Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus apela para que residentes recorram ao médico o mais cedo possível, devido à alta taxa de cura dos tratamentos precoce – Não foram confirmados novos casos

Tratamento precoce do novo coronavírus pode ser curável. Apelo às pessoas que contactam turistas usar máscaras e recorrer ao médico se sentirem desconforto, como febre e tosse foram as principais mensagens do Centro de Coordenação

O Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus solicitou em conferência de imprensa, 8 de Fevereiro, a todos os hospitais que aumentem o máximo possível a sua cobertura de detecção e anunciou que os laboratórios passam a funcionar 24 horas por dia para detectar todos os doentes suspeitos, incluindo aqueles que não tenham histórico de viagem para o exterior ou de contacto com os casos, de modo a descobrir o mais cedo possível os doentes. É importante notar que é provável que já possam existir em Macau eventuais casos recessivos/ocultos na comunidade de Macau, pelo que o novo tipo de coronavírus é suscetível de ser contagioso como a gripe. Para prevenir o surto na comunidade de Macau, é obrigatório tomar adequadas medidas de protecção. O Centro de Coordenação salienta que se o novo coronavírus for tratado precocemente há uma grande capacidade de melhoria e de cura. Os indivíduos que tenham contacto frequente com um grande número de visitantes, caso tenham sintomas de febre e tosse, etc, devem usar máscara e recorrer ao médico com a maior brevidade possível.

Nas últimas 24 horas (até 15 horas do dia 8 de Fevereiro), em Macau, não houve registo de casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus. Há 498 casos suspeitos (incluindo 10 casos confirmados) no Território, e nove (9) doentes confirmados estão na enfermaria de isolamento do CHCSJ são casos ligeiros. Em 482 casos foi excluída a infecção, 6 casos suspeitos cujo resultado do teste ainda está pendente e há 55 casos de contacto próximo. Nove (9) pessoas em vigilância tiveram alta após o isolamento. Nas últimas 24 horas, foram analisadas 120 amostras pelo Laboratório de Saúde Pública.

Actualmente, o Centro Hospitalar Conde de São Januário alargou a cobertura/área de detecção dos doentes que apresentam sintomas, esperando que seja possível identificar casos não visíveis ou recessivos/ocultos na comunidade, apelando aos residentes para que colaborem com a luta conjunta contra a epidemia e não saia à rua.

Todos os doentes com sintomas do tracto respiratório, ou indivíduos suspeitos de ter um maior risco de infecção, ou indivíduos que tenham tido contacto frequente com um grande número de visitantes, antes da suspensão da actividade dos casinos de Macau, devem recorrer à assistência médica atempadamente, nomeadamente profissionais do sector do jogo, vendedores das lojas de lembranças e de comida típica, condutores de autocarro turísticos e táxistas, etc.

Para os casos diagnosticados e tratados precocemente, acredita-se que a taxa de recuperação seja mais elevada. Ao recorrer ao médico, devem usar máscara, evitando o transporte público. Caso o estado clínico seja considerado grave, pode chamar a ambulância e realizar um teste no Centro Hospitalar Conde de S. Januário que avalia os riscos conforme a situação real de cada doente, irá acompanhar e efectuar trabalho de educação para a saúde. Por fim, apela-se aos residentes que residam nas Ilhas para recorrer, na medida do possível, ao Posto de Urgência das Ilhas do Centro Hospitalar Conde de São Januário.

Em relação a uma carta aberta sobre a existência de problemas de gestão e controlo da situação epidémica no Hospital Kiang Wu, o Centro de Coordenação respondeu que, desde a ocorrência da epidemia, os Serviços de Saúde têm mantido uma comunicação estreita com outras instituições de saúde, no sentido de coordenar os trabalhos de prevenção da epidemia. Na utilização de materiais de protecção, os Serviços de Saúde têm alocado recursos de forma diferente, tendo em conta os diferentes postos de trabalho, empenhando-se em satisfazer os princípios de racionalidade, de maior aproveitamento e de ciência, apelando ao público para uma perspeciva racional dos trabalhos de combate à epidemia, porque o uso inadequado pode levar a um aumento do risco.

Dependendo da evolução da epidemia, os Serviços de Saúde continuam a actualizar e aperfeiçoar as orientações de prevenção e controlo, bem como a prestar apoio técnico aos profissionais de saúde da linha da frente de outras instituições de saúde. Devido à rápida evolução epidemiológica, é possível existirem divergências que fez com que os profissionais de saúde da linha da frente não entendessem as directivas, contudo, os Serviços de Saúde também não ignoram a importância da prestação de orientações as instituições de saúde e, em caso de não cumprimento das orientações ou factos escondidos, os Serviços de Saúde irão acompanhar a situação de acordo com a Lei.

Os Serviços de Saúde possuem um mecanismo de contacto permanente para os trabalhadores de diversos níveis expressarem as suas opiniões, esperando que todos possam enfrentar a situação epidémica de forma positiva, e reflectir plenamente as opiniões junto da direcção dos Serviços de Saúde, de maneira a aperfeiçoar os trabalhos.

Os Serviços de Saúde estão constantemente a adquirir vários tipos de materiais de protecção e de preparação, de forma a garantir uma protecção adequada aos profissionais de saúde da linha da frente. Acredita-se de que o Centro Hospitalar Conde de São Januário ainda dispõe de materiais suficientes (incluindo reagentes) para dar resposta à actual situação epidemiológica. O Centro de Prevenção e Controlo da Doença dos Serviços de Saúde e o Departamento para os Assuntos Médicos do Hospital Kiang Wu têm mantido contacto estreito, disponibilizando uma linha de 24 horas para esclarecimentos de dúvidas colocadas pelos médicos da linha da frente, em relação às orientações.

Na reunião, o Centro de Coordenação informou que a entidade competente da Cidade de Zhuhai anunciou hoje que dos recentes casos confirmados, dois (2) casos estão relacionados com Macau, indicando que, segundo dados epidemiológicos, ambos eram residentes de Wuhan, e existe uma grande probabilidade de terem sido infectados em Wuhan, Hubei. Essas duas (2) pessoas não iniciaram os sintomas durante a sua estadia em Macau, pelo que o risco de transmissão em Macau é baixo. Além disso, o Centro de Coordenação anunciou o itinerário de 2 doentes diagnosticados em Hong Kong que estiveram em Macau. Como um deles viajava entre Zhuhai e Macau todos os dias, durante os 14 dias antes do início da doença, é condutor de “Shuttle Bus” de transporter de passageiros para ida e volta entre as portas do Cerco e o Casino Oceanus, o Casino de Lisboa e Grand Lisboa em Macau. O condutor do “Shuttle Bus” não teve outras actividades além do trabalho durante este período. O horário de trabalho é regular. Esse condutor de “Shuttle Bus” entrou em contatco com uma grande quantidade de passageiros durante o período de trabalho. Não está excluída a possibilidade de uma infecção em Macau.

O último dia útil de trabalho desse doente foi no dia 4 de Fevereiro e no mesmo dia manifestou sintomas. Esse homem entrou em Macau proveniente de Zhuhai no dia 5 de Fevereiro e saiu de Macau para Hong Kong através de autocarro da fronteira da Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau às 17h00.

O Centro de Coordenação apela aqueles que apanharam autocarros de ligação do principal meio de transporte da Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau prestar atenção ao seu estado de saúde.

O outro doente é um turista, a maioria dos dias do período de incubação de 14 dias antes do início da doença, permaneceu em Macau pelo menos 8 dias e principalmente em locais com mais turistas, não é excluída a possibilidade da infecção em Macau,

O doente não apresentou sintomas enquanto estave em Macau, por isso, será acompanhado o estado de saúde do pessoal de limpeza no quarto de hotel onde morava. (Veja anexo do itinerário dos dois doentes em Macau).

O Centro de Coordenação ainda explicou a razão pelo qual parques, pistas de corrida e ciclismo dos parques estão encerrados. Alguns residentes tem questionado essa decisão, mas a mesma foi tomada devido à existência de diversos tipos de equipamentos nestes locais que se podem transformar facilmente numa via de transmissão do vírus. Por outro lado, é difícil usar uma máscara durante a prática do exercício físico e é difícil não conversar com amigos durante a prática do exercício físico, etc. As medidas preventivas são para evitar a disseminação do novo tipo de coronavírus, portanto, as instalações comunitárias estão fechadas para evitar a ocorrência de transmissão e ocorrência de uma epidemia na comunidade.

Na conferência de imprensa foram ainda abordados os seguintes assuntos:a situação da entrada e saída de veículos da Ponte de Hong Kong-Zhuhai-Macau, a situação da entrada de mariscos vivos, alimentos e frutas e legumes, a situação da acção contra venda paralela através da fronteira, a situação dos ocupantes na Pousada Marina Infante, a situação dos residentes de Macau que permanecem em Hubei, a mensagem da suspensão do funcionamento de hotéis. Uma representante acrescentou que todos os hotéis, em conjunto com todos os residentes de Macau, combatem a epidemia, quer dizer, todos unidos com mesma vontade e ideia comum para enfrentar este período de dificuldades. Outro representante também apresentou a segurança da cidade, a situação da inspecção de vários supermercados e dos pontos de venda de mascaras, dados de entrada e saída de vários postos fronteiriços,o processo da renovação de permanência em Macau dos trabalhadores não residentes. Finalmente, o Centro de Coordenação apelou à não organização de grandes banquetes, de modo a evitar encontros de pessoas, e evitar a disseminação da epidemia.

Estiveram presentes na conferência de imprensa: o Médico-Adjunto do Centro Hospitalar Conde de São Januário, Dr. Lei Wai Seng, Coordenador do Centro de Prevenção e Controlo da Doença dos Serviços de Saúde, Dr. Lam Chong, o Chefe Subst.º do Departamento de Fiscalização Alfandegária dos Postos Fronteiriços dos Serviços de Alfândega, Dr. Ian Chan Un, a Chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, e o Chefe da Divisão de Relações Públicas do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Lei Tak Fai.

Ver galeria

Anexos



Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar