Instituto Cultural solicita maior consciencialização para a segurança eléctrica e contra incêndios nos templos de Macau em nova ronda de vistorias de inspecção

O Instituto Cultural realiza novamente vistorias de inspecção a templos de Macau

Face à ocorrência recente de um incêndio num templo de Macau, em que falhas no circuito eléctrico são consideradas os factores suspeitos que provocaram a ocorrência, o Instituto Cultural (IC) reagiu imediatamente com a realização de trabalhos de investigação em mais de quarenta templos locais, entre os dias 2 e 4 de Junho, e, através do diálogo com os respectivos administradores, averiguou os potenciais factores que possam constituir riscos de segurança dos espaços. O IC aproveitou também para fazer um forte apelo aos administradores dos templos para que estes cumpram estritamente as “Orientações de Segurança Contra Incêndios nos Templos de Macau” e para que reforcem a sua consciencialização sobre a segurança no uso de electricidade.

Por motivo do incêndio recentemente ocorrido no Templo Wong Chou, o IC já procedeu a trabalhos de investigação emergente nos mais de quarenta templos existentes em Macau, em nova ronda de vistorias de inspecção. Em comunicação com os respectivos administradores, o IC solicita a consolidação do trabalho de gestão e de consciencialização sobre medidas de segurança contra incêndios, sobretudo na questão da segurança eléctrica, insistindo no apelo aos administradores para que estes utilizem apenas, no espaço do templo, dispositivos eléctricos que cumpram as normas de seguranças estabelecidas, assim como não configurem circuitos eléctricos ou fontes de alimentação sem autorização prévia. Outros dos aspectos pedidos que os templos devem considerar são: deve realizar-se a verificação do quadro eléctrico central, desligando todas as fontes de energia quando o espaço do templo não se encontra sob vigilância presencial; os incensos no interior do mesmo devem ser extintos durante a noite; os aparelhos eléctricos que já manifestam sinais de envelhecimento ou fugas eléctricas devem ser substituídos prontamente; e deve realizar-se a verificação regular do circuito eléctrico geral do espaço, aumentando a vigilância e prestando a atenção à segurança da electricidade. Além disso, o IC também inspeccionou mais uma vez a situação de utilização eléctrica, armazenamento de objectos diversos e materiais inflamáveis, equipamentos de combate contra incêndios, etc., não tendo deixado de apelar a uma gestão rigorosa que respeite as “Orientações de Segurança Contra Incêndios nos Templos de Macau”. Posteriormente, o IC irá contratar uma empresa de consultadoria especializada para proceder à inspecção do circuito eléctrico de todos os templos de Macau, e para ajudar na substituição do mesmo quando necessário.

O IC tem vindo a desenvolver trabalhos de diversas naturezas no que respeita à redução de riscos de incêndio nos templos de Macau, entre os quais a substituição anual de extintores qualificados em muitos deles e a inspecção e substituição constante dos sistemas eléctricos. Segundo os dados registados, nos últimos seis anos, já foram substituídos os circuitos eléctricos em 25 templos e foram fornecidos 317 extintores aos 39 templos. Anualmente, o IC ainda coordena elementos que, em cooperação com o Corpo de Bombeiros, averiguam as condições de combate contra incêndios nos templos, convocam os respectivos administradores para a “Reunião sobre a Gestão da Prevenção de Incêndios nos Templos de Macau” e organizam, para os administradores da linha de frente, a “Sessão de Formação sobre Segurança contra Incêndios nos espaços de Templo e Edifícios do Património”, com vista a consolidar a consciencialização dos mesmos na segurança neste âmbito. Simultaneamente, o IC dedica-se ao reforço constante da promoção de instruções de segurança e medidas de monitorização diversas neste domínio e irá continuar a implementação geral das “Orientações de Segurança Contra Incêndios nos Templos de Macau”, implementando as medidas de apagar os incensos no interior do espaço, de desligar as fontes de energia eléctrica durante o período nocturno e da proibição de queima de papéis votivos durante a Abertura da Tesouraria de Kun Iam, entre outras.

O IC apela, mais uma vez, ao cumprimento rigoroso das “Orientações de Segurança Contra Incêndios nos Templos de Macau” por parte dos administradores dos templos, tal como a utilização obrigatória de dispositivos eléctricos que cumpram as normas de segurança locais e o corte de energia eléctrica de todas as fontes de alimentação quando o espaço não se encontra sob vigilância presencial. Devem sempre alertar para possíveis incidentes e prestar atenção à utilização da electricidade. Caso se encontre qualquer anomalia relacionada com a segurança eléctrica que potencialmente possa apresentar risco de incêndio, deve proceder-se imediatamente à respectiva resolução, comunicando o facto urgentemente ao IC, de forma a desenvolver, em conjunto, trabalhos adequados de combate contra incêndios.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar