Apoio aos Cidadãos e Estudantes

Reunião Periódica do Chefe da Delegação Alexis Tam e da Adjunta Lúcia Santos com os Estudantes de Macau em Portugal

Desde o início da pandemia em Março do ano transacto até ao dia de hoje, Portugal contabilizou mais de 720 mil casos infectados e um total de mais de 12 mil mortes. Com o aumento da incidência depois do Natal, a situação epidemiológica sofreu um significativo agravamento, entrando assim Portugal na terceira vaga da pandemia, onde diariamente são infectados mais de 10 mil casos. O Governo Português decretou na passada quinta-feira (28 de Janeiro), mais uma vez, a renovação do estado de emergência, pela décima vez, onde define um conjunto de medidas, desde o confinamento geral à proibição de circulação entre concelhos, encerramento das fronteiras com a Espanha, proibição dos cidadãos nacionais a deslocarem-se para o exterior, (salvo situações excepcionais, como serviços urgentes). Tendo sido também anunciado que, após as pausas lectivas, as escolas voltarão a partir de 8 de Fevereiro a funcionar com o ensino online. A continuidade destas medidas muito dependerão da evolução e da reavaliação da actual situação pandémica.

Com o agravamento da situação em Portugal, a Delegação Económica e Comercial de Macau em Lisboa está em consonância com a preocupação dos inúmeros cidadãos da RAEM que se encontram em Portugal, nomeadamente os aposentados que aqui residem e os que frequentam instituições de ensino. Aos cidadãos aposentados aqui residentes, onde anualmente, no mês de Janeiro, lhes é pedido para efectuarem a prova de vida, viram-se impossibilitados, uma vez decretado o confinamento geral e limitação de transportes e circulação pelo Governo Português. Dada a esta situação, o Chefe da Delegação Alexis Tam, reencaminhou diversos ofícios aos serviços competentes da Região Administrativa Especial de Macau, como o Fundo de Segurança Social, o Instituto de Acção Social, o Fundo de Pensões entre outros, especificando o motivo pelo atraso de entrega das provas de vida por parte dos requerentes e o devido acompanhamento. Além disso, foi divulgado junto da DECML a forma de utilização e de acesso da aplicação móvel da «conta única de acesso comum aos serviços públicos» dos SAFP, aos cidadãos da RAEM residentes em Portugal.

A fim de aliviar a ansiedade e a preocupação por parte dos estudantes, o Chefe da Delegação Alexis Tam e a adjunta Lúcia Santos reuniram-se recentemente com os diversos responsáveis dos estudantes de Lisboa a saber: Weng Ian Chan e Chong Neng Cheung, representantes da Associação de Estudantes Luso Macaenses, I Kei Sou, representante da Associação de Intercâmbio Cultural da Juventude Europeia de Macau, Ka Kio Mok, representante do Plano de Financiamento para a Formação de Bilingues de diversas áreas e Hok In Kong, representante do Projecto de Continuação de Estudos em Portugal (Ensino Secundário). Durante a reunião o Chefe da DECML manifestou, em nome do Governo da RAEM, o total apoio e atenção a prestar aos estudantes, esclareceu também, as medidas implementadas ao combate do COVID-19 adoptadas pelo Governo de Portugal, como alertou, para a diminuição de concentração entre os estudantes, o distanciamento social e a utilização de máscaras e de desinfectantes, uma vez que, o número de vacinas contra o COVID-19 não são ainda em número suficientes.

No decorrer da reunião foram ainda abordadas questões relativas à aprendizagem e dificuldades inerentes bem como problemas relacionados com as actividades quotidianas e económicas. Representantes de estudantes salientaram não enfrentarem algum tipo problema, salvo a preocupação manifestada da situação pandémica, o que poderá vir a afectar a aprendizagem em Portugal, agradecendo a preocupação manifestada por parte da DECML.

O Chefe da DECML Alexis Tam reiterou envidar todos os esforços no apoio à resolução dos problemas dos estudantes, incentivando os mesmos à dedicação na aprendizagem, para que num futuro recente, possam vir a contribuir para o desenvolvimento social da Região Administrativa Especial de Macau.

Os estudantes de Macau em Portugal não quiseram deixar de manifestar a sua gratidão à Embaixada da República Popular da China em Portugal, onde através da DECML, fez chegar pela terceira vez consecutiva, cabazes de protecção pessoal, sinal de muito carinho e afecto aos estudantes.

Mais de uma dezena de residentes de Macau que se encontram impossibilitados de regressar ao Território devido à prorrogação mais uma vez do estado de emergência e à limitação dos transportes rodoviários e aéreos em Portugal, enviaram um pedido de ajuda à DECML. Face a esta situação, a DECML já entrou em contacto com os serviços competentes da RAEM, para que sejam tomadas as devidas medidas para o regresso dos mesmos.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar