Chefe do Executivo considera impossível prever mudanças económicas no quarto trimestre devido à epidemia


O Chefe do Executivo, Ho Iat Seng, afirmou, hoje (15 de Setembro), que a epidemia da pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus afecta o mundo, e não existem actualmente dados precedentes para servir de referência, por isso, considera difícil avaliar as mudanças económicas do quarto trimestre, contudo, prevê que não haja um aumento significativo nas receitas provenientes do imposto do jogo.

Ao ser questionado pela comunicação social, numa ocasião pública, o Chefe do Executivo revelou que considera impossível prever a evolução da epidemia a nível mundial e acrescentou que, na segunda metade do corrente ano, poderá haver a possibilidade de tornar algumas regiões de países estrangeiros zonas de baixo risco. Revelou que, devido à situação epidémica instável em Hong Kong, ainda não é possível a abertura de Macau à região vizinha mas disse esperar uma mudança num futuro próximo. Relativamente às receitas procedentes do imposto do jogo prevê que, este mês, será um pouco melhor do que o anterior, contudo, afirmou que não haverá um crescimento acentuado. Disse ainda que espera uma maior afluência de turistas, na segunda metade deste mês e antes do arranque da semana dourada no dia 1 de Outubro.

Relativamente ao Dia Nacional, o mesmo responsável assegurou que exigiu a todos os participantes para se submeterem ao teste de ácido nucleico e que, esta semana, o governo divulgará directrizes sobre prevenção da epidemia para definir quando o número de pessoas presentes nas refeições, atingir um limite, estas devem realizar antecipadamente o teste de ácido nucleico, e assim proceder adequadamente ao trabalho de prevenção.

Relativamente à reforma da política de apoio financeiro da Fundação Macau, o Chefe do Executivo, indicou ser um plano estudado pela própria instituição tendo em conta ao seu estatuto de entidade independente e que, na qualidade de presidente do Conselho de Curadores, irá apoiar a mesma de acordo com as situações reais para proceder aos ajustamentos e à reforma adequada.

Além disso, o Chefe do Executivo, parte amanhã (16 de Setembro), para a cidade de Sanya da Província de Hainão, e participa na Reunião Conjunta das Lideranças Executivas no contexto da Cooperação Regional do Pan-Delta do Rio das Pérolas. Ao ser questionado sobre a respectiva agenda, disse que a reunião é subordinada ao tema «Compartilhar as oportunidades do porto franco de Hainão e promover o desenvolvimento conjunto do Pan-Delta do Rio das Pérolas».

Ao ser interpelado sobre quando serão aliviadas as restrições de entrada para estrangeiros, a secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, Ao Ieong U, também presente na mesma ocasião pública, revelou a necessidade de se proceder, passo a passo, com as políticas de entrada, e que o governo tem ponderações e também planos, sob os princípios de controlo da epidemia, para aliviar gradualmente a entrada dos trabalhadores não residentes estrangeiros e dos familiares de residentes de Macau com nacionalidade estrangeira.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar