliminares e coube ao chefe do instituto de estudos europeus e do centro de estudos para os assuntos de Taiwan, Hong Kong e Macau da CASS, Huang Ping, fazer uma breve apresentação sobre a actuação governativa em Macau desde o regresso do território à Pátria. Colocando especial ênfase na última década, o responsável sublinhou o tratamento adequado em termos das relações entre “um país” e “dois sistemas”, entre o desenvolvimento económico e promoção de benefícios à população, e entre herança e inovação, tendo simultaneamente o governo sido capaz de encontrar um caminho de sucesso para a aplicação do princípio “Um país, dois sistemas” com as características de Macau.

A delegação do Governo da RAEM e o grupo de académicos da CASS trocaram impressões sobre o tema e os representantes de Macau fizeram uma previsão sobre os trabalhos da próxima fase do estudo. Por forma a assumir uma atitude de grande responsabilidade perante o Governo Central, consideraram que o estudo deve evidenciar justamente que o princípio “um país, dois sistemas” é uma iniciativa importante que partiu do Governo Central e cujo sucesso da implementação só fica garantido através da liderança correcta e forte apoio das autoridades do País.

Por outro lado, para adoptar uma grande responsabilidade perante a população do território e a história, o Governo da RAEM entende que na parte da conclusão, o estudo tem de integrar argumentos pragmáticos e científicos, tendo em conta os pontos de vista da população e a história real. Assim, os representantes da delegação deixaram o desejo de que as pessoas do CASS envolvidas no estudo possam terminá-lo ainda a tempo de o entregarem como um presente para as celebrações do 20º aniversário do estabelecimento da RAEM.

Depois de ouvir a apresentação sobre o andamento do estudo e conclusões preliminares, o Chefe do Executivo observou que o tema é bastante difícil de tratar, devido à sua vasta abrangência e elevado volume de trabalhos relacionados. No entanto, apontou que, de uma forma geral, as respectivas tarefas decorrem a bom ritmo e com óptimos resultados. O mesmo responsável deixou ainda os seus agradecimentos ao grupo de especialistas pelo esforço envidado, destacando o importante significado deste estudo num ano em que se assinalam o 70º aniversário da implantação da República Popular da China e o 20º aniversário do estabelecimento da RAEM. Assim, o documento deve conter um balanço completo e objectivo e servir igualmente de referência no que concerne à aplicação com sucesso do princípio “um país, dois sistemas” com características de Macau, na nova era.

Chui Sai On acrescentou que esta cooperação profunda no âmbito do estudo de temas específicos, assim como os resultados obtidos, contribuem para um reforço da ligação do Governo da RAEM com a CASS. E fez votos para que a Academia possa continuar a apoiar e a prestar atenção ao desenvolvimento de Macau, reforçando a cooperação e intercâmbio no campo das ciências humanas e sociais, bem como na formação de quadros qualificados, com vista ao impulso e garantia da estabilidade da aplicação do princípio “um país, dois sistemas” a longo prazo.

No encontro, as duas partes fizeram ainda retrospectivas sobre os resultados animadores da cooperação. Macau criou, durante o terceiro Governo da RAEM, e tem aperfeiçoado gradualmente, o mecanismo de comunicação e colaboração com a CASS, com visitas mútuas de dirigentes e a realização de palestras temáticas, bem como a elaboração de estudos. Além disso, deram início a uma colaboração para a realização de estudos específicos que contenham uma investigação às estratégias da RAEM e identifiquem problemas no seu desenvolvimento. Este ano, as visitas mútuas tornaram-se mais frequentes. O Chefe do Executivo, Chui Sai On, e o presidente da CASS, Xie Fuzhan, tiveram encontros em Março e Agosto, respectivamente em Pequim e Macau, com o objectivo de reforçar o papel da Academia como fonte de conhecimento para o futuro desenvolvimento de Macau.

O encontro contou ainda a presença da chefe de Gabinete do Chefe do Executivo, O Lam, e do director dos Serviços de Estudo das Políticas e Desenvolvimento Regional, Mi Jian.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar