Inauguração do 12.º IIICF prevista para esta quinta-feira de modo a reunir figuras de elite do sector para discussão de novas oportunidades de cooperação

Conferência de Imprensa do 12.º Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas

O 12.º Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas (12.º IIICF), co-organizado pelo Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM) e pela Associação dos Construtores Civis Internacionais da China, terá lugar em Macau entre os dias 22 e 23 de Julho. Sob o tema principal “Promoção Conjunta do Novo Desenvolvimento da Cooperação Internacional de Infra-estruturas”, a edição deste ano, baseada no modelo de integração de acções online e offline, irá proporcionar uma plataforma para intercâmbio e contactos aprofundados aos participantes de relevância das esferas governamental, industrial e académica e de investigação provenientes do Interior da China, de Macau e dos países abrangidos pela iniciativa “Faixa e Rota”, com vista a promover cooperações internacionais entre os diferentes sectores, ultrapassando em conjunto dificuldades encontradas neste período delicado.

Está programada para hoje (dia 20) a conferência de imprensa conduzida pela entidade organizadora, durante a qual, o Presidente da Associação dos Construtores Civis Internacionais da China, Fang Qiuchen, e o Presidente do IPIM, Lau Wai Meng, apresentaram os respectivos trabalhos de preparação para a realização do evento.

Expansão da dimensão do Fórum

O 12.º IIICF conta com a inscrição de mais de 1.300 participantes convidados, provenientes de mais de 500 entidades de 42 países e regiões, um número que corresponde a um aumento de cerca de 30% comparativamente com a edição anterior. Entre todos os convidados, estão incluídos 34 diplomatas de países estrangeiros residentes na China, representantes de 25 instituições financeiras e de 64 empresas empreiteiras classificadas no top 250 mundial e delegações compostas por dirigentes de altos cargos oriundos de 72 empresas classificadas no top 500 mundial. Além do acréscimo do número de convidados, o 12.º IIICF irá ainda alargar a quantidade dos seus stands de exposição para 60, um aumento de cerca de 40%, por forma a alcançar o objectivo de maximizar, através de uma relação sinérgica criada entre exposições e fóruns, o papel profícuo do evento, a nível do intercâmbio e do estabelecimento de parcerias. Em relação às acções online, para além de continuar a convidar os convidados do exterior para participarem através de vídeo-conferência ou de forma online, são também disponibilizadas no recinto sessões de transmissão ao vivo, aumentando a atenção, interacção e participação no Fórum.

Foco em novas oportunidades de desenvolvimento verde

De acordo com o Presidente da Associação, Fang Qiuchen, o Fórum irá incidir sobre temas como inovação financeira e integração industrial e financeira, bem como pôr foco em novas oportunidades e desafios no desenvolvimento internacional de infra-estruturas no quadro do pico e da neutralidade de carbono, no desenvolvimento de novas energias como factor catalisador para a transformação e a actualização do sector e na promoção da exploração de mercados de principais países e regiões estrangeiros. Afirmou ainda que a realização do Fórum não só se trata de um sinal evidente que Macau enviou para a comunidade internacional sobre a recuperação cada vez mais rápida do seu sector de convenções e exposições e a estabilidade da sua situação socio-económica, como ainda é uma forma de demonstrar a confiança da China em promover mais cooperações internacionais em infra-estruturas, no futuro.

Promoção conjunta de cooperação industrial e financeira entre a China e os Países de Língua Portuguesa

De acordo com o Presidente do IPIM, Lau Wai Meng, a edição deste ano do Fórum apostou fortemente em uma maior integração dos elementos de Macau, nomeadamente o seu papel preponderante de plataforma sino-portuguesa, que continua em crescimento, e o novo rumo de desenvolvimento do seu sector financeiro, o que permitirá a maximização da utilidade de Macau na promoção da cooperação industrial e financeira entre a China e os Países de Língua Portuguesa. Os fóruns paralelos desta edição incidirão sobre estas matérias. O Fórum, sob o aproveitamento do posicionamento de Macau enquanto plataforma sino-portuguesa, irá ainda lançar o Índice do Desenvolvimento de Infra-estruturas dos Países Abrangidos pela Iniciativa Faixa e Rota (2021) e o respectivo relatório, no seu primeiro dia, por forma a continuar a analisar as diferentes realidades verificadas nos países de língua portuguesa, o futuro e as novas oportunidades de investimento para o desenvolvimento cooperativo de infra-estruturas entre estes e a China, contribuindo ainda para a exploração conjunta das empresas do Interior da China e de Macau sobre o mercado nesses países.

Para além disso, a fim de salvaguardar a saúde e a segurança dos seus participantes, a entidade organizadora do Fórum irá, em conformidade com as normas e orientações de prevenção da pandemia em vigor em Macau e sob a referência das recomendações das entidades internacionais de convenções e exposições, proceder ao devido abastecimento de recursos de prevenção pandémica, à elaboração de planos de resposta de emergência e à implementação rigorosa de acções preventivas, como a medição da temperatura corporal à entrada do recinto e a desinfecção do espaço.

O Fórum, organizado desde 2012, ano em que o local da sua realização transferiu de Pequim para Macau, celebrará este ano a sua nona edição consecutiva em Macau. Para mais informações sobre o evento, visite www.iiicf.org.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar