Governo da RAEM representado na segunda Exposição Internacional de Importações da China

A 2ª Exposição Internacional de Importações da China realiza-se, em Xangai, de 5 a 10 de Novembro, e contará com a participação de vários serviços públicos do Governo da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM). Como este ano marca o 20º aniversário do estabelecimento da RAEM, na exposição será demonstrada de que forma as vantagens do princípio “um país, dois sistemas” e as políticas do Governo Central têm contribuído para o posicionamento de Macau enquanto“Centro Mundial de Turismo e Lazer” (Um Centro) e para a criação da “Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa” (Uma Plataforma), que tornam o território numa janela importante da China de ligação ao exterior.

Esta exposição é organizada pelo Ministério do Comércio e o Governo Popular de Xangai, com o apoio da Organização Mundial do Comércio (OMC), da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) e da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO). A mesma inclui duas partes, o Fórum Internacional de Economia e Comércio de Hongqiao e a Feira Nacional de Comércio e Investimento. O Governo de Macau e respectivos serviços ficarão encarregues da instalação de expositores e irão participar em fóruns.

O Governo da RAEM irá instalar o Pavilhão de Macau no interior do Pavilhão da China, no âmbito da Feira Nacional de Comércio e Investimento, e será organizada a exposição «Macau Hub», da responsabilidade do Gabinete de Comunicação Social. A mostra tem por tema o centro do património mundial da UNESCO e vai evidenciar a silhueta brilhante da cidade e as suas características próprias resultantes da mistura das culturas ocidental e oriental, que juntas compõem a traça urbana da cidade. A área de exposições de Macau englobará um grande conjunto de ecrãs multimédia para a projecção de vídeos, equipamentos de realidade virtual (RV) e dispositivos interactivos, que mostrarão o charme único de Macau como “Centro Mundial de Turismo e Lazer”, “Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa” e “Cidade Criativa de Gastronomia”. Através instalações visuais interactivas e trabalhos gráficos, os visitantes terão oportunidade de conhecer as conquistas e o progresso socioeconómico alcançado nos últimos 20 anos, desde o retorno de Macau à Pátria, bem como de que modo a cidade se integra no desenvolvimento geral do país; através da RV, os visitantes poderão ainda simular uma caminhada por algumas das ruas mais icónicas de Macau.

Ao Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM) e ao Fundo das Indústrias Culturais (FIC) caberá a organização da participação no evento de vários sectores da sociedade, nomeadamente de empresas de restauração na zona exposição de produtos alimentares e agrícolas, onde ficarão em exibição produtos alimentares e bebidas típicas de Macau e dos países da língua portuguesa, promovendo-se, assim, o papel de plataforma do território. Do mesmo modo,18 empresas locais que prestam serviços no mercado lusófono também marcarão presença na “Zona de Exposição do Comércio de Serviços”, para um impulso ao alargamento de mercados.

Já as empresas locais ligadas à área cultural irão exibir na mesma zona, assim como na “Área de Vida de Qualidade”, os métodos utilizados na concepção de produtos, como por exemplo produções multimédia, culturais e criações de moda.



Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar