Resultados do inquérito à participação dos cidadãos em actividades culturais

A Direcção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC) divulga os resultados do “Inquérito à Participação dos Cidadãos em Actividades Culturais”, realizado no segundo trimestre de 2019. O objectivo deste inquérito é recolher as informações, durante um período de seis meses anterior à entrevista, sobre a participação em actividades culturais de indivíduos, com idade igual ou superior a 16 anos, como por exemplo: ir ao cinema; ir à biblioteca; visitar museus ou locais do património mundial, bem como assistir a espectáculos e exposições de arte.

No segundo trimestre deste ano 304.200 indivíduos participaram em actividades culturais e a taxa de participação (percentagem de participantes em actividades culturais face à população com idade igual ou superior a 16 anos) nestas actividades foi de 54,4%, registando-se um crescimento ligeiro de 0,1 pontos percentuais (p.p.), em relação ao trimestre homólogo do ano anterior. Realça-se que 257.200 residentes participaram em actividades culturais e a taxa de participação nestas actividades foi de 57,0%, subindo 0,3 p.p., em termos anuais.

Analisando por actividade cultural, “ir ao cinema” continuou a ser a actividade em que mais residentes participaram, isto é, 166.500 residentes, mais 0,6%, em termos anuais. A taxa de participação nesta actividade foi de 36,9%, descendo tenuemente 0,1 p.p. Destaca-se que 32.300 residentes assistiram a filmes/vídeos produzidos em Macau, mais 7,7%. Além disso, havia 306.200 residentes que assistiram a filmes através da internet/discos de vídeo, mais 8,3%, em termos anuais.

Foram à biblioteca 137.600 residentes, mais 4,6%, em termos anuais e a taxa de participação nesta actividade foi de 30,5%, mais 1,1 p.p. Salienta-se que a taxa de participação dos estudantes nesta actividade se fixou em 81,4% (+4,6 p.p., em termos anuais), sendo de cerca de 2,1 vezes superior à taxa de participação dos que não eram estudantes (26,3%). A diferença entre ambas as taxas foi de 55,1 p.p., sendo esta maior que a obtida no segundo trimestre de 2018 (51,7 p.p.).

O número de residentes que visitaram os museus ou locais do património mundial (86.200) registou o maior decréscimo, ou seja, -14,4%, em termos anuais. Destaca-se que 61.000 residentes foram aos museus e 58.200 visitaram os locais do património mundial, observando-se quedas de 12,4% e 12,6%, respectivamente. Os motivos dos residentes para não participarem nesta actividade foram sobretudo sem interesse (65,3% do total) e sem tempo (46,0%). Cada residente efectuou em média 3,2 visitas, esta média aumentou ligeiramente 0,1, em termos anuais, embora o número de participantes nesta actividade tenha diminuído.

Assistiram a espectáculos 78.000 residentes, menos 3,8%, em termos anuais. Cada participante assistiu em média a 2,3 espectáculos, a qual subiu tenuemente 0,2, em termos anuais. Realça-se que nos espectáculos musicais ou de dança participaram mais residentes, isto é, 59.700 residentes e que aos teatros foram 34.000 residentes.

Nas exposições de arte estiveram presentes 34.000 residentes, menos 5,4%, em termos anuais. Cada participante assistiu em média a 2,4 exposições, esta média cresceu 0,4, em termos anuais. Salienta-se que 95,5% destes residentes também assistiram a outras actividades culturais e 72,4% participaram em três ou mais tipos de actividades culturais.



Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar