Segurança de Macau mantém estabilidade em 2019


Conforme a análise dos dados estatísticos da criminalidade e trabalhos de execução da lei em Macau, no ano de 2019, a criminalidade geral no ano transacto registou uma descida de 1,3 por cento, comparativamente ao ano de 2018, ou seja, a segurança manteve-se boa e estável, no geral, e o número de crimes tem vindo a diminuir.

Em 2019, a Polícia de Macau instaurou um total de 14.178 inquéritos criminais, o que traduz uma descida de 1,3 por cento, relativamente ao ano de 2018, com os “crimes violentos”, os “crimes contra a propriedade” e os “crimes não classificados noutros grupos” a registarem uma ligeira subida, mas nos “crimes contra as pessoas”, nos “crimes contra a vida em sociedade”, nos “crimes contra o território”, entre outros principais tipos de criminalidade, verificou-se uma redução notória.

A criminalidade grave e violenta de Macau continua a ser nula ou com uma casuística muito baixa. No ano passado, registaram-se dois casos de homicídio, ambos na primeira metade do ano. A Polícia apela à população para estar alerta à sua própria segurança e para que, em situações de risco, mantenha a calma e peça ajuda à Polícia.

No ano passado, as autoridades de segurança realizaram uma série de acções de prevenção e operações de combate à criminalidade, efectuando várias acções de patrulhamento, tendo sido desencadeadas 2.845 acções, o que representa um aumento superior a 70 por cento em comparação com o ano de 2018. Estas acções mobilizaram mais de 15 mil agentes, investigando mais de 32 mil indivíduos.

Por sua vez, os casos de “sequestro” registaram uma subida de oito por cento, em comparação com o ano de 2018, a maioria dos crimes de sequestro está relacionada com associações criminosas que se dedicam à usura. Para combater este tipo de crimes, a Polícia realizou operações específicas, bem como desencadeou acções em estreita cooperação com as autoridades policiais das regiões vizinhas, tendo desmantelado vários grupos criminosos e obtido resultados significativos.

Os processos por crime de sequestro, com a origem na prática do crime de usura, representaram, no ano transacto, um aumento de 11,7 por cento, comparativamente ao ano de 2018, e os processos por crime de usura, relacionados com o jogo, representaram uma subida de 8,7 por cento, comparativamente ao ano anterior. Os dados indicam relativamente aos dois crimes acima referidos, que a sua maioria teve lugar dentro dos casinos, não existindo indícios de que os mesmos extravasassem esse ambiente, e o desenvolvimento do sector do jogo não trouxe quaisquer consequências negativas para a situação de segurança de Macau.

No ano passado, os crimes de burla registaram uma subida de 27,6 por cento em comparação com o ano de 2018, entre os quais a maior percentagem do aumento está relacionada com os casinos. Relativamente ao “crime informático”, registou-se em 2019 uma descida de 29,9 por cento em comparação com o ano de 2018, este tipo de crime representa uma grande ameaça aos bens e à segurança do público, pelo que a Polícia lhe atribui uma grande importância. Entretanto, o processo legislativo de revisão e aperfeiçoamento da “Lei de Combate à Criminalidade Informática” está a decorrer normalmente e, após a devida aprovação, será reforçado e intensificado o combate a este tipo de crime.

Ao longo do ano de 2019, os casos de roubo registaram uma subida de 15,9 por cento. Entrou em funcionamento da 4.ª fase do sistema “Olhos no Céu” e acredita-se que a instalação de câmaras de vigilância em áreas isoladas e em zonas com eventuais riscos de segurança produzirá efeitos de combate à criminalidade nessas zonas.

Quanto ao crime de fogo posto, no ano passado, registou-se uma descida de 9,5 por cento, comparando com o ano de 2018, sendo a principal causa dos incêndios por pontas de cigarro deixadas acesas em lugar inapropriado.

Os casos de crime de tráfico de droga registaram, em 2019, um número basicamente semelhante ao do ano de 2018. As autoridades responsáveis pela execução da lei de Guangdong, Hong Kong e Macau estabeleceram melhores mecanismos de cooperação e realizaram várias operações conjuntas de combate a crimes transfronteiriços de tráfico de droga. Relativamente ao combate à entrada ilegal e ao excesso de permanência, no ano passado, registou um aumento de 24,8 por cento.

No que concerne às autuações de infracções associadas aos táxis, houve uma descida significativa de 48,2 por cento, comparativa ao ano anterior, as autoridades acreditam que, a instalação de equipamento de gravação dentro dos veículos, pode servir como meio de recolha de provas e que o número das irregularidades cometidas pelos taxistas irá baixar drasticamente.

Ao longo do ano de 2019, foram registados 60 casos de “delinquência juvenil” envolvendo jovens com idade inferior a 15 anos, incluindo principalmente o “crime de furto” e o crime de “ofensas simples à integridade física”. A Polícia continua a estar atenta às questões da população relativas ao consumo e tráfico de estupefacientes por jovens.

Para garantir o sucesso das celebrações do 20.º aniversário do regresso de Macau à Pátria, bem como da realização de actividades de grande envergadura, no ano transacto, a Polícia reforçou as operações de inspecção dentro e na periferia dos casinos, continuando a adoptar um modelo integrado de policiamento activo, investigação com base nas informações e aplicação racional do dispositivo policial. Com base nos dados do ano de 2019 indicados e os mecanismos acima referidos foram alcançados os resultados esperados.

Em 2019, a situação em geral da segurança de Macau manteve-se estável e com boas condições. Com o reforço da frequência do patrulhamento e do combate à criminalidade, e em resultado das diversas operações policiais, alguns crimes que registavam uma tendência de subida a curto prazo, registaram uma diminuição, e alguns deles até uma descida significativa. Actualmente, vive-se um momento especial, e as autoridades de segurança vão continuar a articular a sua actuação com os demais serviços competentes na prevenção e controlo da epidemia. Os efeitos negativos decorrentes deste surto acarretam inevitavelmente a possibilidade de aumento de factores instáveis, prejudiciais à manutenção da ordem social, pelo que as autoridades vão manter um nível de alerta elevado, mobilizando oportunamente, após avaliação e análise, um dispositivo policial, vocacionado para reforçar a capacidade de tratamento de incidentes súbitos de segurança, por forma a garantir a prosperidade e a estabilidade da sociedade de Macau.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar