49º Caso confirmado de pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus (COVID-19) em Macau


O Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus informa que quarta-feira, 7 de Abril, foi confirmado o diagnostico do 49º caso (importado) de pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus (COVID-19) tendo sido encaminhado para a enfermaria de isolamento do CHCSJ para tratamento

O doente é residente de Macau, 23 anos de idade, sexo masculino, estudante em Portugal, e à chegada negou ter sido anteriormente diagnosticado com COVID-19 ou que tivesse sido vacinado contra a COVID-19.

No dia 4 de Abril, cerca das 12h15, apanhou em Lisboa, Portugal, o voo AF1025 da Air France com destindo ao Aeroporto Charles de Gaulle de Paris. No dia 6 de Abril, cerca das 11h20 embarcou no voo EVA Air voo BR088 para o Aeroporto Internacional de Taiwan Taoyuan; No dia 7 de Abril, cerca das 10h00, apanhou o vôo BR801 da EVA Air com destino Macau sentado no lugar 52C.

Os testes de ácido nucleico através da zaragatoa nasal realizados no dia 4 de Abril e 5 de Abril foram negativos.

Na entrada em Macau, de acordo com os procedimentos foi de imediato submetido a um teste de ácido nucleico e a um teste de anticorpos para COVID-19. O resultado do teste de ácido nucleico para COVID-19 foi fracamente positivo e os testes aos anticorpos IgM e IgG foram positivos, tendo sido diagnosticado com COVID-19.

Este doente declarou que antes de ter viajado para Macau esteve durante alguns meses no seu dormitório e não teve contacto com doentes confirmados com COVID-19 e nunca teve sintomas relacionados com problemas do tracto respiratório. Devido à ausência de sintomas e desconforto, dois testes de ácido nucleico recentes negativos e que depois se revelam fracamente positivos, combinados com alterações nos anticorpos serológicos, as autoridades de saúde consideram que há uma possibilidade de este caso ser uma recaída de uma pessoa assintomática.

Como este doente não foi diagnosticado anteriormente, mas foi diagnosticado em Macau pela primeira vez, a situação foi classificada como um caso importado em Macau.

Actualmente, o doente encontra-se em estado clínico considerado normal, tendo sido internado na enfermaria de isolamento do Centro Hospitalar Conde de São Januário para tratamento.

Esta quarta-feira, 7 de Abril, 15 residentes regressaram a Macau provenientes da Europa e dos Estados Unidos via Taipei, tendo sido submetidos imediatamente a testes de ácido nucleico e anticorpos para a COVID-19 ao entrarem no território.

Um deles, o resultado de ácido nucleico deu negativo, não tinha administrado a vacina contra a COVID-19, mas o teste de anticorpos virais deu positivo. Este residente de Macau é um jovem de 17 anos, sexo masculino, estudante do Reino Unido, que no dia 6 de Abril embarcou no voo AF1381 da Air France, de Londres, Inglaterra com destino o Aeroporto Paris-Charles de Gaulle. Aproximadamente às 11h20 do dia 6 de Abril, foi transferido para o voo BR088 da EVA AIR com o destino do Aeroporto Internacional de Taiwan Taoyuan. Por volta das 10h00 do dia 7 de Abril, foi novamente transferido para o voo BR801 da EVA AIR, com o destino Macau, sentado no lugar 52G. No último mês, este jovem realizou semanalmente, 1 a 2 vezes por semana, o teste de ácido nucleico para a COVID-19 através da zaragatoa nasal e oral, e todos foram negativos. Ao entrar em Macau, efectuou testes de ácido nucleico e anticorpos para a COVID-19. O resultado do teste de ácido nucleico para a COVID-19 foi negativo, mas os testes aos anticorpos IgM negativos e IgG positivos. Negou que foi administrado a vacina contra a COVID-19. Considera-se que esta situação é uma prévia infecção da pneumonia pelo novo coronavírus. Este jovem alegou que frequentou normalmente aulas e actividades na escola, antes de regressar a Macau e não apresentou quaisquer sintomas de trato respiratório superior nem desconforto. Por enquanto, como a situação é considerada normal foi encaminhado ao Centro Clínico da Saúde Pública para posterior observação e exame.

Tendo em conta a gravidade da situação epidémica da COVID-19 em países estrangeiros, o Centro de Coordenação recorda que há um risco elevado de surgir um surto de uma variante altamente contagiosa, com elevado risco de infecção, aliás, há diversos registos, um pouco por todo o mundo, divulgados em meios de comunicação, de infecções confirmadas após terem sido realizados vários testes de ácido nucleico, com resultado negativo. Por esta razão, de modo a reduzir, ainda mais, o risco para a saúde pública e reduzir a possibilidade de risco de surto, todos os residentes que regressem a Macau, provenientes do exterior, além da realização do teste de ácido nucleico são submetidos a testes de anticorpo da COVID-19 para determinar o seu real estado clínico. Com isto evita-se que estes indivíduos, após saída de observação médica em isolamento, possam pôr em perigo as suas famílias e a comunidade.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar